quarta-feira, 26 de abril de 2017


Para garantir o prolongamento de uma longa série de vitórias o Real chegou ao golo por intermédio de Palacios, aos 38, e Allef aos 45.

Complexo Desportivo do Real SC – Monte Abraão


REAL
1- Patrick Costinha
3- Jorge Bernardo
22- Matheus Costa
25- Nuno Tomás
5- Zé Pedro
6- Rúben Marques ©
14- Sabry
(2- Marlon Costa, 58)
18- Brash
7- Marcelo
(8- Guti, 69)
19- Manuel Palacios
21- Allef
(9- Érico Castro, 82)
Suplentes não Utilizados: 24- Miguel Assunção, 11- Luís Mota, 15- Ivan Dias e 17- Nélson Mendes
T: Filipe Martins

LOULETANO
1- Leandro Turossi
2- Caeiro
3- Pedro
5- Garcia
(7- Rodrigo Vilela, int.)
8- Mesquita ©
20- Youssouf Sow
26- Fabrício Isidoro
9- Diogo Martins
23- Márcio Meira
(16- Abdullah, 69)
18- Nuno Moreira
(19- Juan San Martín, 72)
25- Miguel Bandarra
Suplentes não Utilizados: 1- João Azul, 11- Garrach, 14- Matché e 15- Chifo
T. Ivo Soares

Arbitragem: Hugo Silva - Santarém
Disciplina: cartão amarelo para Brash (10), Rúben Marques (64); Rodrigo Vilela (55)
Marcadores: Manuel Palacios (38) e Allef (45)

terça-feira, 25 de abril de 2017


Fazer das fraquezas forças

Clássico ao nível das equipas B entre Benfica e FC Porto com as águias a surgirem na partida com apenas quatro elementos do seu habitual onze-tipo em virtude de os restantes elementos se encontrarem em Nyon, onde esta 2ª feira disputaram a final da Youth League; devido a essa situação, os azuis-e-brancos surgiam como favoritos e adiantaram-se cedo no marcador, à passagem do minuto 7, através de um cruzamento de extremo para extremo com Kayembe a descobrir Galeno para o 0-1.

No entanto, aquelas que poderiam ser apelidadas de segundas linhas do Benfica B, que apresentou apenas quatro opções possíveis no banco de suplentes (apenas o guarda-redes suplente Ivan Zlobin não foi utilizado) assumiram as despesas do encontro, em especial na etapa complementar, período no qual operaram a reviravolta no marcador através de dois lances de bola parada, o primeiro deles aos 55 minutos.

O empate foi estabelecido por um livre directo exemplarmente convertido por Heriberto Tavares que haveria de assumir o estatuto de figura da partida ao encarregar-se de bater a grande penalidade que resultaria no 2-1 após uma mão de Rui Moreira na grande área fazendo oposição a um primeiro remate de Pipo já nos dez minutos finais da partida.

BENFICA B
88- André Ferreira
99- Simón Ramirez
96- Hélder Baldé
65- Rodrigo Escoval
60- Pedro Amaral
(68- Guga Rodrigues, 52)
80- Dálcio Gomes
81- Pipo Ferreira ©
82- Luquinhas Viana
54- Romário Baldé
(78- Tiago Dias, 42)
91- Heriberto Tavares
74- Zidane Banjaqui
(52- Igor Rocha, 86)
T: Hélder Cristóvão
4x4x2

FC PORTO B
71- Raul Gudino
88- Musa Yahaya
64- Jorge Fernandes
33- Chidozie Awaziem
45- Inácio Santos
(49- Rui Areias, 85)
60- Rui Moreira
48- Francisco Ramos ©
66- Omar Govea
(87- Bruno Costa,  74)
37- Joris Kayembe
89- Tony Djim
(95- André Pereira, 63)
90- Wanderson Galeno
T: António Folha
4x3x3

Arbitragem: Luís Ferreira (árbitro principal)
 Nuno Eiras e Luís Cabral (árbitros auxiliares)  – Braga
Disciplina: cartão amarelo para Heriberto Tavares (84) e Igor Rocha (89), Omar Govea (54), Chidozie Awaziem (79 e 89), Rui Moreira (82) e Jorge Fernandes (90+1)
Marcadores: Heriberto Tavares (55 e 83); Wanderson Galeno (7)

Figura – Heriberto Tavares – Benfica B

Com uma exímia eficácia nas bolas paradas foi o líder da revolução dos encarnados que resultou na reviravolta.

Declarações

Hélder Cristóvão – treinador do Benfica B

A vitória é justa, estamos de parabéns. Os jogadores foram competentes, tivemos muitas ausências. O golo do FC Porto B libertou-nos. 

António Folha – treinador do FC Porto B

Custa perder assim. Não estava junto aos meus jogadores no final quando se aproximaram do árbitro, se calhar foram desejar-lhe boa viagem…

segunda-feira, 24 de abril de 2017




Um histórico mantém-se, outro cai

Com um curioso jeito de coincidência poética, o Oriental recebeu no Campo Eng. Carlos Salema o clube frente ao qual inaugurou precisamente esse mesmo campo em termos oficiais já na longínqua data de 13 de Outubro de 1946 - nessa altura ainda com a denominação de CUF. Hoje, em tempos bem diferentes, foi com o nome de Fabril que esse conjunto se deslocou a Marvila para ser goleado sem apelo nem agravo e ainda garantir a manutenção do Oriental nos campeonatos nacionais.

Seria difícil encontrar um adversário historicamente tão próximo do clube grená para selar a partida que confirma a sua presença no CPP na próxima temporada numa partida controlada em todos os momentos pela equipa da casa que se adiantou no marcador ao minuto 26 por Henrique Gomes que retirou proveito com um potente remate cruzado de uma má recepção do lateral contrário, Rossano.

O Oriental ainda saiu para intervalo com uma diferença de dois golos nos últimos instantes da etapa inicial graças a um cruzamento tenso armado por Varudo desde a esquerda para o aparecimento de Victor Veloso, que se lançou sobre o esférico para atirar a contar. No segundo tempo, abertas que estavam as frechas na defesa do emblema proveniente do Barreiro, tudo se facilitou para os da casa que ampliaram o marcador aos 68 e 74 em lances de origem semelhante, passes objectivos a partir da direita, para remates de meia distância de Victor Veloso e Henrique.

Após esses dois tentos separados por seis minutos criados por passes do lateral direito João Oliveira e o suplente utilizado Álvaro Jaló, foi um outro elemento lançado a partir do banco a fechar o 5-0 final, mormente Sebastião Nogueira que sobre o minuto 90 correspondeu na pequena área a um bom esforço da figura do encontro, Victor Veloso, sobre a direita para cruzar rasteiro junto à linha de fundo. Manutenção garantida com mestria para o Oriental, contrastando com o Fabril que na próxima época deverá voltar a disputar a I Divisão Distrital da AF Setúbal.   

Campo Eng. Carlos Salema - Lisboa

ORIENTAL
22- Rafael Marques
2- João Oliveira
5- Abel Pereira
20- Daniel Almeida ©
13- João Varudo
26- João Vicente
6- Diogo Pires
16- André Faísca
(23- Álvaro Jaló, 65)
11- Victor Veloso
15- Joel
(14- Lucas, 83)
30- Henrique Gomes
(77- Sebastião Nogueira, 77)
Suplentes não Utilizados. 12- Mota, 18- Anderson Jesus, 19- Tiago Rente e 27- João Amorim
T: António Pereira

FABRIL
24- Leonardo Leichsenring
13- Adérito
19- Farinha
2- Luís Conceição
16- Rossano
(11 - Heta, int.)
5- Miguel Pimenta
7- Nuno Espanta ©
(17- Moisés, int.)
8- Ricardo Dâmaso
4- Tiago Correia
(9- Faduley Baía, 75)
3- Ayo Adeniran
20- Jair
Suplentes não Utilizados: 1- Diogo Ferreira, 10- Alex, 15- Manuel Lopes e 18- Yaqi He
T: Manuel Correia

Arbitragem: Rui Soares - Santarém
Disciplina: -.
Marcadores: Henrique Gomes (26 e 74), Victor Veloso (45+1 e 68) e Sebastião Nogueira (90)



Aperitivo para mais tarde… resolveu-se cedo

No primeiro de dois derbies realizados em casa do Sporting, ainda pela manhã foram os Iniciados a medir forças com os encarnados a apontarem dois golos na primeira dezena de minutos, adiantando-se logo ao minuto 7 através de um lançamento em profundidade para Paulo Bernardo e foi Eduardo Quaresma, que procurava o alívio, a desviar na direcção das suas próprias redes. Logo depois, aos 10, o 0-2 graças a novo passe para a rutura sobre os centrais leoninos gizado por Renato Matos que prolongou assim o pleno de vitórias do Benfica com quatro triunfos em outras tantas jornadas disputadas.


Academia Sporting (Alcochete) - Stadium Aurélio Pereira 

SPORTING
Diogo Almeida
José Galante
Eduardo Quaresma ©
Rodrigo Rego
Tiago Ferreira
Daniel Fernandes
Umaro Baldé
Gonçalo Batalha
Bruno Tavares
(Alexandre Lamy, 60)
Rodrigo Costa
(Tiago Tomás, 48)
Joelson Fernandes
(Francisco Conceição, int.)
T: Pedro Coelho

BENFICA
Samuel Soares
Renato Matos
Tomás Araújo
Rafael Brito ©
Guilherme Montóia
Famana Quizera
(Gabriel Araújo, 53)
Ronaldo Camará
Paulo Bernardo
Filipe Cruz
(Gerson Sousa, 65)
Fábio Silva
Henrique Pereira
T: Luís Nascimento

Arbitragem: Rui Rodrigues - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Famana Quizera (35), Tiago Ferreira (44), Samuel Soares (54), Daniel Rodrigues (62) e Tiago Tomás (69)
Marcador: Eduardo Quaresma (7, ag), Henrique Pereira (10)

Declarações

Luís Nascimento - treinador do Benfica

Resultado justo. Excelente 1ª parte da nossa parte e na 2ª parte nós fomos sempre perigosos na transição ofensiva.

sábado, 22 de abril de 2017






Honras de serão com um desafio disputado às 21 horas para dar por inaugurada a Fase de Apuramento de Campeão com o Oeiras a surgir como primeiro teste para um Benfica que desde logo impôs um resultado de 3-1; quatro golos separados por poucos minutos numa fase inicial de partida que sentenciou quaisquer esperanças da equipa da casa que não mais recuperou.



Estádio Municipal de Oeiras 

AD OEIRAS
Filipe Campina
Tomás Santos
Alexandre Barbas
Gonçalo Lucas
Baltazar Paisana
Tomás Rodrigues
(Gonçalo Medeiros, 64)
Guilherme Santos ©
Ricardo Pereira
(Vítor Barroso, int)
Pedro Aparício
Afonso Evangelista
(Bedel Mendes, 51)
Vasco Cardoso
T: João Cardeano

BENFICA
Celton Biai
Gabriel Castro
Gonçalo Loureiro
Francisco Saldanha
Nuno Tavares
Tiago Dantas ©
(Pedro Fonseca, 64)
Diogo Capitão
Ricardo Matos
(Rodrigo Conceição, 60)
Úmaro Embaló 
(André Ricardo, 60)
Miguel Nóbrega
Kevin Csoboth
T: Renato Paiva

Arbitragem: André Pereira - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Alexandre Barbas (24) e Vítor Barroso (41)
Marcadores: Guilherme Santos (16); Miguel Nóbrega (12), Ricardo Matos (14 e 21), Gabriel Castro (45, gp) e Rodrigo Conceição (75)

sexta-feira, 21 de abril de 2017



Gigante português entre...touros

Não muito distante de Portugal mas bem no seio das ’profundezas’ das divisões inferiores de Espanha existe também um futebolista de nacionalidade lusa, neste caso Carlos Ferreira, mais conhecido por Ferreirinha, que nas últimas semanas procedeu a uma curiosa mudança: deixou o campo pelado do Arcoense, emblema que disputa as competições distritais da AF Évora, para disputar a Tercera Divisón de Espanha (Grupo 14), também como titular indiscutível, no Jerez de Caballeros Cf, emblema sediado nas proximidades de Badajoz.

Um clube modesto, tal como o emblema que representava em Portugal, e que se distingue dos demais pelo facto de a sua sede social se situar… numa praça de touros à qual este gigante defesa central português de 31 anos que completou a sua formação no Benfica regressou depois de ter retornado ao clube da sua localidade natal, Arcos de Estremoz. Com efeito, Ferreirinha voltou a Espanha a um futebol e uma divisão que bem conhece visto que no passado havia representado o mesmo Jerez de Caballeros quando este clube se encontrava na divisão imediatamente acima.

Ferreirinha disputou assim a Tercera Nacional espanhola não apenas no Jerez como também pelo Extremadura mas também na divisão na qual actualmente se encontra ao serviço de Binéfar, Díter Zafra e Don Benito. No total, cumpre a sétima temporada nas divisões inferiores do país vizinho, contando em 2016/2017 com 22 partidas disputadas e três golos marcados até ao momento. O objectivo, esse, passará por fazer o Jerez regressar à Tercera Nacional na qual tanto clube quanto o próprio defensor já competiram num passado recente.

quinta-feira, 20 de abril de 2017



Alta de Lisboa - Khadime procura clube

Não parece facilitada a vida do jovem guarda-redes Khadime Ndiaye, que iniciou a temporada ao serviço do 1º Dezembro, clube que abandonou após não ter tido qualquer oportunidade de competir esta época devido a nunca ter conseguido ultrapassar a concorrência de João Manuel e Sandro Gomes, os dois guardiães utilizados em toda a temporada da turma de Sintra.

Em busca de espaço para jogar, o gigante guarda-redes senegalês optou pelo Alta de Lisboa, emblema que chegou a interessar-se pelos seus serviços e a ponderar a requisição do seu certificado a fim de o tornar reforço para as restantes jornadas da temporada na Pró-Nacional da AF Lisboa, na qual ocupa o segundo posto e ainda procura a subida ao CPP. No entanto, Khadime, de 20 anos, acabou por treinar no clube lisboeta durante uma semana, partindo em seguida sem ter chegado a acordo para completar as últimas semanas da época no futebol distrital.