sexta-feira, 23 de junho de 2017



Inglaterra - Portugueses em confronto na League Two

Tidos como desconhecidos em Portugal, ainda assim estiveram em confronto futebolistas de nacionalidade portuguesa na League Two, o profissional quarto escalão do futebol inglês e o último duelo directo passou pela visita do Wycombe Wanderers, onde alinha o lateral Sido Jombati, de 29 anos, ao Barnet FC, emblema no qual seguem o defesa central Ricardo Santos, de 21 anos e 1,96 metros de altura, que segue como titular indiscutível no emblema para o qual se transferiu na reabertura do mercado, em Janeiro, e Mauro Vilhete, extremo de 23 anos que contabilizou mais de 40 partidas disputadas.

Entre Campeonato e Taças a temporada de Vilhete (jogador em destaque na imagem) fez-se com três golos apontados. Os três portugueses mantiveram a titularidade na derrota caseira do Barnet frente ao Wycombe em mais uma jornada da League Two, o quarto escalão do futebol inglês, numa tarde de 2ª feira.

Apesar dos esforços dos dois lusos do Barnet, o emblema sediado nos arredores de Londres não conseguiu esconder as dificuldades que atravessa (encontrava-se nesse momento sem treinador) e evitar o desaire por 2-0. No entanto, apenas necessitava de alcançar um ponto nas três jornadas que restavam disputar para assegurar a manutenção nas Ligas profissionais inglesas e assim o fez.

quinta-feira, 22 de junho de 2017



Trabalho de Sandro chega à Índia.. e mais além

Está provado que a qualidade do profissional português extravasa a função de futebolista, transportando-se também a outras funções como a de técnico e até a especialidade do treino de guarda-redes e até mesmo essa função específica já merece atenção no mercado internacional e o jovem Sandro Pinto (terceiro na imagem a partir da esquerda) é disso exemplo.

Com apenas 21 anos, o jovem treinador vem deixando excelentes impressões ao serviço da Federação Indiana de Futebol, que o recrutou enquanto parte da equipa técnica liderada por Luís Norton de Matos e que juntou três adjuntos aos responsáveis técnicos já existentes num objectivo aliciante, passando por encaminhar o escalão sub-17 da Índia a uma participação condigna do país no próximo Mundial que por sinal se realiza em território indiano. Por esse motivo, a Federação do país não se tem negado a esforços e por esse motivo tem sido levado a cabo um estágio de cinco meses.

O mesmo concluir-se-á no final do mês e nele os juvenis indianos têm defrontado vários clubes e selecções do escalão. Parte do mesmo foi realizado na Cidade do Futebol, em Oeiras, e o Benfica foi um dos adversários colocados. Apesar da falta de experiência e de rodagem internacional, a selecção sub-17 da Índia tem reagido de forma extremamente positiva aos estímulos e desafios que lhes vão sendo colocados ao obterem resultados surpreendentemente positivos sendo que ainda na última semana os indianos conseguiram arrancar um 0-0 perante a bem mais apetrechada Sérvia.

Nessa partida de preparação realizada na Hungria a equipa indiana apresentou uma condição defensiva que colocou Sandro Pinto, responsável pela preparação dos guardiães, debaixo de um coro de elogios. Com efeito, o bom trabalho realizado pelo jovem especialista mantém-no valorizado perante outras ofertas que tem em carteira, nomeadamente a partir da Noruega, onde trabalha Pedro Espinha, chefe do departamento técnico de guarda-redes do Lyn e que gostaria de contar com os seus préstimos no seu leque de profissionais.

Também na Arábia Saudita o nome de Sandro e o trabalho de visível evolução que tem vindo a realizar com os guarda-redes que a Índia espera recolher desde os sub-17 para o seu futuro, Tamal Naskar, Sukhan Gill e Dheeraj Moirangthem, estará também bem referenciado e em Portugal o jovem técnico possui possibilidades em carteira, contando com o apreço de Emídio Júnior, actual treinador de guarda-redes do Nacional que estende a possibilidade de o jovem se juntar aos quadros da formação do clube madeirense.

Apesar do bom trabalho até ao momento realizado, é uma incógnita o futuro de Sandro Pinto que pode não ir a passar mesmo pela Índia ainda que pela frente possa vir a ter o Mundial sub-17, competição que lhe merece total atenção e o levou mesmo a ter realizado ainda em Portugal uma acção de formação junto dos seus guarda-redes ministrada por José Moreira, experiente guarda-redes do Estoril com quem mantém uma relação de proximidade e que é também confesso apreciador dos seus métodos de trabalho.

Após esse início de concentração ainda no nosso País, Sandro Miguel Pinto e restante comitiva liderada por Luís Norton de Matos partiu para o Leste europeu para disputar encontros de preparação e finalmente fixar-se em estágio nas instalações pertencentes à Real Federación Española de Fútbol, a Federação de Espanha.

Até ao final deste mês a equipa indiana treina-se e realiza alguns particulares entre eles um desafio já levado a cabo ante a Selecção Regional de Madrid em sub-17. Desta forma, a equipa técnica portuguesa espera ter reunido as bases necessárias para que a jovem equipa indiana possa competir de igual forma com os oponentes que terá pela frente no Mundial.

quarta-feira, 21 de junho de 2017




EMF Campeonato da Europa - João Paulo

Este será, sem sombra de dúvida, o jogador mais conhecido do grande público entre todos aqueles que representam Portugal no Europeu de MiniFootball, modalidade que pratica já depois de ter dado por terminada uma carreira profissional no Futebol de Onze que o levou a representar diversos clubes de primeiro escalão em Portugal e no estrangeiro e ter representado o nosso País ao nível das Selecções Nacionais jovens. João Paulo está também ciente da sua responsabilidade e pretende ser um exemplo.

Com efeito, o goleador participou nas três partidas realizadas por Portugal em Brno e esperava contribuir com a experiência que angariou em todo o tipo de competições como profissional. Acabou por fazê-lo, ao apontar o único tento apontado pela equipa nacional na competição, um golo que ainda trouxe expectativas de apuramento frente à Grécia. Antes de o fazer, o atacante deixou rasgados elogios às condições que a Associação Portuguesa de MiniFootball proporciona:

Antes do Europeu, esteve presente nos vários estágios realizados e sendo um jogador com experiência de profissionalismo ao ter representado clubes de Primeira Liga como Académica, União de Leiria ou Paços de Ferreira, como surgiu o MiniFootball numa vida já preenchida pelo futebol e como decorreu a inserção na modalidade?


Sim, quando jogamos futebol durante tantos anos ficamos sempre com aquele ‘bichinho’ e procuramos sempre de certa forma alimentar isso e pronto, decidi entrar na SuperLiga formando uma equipa de amigos também ex-jogadores e foi aí que entrámos na SuperLiga de Futebol de Sete. Pelo menos em relação a mim, a minha primeira vez no MiniFootball foi a participação no último Torneio Inter-Regiões e passei a estar nos estágios da Selecção Nacional e tem sido uma experiência nova.

Profissionalmente, a carreira no Futebol de Onze está terminada? O facto de estar presente e tão dedicado ao MiniFootball demonstra que actualmente o compromisso é total e semelhante ao dos restantes companheiros de Selecção para convencer o seleccionador de que a intenção passa por ajudar em provas com a importância do Europeu e levar Portugal a atingir os seus propósitos?


Julgo que a abordagem foi semelhante para todos no ponto de perguntarem se querem fazer parte deste projecto e quero fazer o meu melhor possível. Foi estendido a toda a gente, eu fui questionado e no meu caso sim, tenho a esperança de que este seja um bom momento para nós e estou dedicado a isto neste momento ao mesmo tempo que estou a trabalhar no Sindicato dos Jogadores. Terminei a minha carreira e agora estou com esta Selecção pronto a fazer o meu melhor como sempre fiz e também já faz parte da minha experiência de ter sido internacional e vamos lá.

Entende que essa experiência de profissional e as passagens mais comuns junto do adepto de futebol são determinantes? O João surge nesta modalidade juntamente com outros ex-futebolistas também já inseridos como o Pedro Oliveira, o Pedro Ribeiro, o Toni e até outros futebolistas profissionais em actividade que também praticam como o Rúben Ribeiro, o Bukia e outros jogadores do Boavista, o Arnold do Vit. Setúbal e futuramente, quem sabe, antigos internacionais como o Raúl Meireles ou o Bosingwa como recentemente o Pedro Oliveira frisou.


Esse aspecto poderá ser o próximo passo a dar, o mais importante para o desenvolvimento desta modalidade? O mediatismo dos jogadores profissionais ou mesmo daqueles que já abandonaram o profissionalismo é o primeiro passo que esta modalidade deve tomar para se promover e dar-se a conhecer ao restante público?

Sem dúvida de que estão a fazer um excelente trabalho e que estão no caminho certo. Como em tudo na vida, o mediatismo chama mais a atenção das pessoas e desse ponto de vista a atenção seria importante e uma mais-valia para a modalidade que esses jogadores pudessem de certa forma promovê-la, mas acredito que estão a fazer um bom trabalho, o crescimento também tem de ser sustentado, fazer as coisas bem, mas de facto o mediatismo, se as pessoas virem que estão a voltar a jogar futebol neste nível, provavelmente também ajudará a modalidade a crescer.

Tendo em conta essa experiência angariada no futebol profissional, os torneios já realizados e os treinos e jogos realizados com colegas que eventualmente pudesse não conhecer, até que ponto a equipa nacional poderia alimentar boas expectativas?

Temos sempre de pensar grande, tanto no futebol como na vida e no futebol muito mais não temos senão de pensar grande. Têm estado nos estágios e nas convocatórias os melhores de Portugal, os que acham serem melhores para representar o nome da Selecção Nacional, temos qualidade.

Temos também de entender um pouco o jogo pois em Portugal não é usual termos Futebol de Seis e é um desporto, uma modalidade que já está inserida há já alguns anos no crescimento dos nossos adversários e cabe-nos a nós num curto espaço de tempo aprender o jogo porque qualidade temos e valor em termos futebolísticos a Portugal não falta.

terça-feira, 20 de junho de 2017


Águia goleou e o leão festejou

Consagração para o Sporting com arrancada perfeita do Benfica: primeira jogada do jogo com erro dividido entre Tiago Simões e Gonçalo Costa, que atacaram a mesma bola com o lateral a cabecear para as suas próprias redes após cruzamento de Tiago Dantas aos 50 segundos de jogo.

Na 2ª parte em menos de 15 minutos a águia construiu a goleada: bis de Úmaro Embaló, aos 50 com recarga no interior da área após primeira tentativa de corte e aos 53 ao isolar-se após ser servido por Ricardo Matos que apontaria o 0-4 aos 63, ao segundo poste. Nos instantes finais, Embaló lançou Mamadou Koné para o 0-5.

Estádio Aurélio Pereira (Academia Sporting) - Alcochete

SPORTING
Tiago Simões
Rodrigo Vaza
João Goulart
Tiago Djaló
Gonçalo Costa
Bavikson Biai ©
Edmilson dos Santos
(Lisandro Tipote, 56)
Bernardo Sousa
Francisco Oliveira
(Sérgio Velosa, int.)
Tiago Rodrigues
Babacar Fati
(Nuno Sualehe, 64)
T: João Couto
4x3x3

BENFICA
Celton Biai
Luís Pinheiro
(Nuno Tavares, int.)
Gonçalo Loureiro
Francisco Saldanha
Mamadou Koné
Henrique Jocu
Diogo Capitão
(Gonçalo Ramos, int.)
Tiago Dantas ©
Rodrigo Conceição
(Nuno Cunha, 67)
Ricardo Matos
Úmaro Embaló
T. Renato Paiva
4x3x3

Arbitragem: Rui Rodrigues - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Luís Pinheiro (22), Edmilson dos Santos (47), Francisco Saldanha (51) e Mamadou Koné (80+3)
Marcadores: Gonçalo Costa (1, pb), Úmaro Embaló (50 e 53), Ricardo Matos (63) e Mamadou Koné (80+3)


Stumbras - Mais uma Casa Portuguesa, agora na Lituânia

Já são seis os futebolistas de nacionalidade portuguesa às ordens do também português Mariano Barreto e restante equipa técnica, uma vez que aos defesas André Almeida, André Silva e Jardel Nazaré, ao médio Fábio Lopes e ao avançado Bruno Pires, quinteto luso que já figurava no plantel que evolui na cidade de Kaunas, juntou-se ainda Agostinho Cá, médio que na sua formação chegou a ser tido como uma das grandes esperanças de uma geração do Sporting com vários craques da actualidade.

O potencial que o médio defensivo luso-guineense demonstrava levou o Barcelona a avançar pela sua contratação que devido às persistentes lesões nunca chegou a justificar-se, tendo terminado contrato. Livre de compromissos o centrocampista de 23 anos terá estado perto de reforçar o Parma, acabando por seguir a carreira no mais modesto futebol lituano onde o idioma português começa a ganhar uma expressão cada vez maior.



Últimos anulam-se na despedida

Final de temporada que ainda deixou algumas razões para sorrir para os dois últimos, com a penúltima classificada Académica a conseguir transformar em vantagem a desvantagem com que havia saído para intervalo graças à inspirada entrada de Paulinho, que entrou em campo para bisar e garantir…um ponto para a Briosa dado que nos instantes finais Bedel Mendes ainda resgatou uma igualdade que significou o primeiro (e único) ponto conquistado pelo último colocado Oeiras nesta Fase Final.

Estádio Municipal de Oeiras

OEIRAS
Filipe Campina
Diogo Marinho
Barbas
Lucas
Tomás Santos
Paisana
Costa
Pedro Aparício
(Afonso Evangelista, 71)
Guilherme Santos ©
Vasco Cardoso
Bedel Mendes
T: João Cardeano
3X4X3

ACADÉMICA
Pedro Francisco
João Pedro
André Pires
Zé Maria
David Vieira
PT
Vasco Martins
Dudu
Tamble ©
(Luís Rodrigues, 57)
João Rui
(Pedro Simão, 50)
Xavier
(Paulinho Ferreira, int.)
T: Rui Silva
4x3x3


Arbitragem: Rui Pedro Mendes - Santarém
Disciplina: cartão amarelo para Paisana (78), Costa (48), Bedel Mendes (52); João Pedro (52), Paulinho Ferreira (66)
Marcadores: Guilherme Santos (23) e Bedel Mendes (80+2); Paulinho Ferreira (49 e 64)

sexta-feira, 16 de junho de 2017




Com o criativo Bernardo Sousa a abrir e a fechar, o Sporting conseguiu o resultado de que necessitava, a vitória, ao golear em Coimbra a Académica para garantir assim a revalidação do título nacional de Juvenis.

ACADÉMICA
Diogo Sá
João Gonçalves
André Pires
(Dudu Simões, 56)
José Maria
Pedro Marques
Pedro Teixeira
Pedro Simão
Luís Rodrigues
Vasco
(João Rui, 65)
Pedrito
Tamble Monteiro
(Paulinho, 49)
T: Rui Silva

SPORTING
Filipe Semedo
Bernardo Prego
Rodrigo Vaza
João Goulart
Gonçalo Costa
(Ivo Cláudio, 61)
Bavikson Biai
Bernardo Sousa
(David Teixeira, 76)
Félix Correia
Bubacar Fati
Tiago Rodrigues
(Francisco Oliveira, 67)
Edmilson dos Santos
T: João Couto

Disciplina: cartão amarelo para Pedro Marques (49); expulsão para Rui Silva (45)
Marcadores: Pedro Marques (29); Bernardo Sousa (12 e 56), André Pires (42, pb) e Edmilson dos Santos (44)