sexta-feira, 30 de dezembro de 2016



Oriental - Tempo para equacionar um novo médio

Com a pausa no Campeonato de Portugal para a celebração das festividades (tanto o Natal como a Passagem de Ano decorrerão em fins-de-semana consecutivos), a acção nessa prova apenas regressará no próximo dia 8 de Janeiro, o que oferece aos conjuntos a competir nesse escalão a possibilidade de equacionar o eventual reforço dos respectivos plantéis e poderá ser esse o caso do Oriental que no Domingo passado se reencontrou com o rumo das vitórias após uma série de resultados pouco positivos.

Com efeito, após a saída de Leonel Correia, que abandonou o grupo por sua iniciativa para reforçar o 1º Dezembro, o clube lisboeta vem estudando a possibilidade de recrutar mais uma unidade para o seu meio-campo muito embora as opções existentes ofereçam garantias e polivalência capaz de garantir a ocupação dos três postos na intermediária: Tiago Mota, Diogo Pires, Pedro Mendes, André Faísca e João Santos.

Em último caso, também nos Juniores se encontram ainda de ’reserva’ os jovens Ricardo Mitchell, Chico Teixeira e David Freire. De toda a forma, com o mercado no CPP sempre aberto, o emblema que alinha no Campo Eng. Carlos Salema não enjeitará avançar para uma incorporação caso se depare com uma oportunidade de negócio vantajosa.     

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Diogo Taborda/ Clube Oriental de Lisboa - Página Oficial



Martins ainda sem vitórias

À primeira vista, a contratação de José Martins para o comando técnico dos Juniores pareceria estar apontada para o futuro. Após ter iniciado a temporada a treinar uma equipa sénior, o 1o Dezembro, emblema do qual foi afastado em finais de Setembro, José Martins encontra-se de novo do activo e aos comandos de um dos adversários do clube de Sintra.

Contudo, ao invés de orientar a equipa sénior o técnico de 49 anos assumiu o plantel de Juniores do clube, igualmente aliciante por disputar a I Divisão Nacional da categoria, procurando agora a primeira vitória ao serviço da nova equipa.

Recorde-se que o treinador havia abandonado o 1o Dezembro sem ter conquistado qualquer vitória no CPP, percurso claramente contrastante com a carreira na Taça de Portugal ao ter vencido os dois encontros em que participou (já era Hugo Martins o técnico na eliminatória ante o Benfica).

Agora em Loures, a sua meta passará por assegurar a manutenção no Nacional de Juniores, onde soma apenas por empates e derrotas todos os encontros já disputados, tendo defrontado na passada 5a feira o Benfica no Seixal, onde sofreu uma goleada de 6-1. Após mais este (esperado) desaire, a equipa preto e amarela esperará reencontrar-se com as vitórias o mais rapidamente possível, sob pena de ver a situação complicar-se para todos os intervenientes.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016




Oriental - João Valério espreita estreia

Um dos pontos de interesse da 14ª jornada na Série G do CPP passou pelo histórico derby lisboeta que se disputou...em Sintra devido às dificuldades do Atlético SAD que desde o início da temporada não possui casa própria para jogar enquanto visitado.

Talvez tenha sido muito devido à fragilidade demonstrada pela equipa do Atlético até essa altura (11 derrotas em 13 encontros) que o seu vizinho e rival histórico, o Oriental, optou após uma goleada por 6-1 no encontro relativo à primeira volta por estrear no seu lote de convocados o jovem guarda-redes João Valério, de 19 anos.

Tendo em conta que a chamada de Valério se deveu a uma opção técnica - é Rafael Marques, que se encontra fisicamente disponível, quem habitualmente faz parte da lista - poderia inclusivamente pensar-se que estaria guardada para o promissor guardião a sua estreia oficial ( e como sénior), promovendo-se assim uma momentânea rotação com o habitual dono das redes orientalistas, Mota. Acabou no entanto por tal não acontecer. De qualquer forma, o jovem guardião continua a trabalhar diariamente, podendo vir a ter a sua oportunidade a qualquer momento.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Diogo Taborda/Clube Oriental de Lisboa - Página Oficial

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016



1º Dezembro - Jovem Sanele será reforço defensivo

O final do mês de Outubro acabou por ser muito proveitoso para o 1º Dezembro que desde a KZN Academy, da África do Sul, recebeu dois reforços que inicialmente chegaram para um período experimental mas depressa convenceram os responsáveis pelo clube, tendo inicialmente integrado o seu escalão etário, o plantel de Juniores, no qual depressa deixaram mostras da sua qualidade, o que os levou a ser integrados na primeira equipa - o primeiro a ter a oportunidade de se estrear na Série G do CPP foi mesmo o avançado Romário Morris, que foi já utilizado em três desafios.

O avançado deve em breve ser acompanhado por Sanele Bongakoke Nene, um internacional sub-17 sul-africano que mereceu já a confiança de Hugo Martins para duas convocatórias, não tendo ainda saído do banco de suplentes para realizar a sua estreia oficial.

No entanto, e em virtude da paragem no Campeonato para a celebração das Festividades, a próxima jornada encontra-se agendada para 8 de Janeiro e coloca-se como uma provável data para a estreia para Sanele Nele, versátil atleta de 18 anos que desempenha funções como defesa central ou médio defensivo que assim poderá alcançar os seus primeiros minutos de competição inserido no futebol sénior. 

terça-feira, 27 de dezembro de 2016





Oriental - Faltam 3 opções



Realizou-se o Derby lisboeta sem 3 opções, um desafio dotado de uma longa história no seio do futebol português e disputado entre Atlético e Oriental; encontra-se agora num outro capítulo depois de ambos os conjuntos terem sido despromovidos da Ledman LigaPro - foi curiosamente o Oriental quem sentenciou a descida do rival lisboeta na última jornada da edição transacta da competição. Desde esse momento muita coisa mudou e ambos os conjuntos procuram voltar a viver melhores dias.

É de qualquer forma o Atlético, representado na Série G do CPP apenas pela SAD que detém os direitos desportivos, quem vive uma situação mais deficitária, passando por problemas administrativos (Clube em conflito com o SAD), financeiro (relatos de salários em atraso) e essencialmente desportivos (afundado no último lugar). No entanto, o emblema de Marvila passava por uma fase também difícil e que vem passando estritamente pela ausência de resultados sendo que o técnico contratado já no decorrer do Campeonato, António Pereira, ainda buscava pelo primeiro triunfo.

Tendo em conta a fragilidade até ao momento demonstrada pelo Atlético SAD, que perdeu 11 das 13 jornadas que havia disputado e foi goleado por 6-1 na 1ª volta, disputada no Campo Eng. Carlos Salema, o favoritismo parecia indiciar que seria este o momento do conjunto grená regressar aos triunfos, contando para isso com um número cada vez maior de opções visto que o departamento médico se encontra cada vez mais descongestionado.

O resultado final haveria de corresponder ao que se esperava com uma goleada já pouco usual neste tipo de competições, um 0-8 que moraliza o Oriental que com efeito, procurará dar seguimento a esse resultado no regresso da competição oficial no CPP, marcado para 8 de Janeiro, data na qual receberá o Barreirense e na qual esperará ter recuperados tantos quantos possível entre aqueles que têm estado fora das opções para estes últimos Domingos de futebol: 

O Oriental possui apenas três elementos lesionados, o lateral direito João Amorim e o ponta-de-lança Peter Caraballo, que recuperam de lesões prolongadas, e o lateral esquerdo João Vicente, sendo que é este último quem mais perto se encontra do completo restabelecimento físico. Três 'reforços de Inverno' que o emblema de Marvila não enjeitará receber tão cedo quanto a recuperação de cada um o permitir.

Texto: Rafael Batista Reis

Imagem: Diogo Taborda/Clube Oriental de Lisboa - página oficial

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016



1º Dezembro - Ascensão meteórica de Romario

Já muito afastado da luta pela subida à Ledman LigaPro, restando-lhe capitalizar o máximo de pontos possíveis para alcançar de uma forma tão breve quanto possível no CPP, o 1º Dezembro vem utilizando um leque de futebolistas no qual se destaca a juventude e onde tem criado sensação o nome de Romario (e não Romário) Morris, atacante ainda com idade júnior que tem vindo a ’queimar etapas’ devido ao enorme potencial que tem demonstrado junto do técnico da equipa principal, Hugo Martins, e respectiva equipa técnica.

Não precisou de muito tempo de adaptação o jovem avançado de apenas 18 anos que chegou a Portugal já com a temporada em andamento, no decorrer de Outubro, inicialmente para reforçar o plantel de Juniores depois de ter chamado a atenção ainda no seu país natal, a África do Sul, ao serviço da KZN Academy junto da qual o emblema de Sintra promoveu a sua chegada que depressa passou de um período experimental a uma presença efectiva nos trabalhos da equipa principal.

É precisamente na primeira equipa que Romario Preston Morris vem competindo, tendo alinhado nas últimas duas jornadas, derrota no terreno do Sacavenense e um empate frente ao Casa Pia, somando até essa altura 8 minutos oficiais numa candidatura cada vez mais reforçada a ver aumentada a sua participação, o que sucedeu logo na deslocação seguinte e deverá ter continuidade já no regresso da competição na Série G do CPP, agendado para o dia 8 de Janeiro..

sábado, 24 de dezembro de 2016





Atlético - Diogo Branco reforça o grupo

A competição mantêm-se complicada para o Atlético SAD que para além de não ter conseguido juntar mais pontos aos 2 que conseguiu somar até agora ainda foi derrotado por um dos rivais directos na luta pela manutenção, o Barreirense, ainda foi copiosamente goleado pelo vizinho Oriental.

Como tal, mantém-se firme a vontade dos responsáveis do clube lisboeta em continuar a garantir reforços para o plantel que semana após semana se vem debatendo com várias limitações que impedem que a cada encontro o Atlético tenha sequer a possibilidade de efectuar as três substituições tão habituais em qualquer partida de futebol.

A mais recente novidade no grupo passa mesmo por Diogo Branco, atleta de 19 anos que faz já parte das contas do técnico Nuno Guia e se assume assim como mais uma opção após ter iniciado a temporada no Mafra, conjunto que disputa igualmente o CPP mas a Série F mas onde o jogador não chegou sequer a ser utilizado.

Por esse motivo, Diogo Branco optou pela saída e assim fortalecer o sector defensivo do Atlético SAD, oferecendo a possibilidade de desempenhar as funções de defesa central e médio defensivo num conjunto que procura melhorar consideravelmente a sua performance defensiva (pior defesa da sua Série com 47 golos sofridos em 14 jornadas disputadas.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016



Ano termina com sorrisos no Oriental

Vários dos melhores lances do Oriental esta época têm chegado com um dos capitães da equipa, Tiago Mota, que tem sido um dos pontos de destaque não apenas pelo que tem jogado mas pelo trabalho de motivar o grupo que tem realizado fora dele como deixou expresso na opinião que deixou no último insucesso da equipa, um empate caseiro ante o At. Malveira.

Após essa oportunidade de vencer desperdiçada, o médio que em várias ocasiões alinhou, e com sucesso, como lateral direito, deu conta de um “resultado injusto e infeliz. Com os maus resultados e a infelicidade não é fácil, é normal que os nossos adeptos estejam tristes pois os resultados alcançados não são os que desejávamos mas deixo uma mensagem de muito trabalho e dedicação nos treinos e nos jogos.”

Também o técnico adjunto do Oriental, Carlos Pereira, considerou ter na altura assistido a “um jogo claramente de sentido único. A gestão das emoções deve ser feita com trabalho,” prevendo uma rápida reabilitação da turma lisboeta de regresso aos melhores resultados. Não demorou muito até ter visto estas suas palavras colocadas em prática visto que apenas uma semana depois a equipa encontrou na deslocação à casa emprestada do Atlético SAD o momento de se reencontrar com os triunfos… e de que maneira.

Com uma goleada por números raramente vistos no Campeonato de Portugal, 8-0 sobre o vizinho lisboeta, o Oriental parece ter entrado na pausa de duas semanas (celebração de Natal e Ano Novo) restabelecido em termos desportivos e emocionais, o que poderá fazer a diferença no regresso à competição, agendado para o dia 8 e no qual o clube de Marvila retornará ao convívio dos seus adeptos para receber o Barreirense. Nessa altura se perceberá se o Oriental está mesmo reabilitado para o que falta disputar esta temporada, a Série de Manutenção no CPP.  

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Diogo Taborda/Clube Oriental de Lisboa

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016




Apenas uma questão de números

Na jornada que antecedia a interrupção para a celebração do Natal e Ano Novo, no Caixa Futebol Campus decorreu uma partida sem grande história; ou melhor, uma história que parecia já contada devido às acentuadas diferenças entre o Benfica, uma das crónicas candidatas ao título nacional da categoria mesmo com algumas alterações na sua equipa titular, e o Loures, conjunto que luta pela manutenção no Nacional de Juniores, que se encontrava privado de seis opções e todas elas por lesão (para cúmulo, Eury Bento encontrava-se ainda castigado).

Para fazer face a todas essas ausências, a equipa visitante apresentou quatro atletas Juvenis no seu alinhamento titular com dois deles a formar a dupla de centrais num sector recuado completamente reformulado em relação ao habitual no Loures que cedo demonstrou ser capaz de criar oposição à equipa encarnada que saiu para intervalo a vencer por 3-0 sem qualquer dificuldade e dividiu o protagonismo pelos atacantes David Tavares, que conquistou e converteu a grande penalidade que resultou no 2-0, Mesaque Dju, que apontou os terceiro e quarto tentos da equipa, e uma estreia.

Também o polaco Przemyslaw ’Maciel’, ponta-de-lança emprestado ao Benfica pelo Lechia Gdansk, teve a oportunidade de se estrear oficialmente e logo com dois tentos apontados, uma recarga a uma defesa incompleta do guardião Júnior Ferreira e a conversão de uma grande penalidade. Perto do final, os visitantes ainda diminuíram o prejuízo com uma atempada recarga de João Paz a uma primeira defesa de Daniel Azevedo que largou um primeiro remate flectido a partir do exterior da área - 6-1 final. 


Caixa Futebol Campus - campo nº1 - Seixal

BENFICA
1- Daniel Azevedo ©
2- Diogo Cabral
3- Jorge Silva
4- Nuno Gonçalves
5- Ricardo Mangas
6- Diogo Mendes
8- Gedson Fernandes
(16- Zidane Banjaqui, 81)
10- Diogo Pinto
(15- Bruno Lourenço, 71)
7- Tiago Dias
9- Mesaque Dju
11 - David Tavares
(17- Przemyslaw ‘Maciel’, 66)
Suplentes não Utilizados: 12- Diogo Garrido, 13- Rodrigo Borges, 14- Jorginho Araújo e 18- Abduramane Sani
Treinador: João Tralhão
4x3x3

LOURES
1- Júnior Ferreira
2- Miguel Rosado
3- Rafael Marques
26- Telmo Cunha
19- Leonardo Oliveira
(5- Ivo Costa, 65)
13- Gonçalo Vieira
6- Tiago Santos
21- Rafa Cardoso
(8- João Paz, int.)
10- Janeca Carmo
(9- João Santos, 72)
14- Diogo Macedo
7- Fred Ferreira ©
Suplentes não Utilizados: 25- João Cabrita, 11- João Costa, 17- Danilo Carvalho e 24- Mada Pereira
Treinador: José Martins
4x4x2

Arbitragem: Hugo Silva - Santarém
Disciplina: -.
Marcadores: Diogo Pinto (14), David Tavares (28, pen), Mesaque Dju (32 e 63) e Przemyslaw ’Maciel’ (73 e 84 pen); João Paz (89) 



Real em posição privilegiada, mas ninguém ‘levantará o pé’

Há cerca de duas semanas, após a conclusão do Real vs Sacavenense, a equipa da casa, líder da prova, colocou-se numa posição ainda mais privilegiada para assegurar um dos dois lugares de acesso à Série Sul de Subida à Ledman LigaPro face ao triunfo por 2-1 conseguido muito pelo mérito do defensor Matheus Costa, que bisou e instantes após o apito final se mostrava “agradecido à equipa, que lutou até ao final. Ainda assim, a nossa tarefa não ficou mais fácil," antes de antever a eliminatória da Taça de Portugal frente ao Benfica (derrota por 3-0) ao indicar que "não estamos nervosos, a equipa está tranquila.”

Já o treinador do conjunto de Massamá/Queluz, Filipe Martins, descrevia que “a minha opinião é a de que o resultado é justo. Esta vitória foi muito importante e não digo que o apuramento para a Fase de Subida já esteja feito.” Uma realidade evidente, muito embora pareça, à entrada para uma interrupção de duas semanas devido às festividades, que esse objectivo será apenas uma questão de tempo.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Real Sport Clube / Página Oficial

terça-feira, 20 de dezembro de 2016





Uma estreia… seis bolas no travessão e uma derrota

Disputado há pouco mais de uma semana, o Oriental vs Atlético da Malveira, pela Série G do CPP, acabou por ficar marcado por factos diferenciados: primeiramente pelo empate final, depois por constituir a estreia do novo técnico da equipa visitante, José Rodrigues Dias, e por ter em 90 minutos de jogo produzido um total de… seis remates travados pelos ferros, algo de certamente pouco usual pelo Mundo fora.

Todos esses pontos de realce foram comentados no final do encontro por Rodrigues Dias, técnico que se estreou pelo At. Malveira com um resultado auspicioso apesar de não se ter traduzido numa vitória, tendo expressado que “foi o jogo possível com o resultado possível, que não me agrada mas o futebol é mesmo assim, saber sofrer. Cada jogo é um jogo e só posso prometer trabalho, vamos procurar reforçar-nos dentro das nossas limitações,” seguido pelo capitão da equipa de Malveira, Gonçalo que reconheceu que “sabíamos que ia ser um jogo difícil.”

“Foi importante termos tido espírito de equipa,” concluiu o médio do At. Malveira que no entanto na jornada seguinte não foi capaz de repetir o promissor resultado alcançado em Marvila com a sua equipa a ter sido derrotada em sua casa, o Estádio das Seixas, pelo 1º Dezembro.

Texto: Rafael Batista Reis

Imagem: Diogo Taborda/ Clube Oriental de Lisboa - Página Oficial

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016




Um golo a abrir a 2ª parte numa finalização ‘a meias’ entre João Olavo e o marcador do primeiro golo do Sacavenense, Herlander, quase garantia um ponto ao Sintrense num confronto que valia a disputa pela segunda posição da Série; acabou por traduzir-se num desafio em que ambos contestaram o trabalho da arbitragem (três expulsões) e no fim de contas numa ultrapassagem, com os da casa a vencerem com um golo obtido nos instantes finais e a conseguirem dessa forma destronar o seu rival pela vice-liderança que garante acesso à Série Sul de Subida.

Estádio do SG Sacavenense – Sacavém

SACAVENENSE
Hugo Cardoso
Bebé
(Janu, 68)
Yannick
Duque ©
Dinamite
(Léo, 86)
Nuno Borges
Carlos Saavedra
Fábio Arcanjo
Fábio Horta
Tiago Santos
(Diogo Oliveira, 90+7)
Herlander Tomé
Treinador: Tuck

SINTRENSE
Rodolfo
Pedro Caipiro
João Afonso
Valter Viegas ©
Vítor Sanches
André Ceitil
(Daniel Silva, 90+6)
Hugo Pina
(Sandro Silva, 90+4)
Filipe Pipas
Rui Monteiro
Iaquinta Fati
(Manuel Liz, 68)
João Olavo
Treinador: Luís Loureiro

Arbitragem: Rui Filipe Soares - Santarém
Disciplina: cartão amarelo para Tiago Santos (37), Iaquinta Fati (42), João Olavo (52 e 59), Rodolfo (87) e Hugo Cardoso (90+7); cartão vermelho para Nuno Borges (49, expulsão directa), Filipe Pipas (49, expulsão directa) e João Olavo (59, por acumulação)
Marcadores: Herlander Tomé (11) e Diogo Duque (90+5); João Olavo (53)

domingo, 18 de dezembro de 2016




Real – Marcos Pereira prossegue recuperação

Os líderes na Série G do CPP representam para já um derby da região de Sintra que se transformou num confronto pela liderança com o vice-líder Sintrense na perseguição ao líder da prova desde há algumas jornadas a esta parte, o Real SC, no que tem sido uma exigente semana e meia de competição para estes últimos que na procura de manter a sua condição não contam ainda com o seu plantel completo, sendo que um dos guarda-redes que chegou a deter a titularidade na época passada, Marcos Pereira, prossegue a sua recuperação.

Após ter contraído uma grave lesão ainda no decorrer da temporada transacta o guardião de 22 anos continua a debelar o seu problema, tendo após uma cirurgia passado a cumprir um plano de recuperação na Clínica do Lambert, em Lisboa, especializada em Medicina Desportiva, na qual continuará a trabalhar nas próximas semanas no intuito de se recolocar o mais rapidamente possível entre as opções do técnico Filipe Martins e intrometer-se na disputa pela titularidade com Filipe Mendes, que tem dominado o posto desde o início da temporada.

sábado, 17 de dezembro de 2016





A primeira parte não poderia ser mais dividida com o Benfica B a viver algumas situações de apuro mercê de um jogo constantemente lateralizado e de cariz perigoso por parte do Sporting B sendo que a partir do minuto 20 a equipa da casa passou a estar em crescendo ganhando mesmo supremacia com uma constante movimentação que conduziu a uma boa tentativa de meia distância de Gilson Costa bem travada pelo guardião Pedro Silva.

A segunda parte acabou por ser de maior controlo por parte de ambos os conjuntos com o golo a ter ficado mais próximo já nos 25 minutos finais, fase em que tanto os jogadores de Benfica B como Sporting B colocaram em atenção os inspirados guarda-redes, especialmente os leões que quase abriram a contagem na etapa derradeira na tentativa de decidir um resultado que teimosamente se manteria em branco.

Assim mesmo se fecharia um derby resultante de muito esforço mas pouco rasgo e a punir dois rivais que prolongaram a sua agonia e o prolongamento da espera até voltar a ver-se nova vitória para qualquer um dos dois..

Caixa Futebol Campus (campo n1) - Seixal

BENFICA B
86- André Ferreira71- Alan Benítez(94- Buta, 80)66- Rúben Dias (c)16- Branimir Kalaica60- Pedro Amaral88- Pepê Rodrigues55- Gilson Costa(91- Heriberto Tavares, 58)88- Dálcio Gomes90- João Carvalho84- Diogo Gonçalves79- Zé Gomes(35- Luka Jovic, 76)
Suplentes não Utilizados: 98- Fábio Duarte, 61- Florentino Luís, 79- João Félix e 97- Francisco Ferreira
T: Hélder Cristóvão
4x3x3

SPORTING B
82- Pedro Silva58- Mauro Riquicho (c)41- Kiki Kouyaté64- Ivanildo Fernandes49- Pedro Empis79- Ricardo Guima68- Bubacar(86- Budag, 64)43- Delgado67- Aouacheria70- Ronaldo85- David Sualehe(97- Jovane Cabral, 69)
Suplentes não Utilizados: 88- Vladimir Stojkovic, 40- Fidel Escobar, 61- Luís Elói, 78- Edu e 90- Leonardo
T: João de Deus
4x3x3

Arbitragem: Hélder Malheiro (árbitro principal), Rui Cidade (árbitros auxiliares) - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Pedro Empis (31), Branimir Kalaica (73), Mauro Riquicho (87)
Marcadores : -.



sexta-feira, 16 de dezembro de 2016




Jogo grande na 14ª jornada da Serie G do CPP com o 3º classificado Sacavenense a receber o 2º, o Sintrense. No lado dos visitados, logo após o desaire na anterior jornada perante o líder Real o capitão de equipa Diogo Duque considerava que “o futebol é assim. Estes dois golos não abaterão a confiança da equipa, de todo, e apesar de tudo sobem duas equipas à fase seguinte.”

As palavras de Duque foram ainda suportadas pelo seu treinador, Tuck, que considerou o anterior desafio “uma excelente propaganda para o futebol e para o CPP. Estes dois golos sofridos não afectam a nossa caminhada” que ainda terá pela frente várias jornadas até ao final desta Série, sendo que a próxima será vital para que possivelmente uma das equipas possa ganhar alguma supremacia.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016



Final de uma Real semana louca

O programa do Real era já conhecido de todos: em contagem decrescente para a recepção ao tricampeão nacional Benfica, o também líder do seu Campeonato, a Série G do CPP, agendou uma preparação especial tendo em vista uma semana igualmente especial com destaque para o desafio ante os encarnados realizado nesta 4º feira no Estádio do Restelo. Assim, o emblema de Massamá/Queluz/Monte Abraão começou por defrontar o Sacavenense, 2º classificado, este Sábado pelas 15 horas. Após o confronto de líderes a contar para o Campeonato, o Real teve uma única folga até ao desafio com as águias.

A partir daí o emblema dos arredores de Sintra deu início a uma preparação ininterrupta que teve seguimento na 2ª e 3ª feira com treinos diários a realizar pelas 10h, sendo que ainda na 3ª feira se realizou uma conferência de imprensa na qual o técnico Filipe Martins fez a antevisão ao desafio que colocou o Real SC debaixo de todas as atenções ao enfrentar um ’grande’ como corolário de um percurso a todos os títulos notável na corrente edição da Taça de Portugal, agendada para as 12h15 desse dia.

Após a eliminação da Taça perante o Benfica, o emblema de Queluz/Monte Abraão finaliza esta louca semana com uma também complicada deslocação ao terreno do 5º classificado da Série G, o Casa Pia, que apesar do atraso pontual para a concorrência possui ainda intactas as suas esperanças de apuramento para a Série Sul de Subida. Há semanas assim...  

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016



Leonel em troca de rivais

Uma das várias contratações do Oriental no início da temporada, Leonel Correia acabou por não encontrar a utilização que desejava nem mesmo com o técnico que iniciou a temporada, Paulo Mendes, que ao ter abandonado o clube levou-o também a decidir-se pela saída, não tendo sequer chegado a trabalhar com o seu substituto, António Pereira, pois preferiu procurar outra solução para a sua carreira, acabando no fim de contas por não viajar para longe nem tão pouco para outro Campeonato.

Com efeito, o médio ofensivo de 27 anos que havia chegado a Marvila após uma temporada como titular indiscutível ao serviço do At. Malveira apenas havia disputado 10 desafios divididos entre 7 rondas do CPP e 3 eliminatórias da Taça de Portugal e mudou-se precisamente para um dos rivais da turma lisboeta e colocado numa posição muito próxima na tabela classificativa, o 1º Dezembro, conjunto no qual parece de imediato ter conquistado o seu lugar ao ter este Domingo somado o seu terceiro encontro, e logo como titular.

Leonel participou nas duas últimas derrotas da equipa de Sintra, em casa no derby ante o Sintrense (0-1) e no reduto do Sacavenense (1-3), e no empate perante o Casa Pia, disputando mesmo a totalidade das três partidas após ter efectuado o seu último encontro pelo Oriental jogando a tempo inteiro frente… ao mesmo 1º Dezembro que poucos dias depois haveria mesmo de reforçar.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Clube Oriental de Lisboa /Página Oficial 


Casimiro deixou o Real SC rumo ao Barreirense

No dia em que recebe o Benfica pela Taça de Portugal, as atenções do Real SC estão completamente direccionadas para esse momento que se apresenta como o mais importante das carreiras do grupo de trabalho do emblema da zona de Sintra que nos dias antecedentes procedeu a alguns reajustamentos no seu plantel de forma a colocar os futebolistas que não vêm tendo tantas oportunidades de alinhar tanto na Série G do CPP como na própria Taça.

Assim, o Real recentemente viu confirmada a saída de Rúben Casimiro, um dos futebolistas que há mais anos se encontrava no plantel mas que apesar da relevância que sempre deteve no balneário do Real procurou um novo rumo no qual pudesse competir com regularidade.

Com efeito, o lateral esquerdo de 23 anos (pode também jogar como defesa central, a posição na qual se formou, e médio defensivo) apenas havia disputado 5 partidas no CPP e 2 na Taça na corrente temporada, manifestamente pouco para as suas aspirações, o que o levou a procurar a saída para um clube que curiosamente disputa a mesma Série, o Barreirense.

Envolvido na luta pela fuga aos postos de despromoção, o clube do Barreiro desde logo lhe ofereceu um lugar como titular na lateral esquerda numa jornada na qual Casimiro disputou os 90 minutos na derrota caseira frente ao Casa Pia (0-1).

terça-feira, 13 de dezembro de 2016




Nem uma expulsão na 2a parte impediu o Sintrense de conseguir alcançar a vice-liderança da Série G com uma vitória em casa de outro candidato, o Loures.

Campo José da Silva Faria - Loures
LOURES
André Marques
Paulinho
Ivo Dias
João Rocha
(Ivo Miranda, 32)
André Pires
(Rui Batalha, 70)
Serifo Djaló
(Javi Yuan, 81)
João Job (c)
Joel Neves
Jacinto Monteiro
Sérgio Nogueira
André Frias
T: Luís Silva

SINTRENSE
Rodolfo
Pedro Caipiro
João Afonso
Valter Viegas (c)
Vitor Sanches
André Ceitil
Pipas
(Leandro Jacinto, 65)
Rui Monteiro
Bassalia Ouattara
João Olavo
 (Filipe Gaspar, 87)
Iaquinta Fati
(Daniel Silva, 90+3)
T: Luís Loureiro

Arbitragem: André Pereira - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para João Rocha (23) e Jacinto Monteiro (90+1); Vítor Sanches (45), Pedro Caipiro (68); cartão vermelho para Bassalia Ouattara (78, expulsão directa)
Marcador: Iaquinta Fati (10)

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Sport Grupo Sintrense SAD/Página Oficial



Antes de um golo para cada lado e um empate que não favorece nenhum dos dois, Oriental e Atlético da Malveira revelaram uma estranha e inaudita tendência pelos...ferros, nos quais acertaram por seis ocasiões. Poderia ter sido uma enxurrada de golos...


Campo Eng. Carlos Salema - Lisboa

ORIENTAL
12- Mota
2- João Oliveira
44- Hugo Grilo
20- Daniel Almeida (c)
13- João Varudo
7- Tiago Mota
16- André Faísca
18- Pedro Mendes
(19- Tiago Rente, 70)
30- Henrique Gomes
(14- Luís Lucas, 78)
11- Victor Veloso
77- Sebas Nogueira
(´10- João Santos, int.)
Suplentes não Utilizados: 22- Rafael Marques, 7- Dong Wang, 17- Xiao Yufeng e 50- Márcio Matchona
T: António Pereira

AT. MALVEIRA
13- Adolfo Leite
(1- Fred, 26)
4- Fábio Charrua
25- Pedro Pedroso
24- Natalino Silva
22- David Amaro
8- Hilário
10- Gonçalo (c)
2- Tomás
16- Bruno Mendonça
(6- Daniel Nunes, 85)
7- Miguel Lopes
14- Bruno País
(11- Jackson, 66)
Suplentes não Utilizados: 3- Migas Duarte, 21- Adélcio Varela, 17- Daniel Bacan e 19- Luther
T: José Rodrigues Dias

Arbitragem: Paulo Sérgio Barradas - Setúbal
cartão amarelo para Daniel Almeida (71), João Varudo (82) e Tiago Rente (90+3); Pedro Pedroso (76), Gonçalo (84) e Fred (90+3)
Marcadores: Miguel Lopes (64); André Faísca (83)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016




Desafio com um denominador comum em todos os golos, em especial os dois que valeram a vitória ao Real, ambos de cabeça a decidir um aliciante despique entre o líder e o vice-líder da Série G, conferindo agora uma vantagem muitíssimo confortável para o emblema da região de Sintra.

Complexo Desportivo do Real SC - Monte Abraão

REAL
24- Filipe Mendes
3- Jorge Bernardo
22- Matheus Costa
25- Nuno Tomás
16- Matheus Leal
23- Thabo Cele
6- Rúben Marques ©
14- Sabry Oliveira
(18- Brash Brampoque, 60)
11- Luís Mota
(15- Ivan Dias, 90)
11- Nélson Mendes
(9- Érico Castro, 69)
8- Guti Almada
T: Filipe Martins

SACAVENENSE
30- Hugo Cardoso
13- Bebé Batalha
(4- Diogo Oliveira, 78)
5- Yaka Medina
25- Diogo Duque ©
29- Dinamite
7- Fábio Horta
19- Carlos Saavedra
(16- Léo Mofreita, 85)
17- Nuno Borges
8- Fábio Arcanjo
(9- Janu Silva, 66)
15- Herlander Tomé
23- Tiago Santos
T: Tuck

Arbitragem: José Quitério Almeida - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Matheus Leal (41), Diogo Duque (45), Jorge Bernardo (71), Rúben Marques (77) e Dinamite (84)
Marcadores: Matheus Costa (42 e 52); Nuno Borges (21, gp)

domingo, 11 de dezembro de 2016



Encarar Módicus como a UEFA Futsal Cup

Ainda há cerca de duas semanas, bastavam 12 golos a um leão que queria mais, que para pelo menos igualar o adversário com que discutia o lugar de acesso à Final Four, o Dynamo, encontrava-se obrigado a apontar uma enorme quantidade de golos que acabou por não ser problemática para o Sporting.

Passado esse tempo, a Liga Sport Zone oferece desafio semelhante com a visita da grande ensação da época até ao momento, o Módicus Sandim, frente ao qual os verde-e-brancos esperarão reeditar a sua melhor entrada possível da mesma forma que o leão se adiantou frente aos romenos do City’US Targu Mures, tirando proveito da qualidade de remate e em especial da sua meia distância para atirar para golos através de solicitações e até mesmo após primeiros ressaltos ou remates travados.

Leões podem dar-se ao luxo de perder pontos, tendo em conta a vantagem alcançada face à concorrência

Os golos sportinguistas vão chegando com uma cadência verdadeiramente impressionante, com poucos minutos de intervalo e com os scores a aumentar através de tentos de vários goleadores como Diogo, Dieguinho, Varela, Déo (exímio na assistência), Pedro Cary e especialmente Fortino e Diego Cavinato.

Dezenas golos em partes de apenas 20 minutos de jogo que têm espelhado a diferença entre os verde-e-brancos e os restantes conjuntos e que vêm fechando uma esmagadora época no Campeonato até ao momento que oferece ao Sporting a importante vantagem de poder a dada altura empatar face à pontuação já conseguida, isto já depois de garantir a ambicionada passagem à Final Four da UEFA Futsal Cup. Quem sabe esta tarde não será de ‘tropeço’ ante o perigoso Módicus…

As declarações de Nuno Dias, treinador do Sporting, são claras e apontam no sentido de que “o objectivo não poderia passar só por vencer,” o que ilustra bem a ambição dos futsalistas leoninos nesta temporada. Antes de um derby em Futebol, hoje o Futsal oferece um aperitivo a ter em linha de conta.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016




Casa Pia - Romário já desvinculado

Recrutado no início da época ao Sintrense, onde havia realizado uma interessante temporada em 2015/2016 (26 encontros disputados com 6 golos marcados), cedo terminou a etapa do avançado Romário Ribeiro ao serviço do Casa Pia com o brasileiro a já não fazer parte do plantel comandado por Tiago Zorro após muito raramente ter sido opção para os gansos.

Foi sem surpresa que se desenrolou a desvinculação do atacante de 27 anos que não terá feito a diferença junto da enorme concorrência com que se deparou tanto no eixo como nas alas do ataque, tendo apenas participado em dois encontros oficiais, um no Campeonato de Portugal e outro na Taça de Portugal, este último como titular e a sua participação mais recente que datava de 4 de Setembro, não mais Romário tendo sido utilizado em Pina Manique.



Académica/Secção de Futebol – Xico Miguel de suplente júnior para concorrente sénior

Mal colocada na classificação da Série D do Campeonato de Portugal, a equipa da Académica/Secção de Futebol, que se encontra na última posição, vem apostando na juventude como é seu apanágio, tendo nos tempos recentes juntado ao seu guarda-redes titular, João Brito, mais uma opção na luta pela titularidade, com a curiosidade de a escolha ter passado por um guardião ainda júnior.

Após ter iniciado a temporada ao serviço dos Juniores do Loures, que disputa o Campeonato Nacional da categoria, o açoriano Xico Miguel abandonou o clube dos arredores de Lisboa, onde nunca conseguiu passar de alternativa ao titular Júnior Ferreira, para assinar pelo clube de Coimbra que optou por inserir o jovem guardião de 18 anos não no seu plantel sub-19 mas sim na sua equipa principal na qual se assume como principal concorrente ao habitual titular na posição, tendo mesmo aproveitado a suspensão de João Brito para se estrear na Série D do CPP no desafio que opôs a Académica ao Águeda (derrota por 1-3).

quinta-feira, 8 de dezembro de 2016




Dani e Costa também esperam a oportunidade

O particular frente ao Belenenses (derrota por 2-3) disputado há três semanas para testar novas soluções para o regresso da Série G que teve lugar no Domingo seguinte e que colocou uma deslocação ao terreno do Oriental (0-0) foi apesar de um desaire frente ao emblema de Liga NOS no qual Tuck se destacou na sua carreira de jogador uma forma de o Sacavenense encarar, quem sabe, o futuro da equipa pois este teste terá causado muita satisfação e terá dado a tirar muito boas ilações até porque o onze habitual até saiu para intervalo a vencer por 2-1 o credenciado oponente antes de dar lugar a uma remodelação.

Apesar de com isso ter perdido entrosamento e a vantagem na partida, o treinador aproveitou a 2ª parte como oportunidade para os menos utilizados e ainda observou durante esse período vários dos jovens que se vêm destacando na equipa B que disputa a I Divisão da AF Lisboa, tendo frente ao Belenenses alinhado elementos como Dani Lima (ala direito de 19 anos já convocado para três desafios oficiais da primeira equipa, embora sem se ter ainda estreado) ou a novidade João Costa, lateral esquerdo de 24 anos que chegou há poucas semanas depois de ter concluído a temporada passada ao serviço da Académica B.

Ambos deixaram indicações muito interessantes e muito embora não seja expectável a sua convocatória para a próxima jornada - deslocação ao terreno do líder Real - a qualidade demonstrada por ambos fazem com que já esperem pela primeira oportunidade na equipa principal, que pode mesmo chegar a qualquer momento.

Texto: Rafael Batista Reis

Imagem: Sport Grupo Sacavenense/Oficial

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016




13 de azar? Não, de derby

Liderança em jogo no derby entre um Benfica possivelmente agitado pela primeira derrota e um Sporting que ainda procura obter golos para além de Bas Dost, praticamente o único concretizador por excelência no plantel.

Dizem os supersticiosos que o número 13 é motivo e provocador de azar. Tendo em conta o calendário da Liga NOS nessa mesma jornada...não parece. Com a jornada 13, chega o sempre tão apetecível derby da 2ª Circular, um Benfica vs Sporting, acompanhado pelo bónus adicional de valer a liderança da prova - quem vencer, liderará a classificação (o Benfica com uma vantagem de 5 pontos, o Sporting com um tangencial, mas igualmente saboroso, ponto de avanço).

Derby de responsabilidades repartidas, mas com maior obrigatoriedade de vitória para os leões, orientados por Jorge Jesus, um técnico pouco habituado a perder, pelo menos em Portugal, que saberão da dificuldade que se encerra em recuperar 5 pontos ao grande rival… especialmente depois de ser eventualmente derrotado pelo mesmo num confronto directo.

Jogar no Sporting, como é sabido, implica uma enorme responsabilidade. No entanto, a pressão no próximo Domingo será acrescida, tendo em conta que permitirá ou a ultrapassagem ao grande rival… ou permitir que o mesmo dispare rumo ao que poderá ser um inédito quarto título nacional consecutivo.

Holandês Bas Dost será a principal (e única?) esperança de concretização para os leões

No entanto, para ambicionar uma vitória na Luz, os leões terão de reeditar a capacidade ofensiva demonstrada na época passada, na qual a grande quantidade de golos não só de Islam Slimani, mas também dos colombianos Fredy Montero e Téo Gutierrez, era praticamente garantia de sucesso. Esta temporada, o clube de Alvalade parece refém da capacidade concretizadora de Bas Dost, não tendo até ao momento contado com outra alternativa para chegar ao golo para além do holandês.

A ausência - pelo menos para já - de uma ‘fonte de rendimento’ no que toca a golos tem feito com que o Sporting tenha falhado em algumas das ocasiões nas quais merecia igualmente triunfar em função das oportunidades de perigo que teve, em especial na Liga dos Campeões, prova da qual já se encontra afastado. No fim-de-semana, o grau de dificuldade do desafio e a valia do vizinho e rival Benfica não se compadecerá com qualquer deslize e por isso urgirá aos verde-e-brancos encontrar outro goleador para além de Bas…

Perder com o Sporting na Luz representaria para os encarnados uma frustrante satisfação para Bruno de Carvalho

Para além da falta de alternativas goleadoras, o Sporting convive também com a cada vez maior noção de que praticamente todas as suas contratações terão sido ‘tiros ao lado’ com especial enfoque no praticamente por utilizar Marcelo Meli, médio argentino que há duas temporadas terá estado próximo do… Benfica num derby particular no qual os leões terão tomado a dianteira mas sem disso retirarem grande proveito…

O objectivo sportinguista é claro: vencer o Benfica e resgatar na sua casa a liderança representaria não só uma vitória desportiva, moral e até individual para o presidente leonino, Bruno de Carvalho, um homem que, como é sabido, normalmente envereda pelos caminhos mais complicados e até polémicos - basta recordar as insinuações trazidas a público pelo próprio presidente do Sporting relativamente ao afamado ’Caso dos Vouchers’ que se dirigiam precisamente ao rival da 2ª Circular.

A menos de uma semana do desafio, espera-se que a ‘fogueira’ seja produzida apenas pela qualidade de jogo de ambos os intervenientes, antevendo-se um Benfica de orgulho ferido após ter encaixado a primeira derrota em competições domésticas e logo em seguida um desaire caseiro ante o Napoli.

Novo desaire, e logo perante o arqui-rival, poderia acarretar catastróficas consequências para o foco dos tricampeões nacionais. Isto quando por seu turno o leão também não vem de resultado melhor, tendo vivido um ’vexame’ europeu ao ser afastado das competições europeias pelo tecnicamente inferior Legia de Varsóvia. No fim de contas, pormenores que ajudam a um Clássico capaz de parar um País.





Bastava o empate, mas as diferenças eram demasiadas

Na antevisão ao Benfica vs Napoli pela Liga dos Campeões sénior, Rui Vitória apelidava de 'final' o duelo com os italianos. Pouco mais de duas horas antes, ao nível júnior, o carácter do desafio não era diferente.Com uma pequena nuance: ao contrário da equipa principal, os jovens encarnados não tinham a obrigação de vencer para alcançar os seus objectivos.

Para chegar a uma eliminatória frente aos campeões nacionais que não fizeram parte da fase de grupos apenas pelo simples facto de as suas equipas seniores não se terem apurado para a Champions transferia-se toda a pressão para o Napoli que contrariamente ao expectável se organizou numa recuada pressão que apenas permitiu libertar as águias logo aos 3 minutos, quase abrindo a contagem num remate de João Félix que já no interior da área atirou ao poste direito.

Na 2ª parte, cedo o Benfica marcou e segundos após uma bola no poste do Napoli, inconsequente até então e que apenas não ia sendo goleado devido ao contributo do inspirado guardião Davide Marfella, que efectuou várias intervenções até ao apito final, as águias ampliaram para 2-0 e selaram o apuramento.

Caixa Futebol Campus (campo no1) - Seixal

BENFICA
1- Fábio Duarte
2- Aurélio Buta
3- Rúben Dias (c)
4- Pedro Álvaro
5- Jorginho Araújo
6- Florentino Luís
(15- Diogo Mendes, 85)
8- Gedson Fernandes
10- João Carvalho
7- João Félix
(18- Tiago Dias, 79)
9- Mesaque Dju
11- Vinícius Ferreira
(17- David Tavares, 68)
T: João Tralhão
4x3x3

NAPOLI
12- Davide Marfella
2- Pio Schiavi
(13- Pasquale Migliaccio, 77)
5- Antonio Granata ©
(16- Giuseppe Esposito, 50)
3- Luigi D’Ignazio
6- Marco Milanese
4- Gennaro Di Simone
17- Basit Abdallah
(8- Giovanni Mattera, 58)
10- Diego Acunzo
11- Luigi Liguori
9- Antonio Negro
7- Raffaelle Russo
T: Giampaolo Saurini

Arbitragem: Jonathan Lardot  - Bélgica
Disciplina: cartão amarelo para Antonio Granata (12), Luigi Liguori (38), Basit Abdallah (40), Gennaro Di Simone (62) e Giovanni Mattera (86); Gedson Fernandes (70)
Marcadores: João Félix (47) e João Carvalho (74, pen)

Figura – João Carvalho – Benfica

Já sénior e internacional sub-21 por Portugal, foi vital para a vitória da equipa.

terça-feira, 6 de dezembro de 2016



Repetia-se um clássico da temporada transacta com o Fut. Benfica a receber o Valadares Gaia num encontro que contava com o factor adicional de valer o 3º posto da classificação em caso de triunfo para qualquer um dos contendores (o 3º recebia o 4º colocado). Jogando perante o seu público o ‘Fofo’ quase marcou aos 24 - Mafalda Marujo obrigou Neide Simões a grande defesa, sendo que no minuto seguinte nada poderia fazer para evitar o golo das da casa.

O Fut. Benfica exercia pressão visível mas Neide voltaria a estar em evidência e na 2ª parte o Valadares manteve-se na discussão mas mais presente no controlo e na posse da bola, criando assim as condições para apontar baterias ao 1-2 final que vale ao conjunto gaiense a ascensão ao pódio na tabela.

Campo Francisco Lázaro – Benfica

FUT. BENFICA
12- Jamila Martins
3- Matilde Figueiras ©
8- Catarina Realista
4- Filipa Patão
6- Sofia Nunes
9- Andreia Silva
7- Sílvia Brunheira
(2- Sara Ribeiro, 69)
11- Andreia Veiga
22- Joana Flores
(13- Joana Vieira, 69)
10- Filipa Galvão
16- Mafalda Marujo
Suplentes não Utilizadas: 1- Sara Costa, 5- Andreia Marques, 15- Carla Silva e 21- Carla Cardoso
T: Manuel Cadete
4x4x2

VALADARES GAIA
31- Neide Simões
20- Rita Lima
27- Mariana Azevedo
3- Ivone Calado
2- Sara Monteiro
17- Diana Gomes
22- Regina Pereira ©
19- Cristina Ferreira
10- Sara Pereira
(6- Inês Maia, 63)
21- Guita Freitas
(14- Joana Neves, 90+3)
7- Marta Dias
(51- Evy Pereira, 83)
Suplentes não Utilizadas: 24- Barradas, 5- Raquel Gomes, 9- Francisca Cardoso e 50- Diana Gomes
T: Sérgio Barreto
4x2x3x1

Arbitragem: Ana Aguiar – Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Catarina Realista (29), Mafalda Marujo (72), Ivone Calado (82) e Evy Pereira (90+1)
Marcadores: Filipa Patão (24); Ivone Calado (52) e Cristina Ferreira (90)

Figura – Guita Freitas (Valadares Gaia)
Com o passar dos minutos, foi-se tornando a jogadora mais capaz de arrancar a vitória para a sua equipa. Decisiva com duas assistências para os dois golos.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016





Têm sido recorrentes os encontros com a baliza inviolada, o que lhes vai valendo o estatuto de defesa menos batida em toda a Europa. Ainda que desta feita tenha sofrido um golo, o Sacavenense manteve-se no rumo das vitórias ao ter batido o 1º Dezembro.

Estádio do Sport Grupo Sacavenense - Sacavém.

SACAVENENSE
Hugo Cardoso
Bebé
Yannick
Duque ©
Dina
(Diogo Oliveira, 89)
Nuno Borges
Saavedra
Tiago Santos
(Arcanjo, int.)
Fábio Horta
Leo
(Janu, 58)
Herlander
Treinador: Tuck

1ºDEZEMBRO
Sandro Gomes
Bruno Mendes
Romário Carvalho
(Pedro Rosário, 76)
Leo
Rui Santos
Pedro Dias
Leonel Correia
Yerson Pacheco
Martim Águas ©
(Romario Morris, 85)
Gonçalo Maria
(Tiago Casimiro 67)
Abdoulaye Diallo
Treinador: Hugo Martins

Marcadores: Tiago Santos (39), Janu (81 e 90+7, gp); Abdoulaye Diallo (90+2).
Árbitro: José Rodrigues - Lisboa.
Disciplina: cartão amarelo para Martim Águas (47), Duque (61), Gonçalo Maria (67’), Abdoulaye Diallo (86’), Pedro Garcia (guarda-redes suplente do Sacavenense, 88), Saavedra (90+1), Leonel Correia (90+5) e Sandro Gomes (90+6). 

sábado, 3 de dezembro de 2016



Atenção especial sobre o Real
Ao mesmo tempo que o Real continua a efectuar uma época de grande qualidade assiste-se também à afirmação do técnico do emblema de Queluz/Monte Abraão que vem antevendo as partidas.com sobriedade e uma ambição a considerar.

Filipe Martins vive também o seu melhor momento enquanto treinador e assumiu já após eliminar o favorito Arouca da Taça de Portugal
estamos bem informados não só sobre o Olhanense como sobre todos os adversários do nosso Campeonato e na Taça.”

Os resultados vêm comprovando esse trabalho de fundo e tal será determinante para que o clube da região de Sintra possa 'sobreviver' a uma semana e meia muito exigente na qual terá a jornada deste fim-de-semana, deslocação ao terreno do vice-líder Sintrense e após esse confronto entre líderes terá pela frente a recepção ao actual terceiro classificado da Série G, o Sacavenense, seguida da oportunidade de procurar surpreender o tricampeão nacional Benfica. Certamente a mais exigente semana de toda a época e um verdadeiro teste à capacidade deste surpreendente conjunto.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016




Do banco do Praiense até à CAN

Muitas vezes o futebol dispõe deste tipo de curiosidades, diferindo o momento de influência de um atleta enre a sua acção no seu clube e o que pode render ao serviço do seu país. Um claro exemplo será Vladimir Forbs, que apesar de não ter tido sobre si os focos da fama pelo facto de visitar Alvalade para defrontar o altamente favorito Sporting devido à coincidência da data da sua chegada com tão mediático jogo para o emblema que reforçou, o Praiense, parece destinado a palcos de grande atenção internacional já nas próximas semanas.

Isto porque apesar da escassa utilização que vem conhecendo nos Açores (soma apenas 24 minutos divididos por dois desafios, tendo apenas actuado durante 5 minutos no último Domingo na vitória caseira sobre o Vilafranquense), o médio pontifica como internacional A pela Guiné Bissau e deverá ao que tudo indica disputar a CAN 2017 já em Janeiro, passando assim do banco de suplentes no CPP para o confronto perante a elite do futebol do continente africano. Uma grande oportunidade para os 'djurtus', e Forbs em especial, valorizarem as suas carreiras.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016


CAC: Acordo com credor - estabilidade à vista?

Há cerca de duas semanas, a discórdia era evidente: uma Assembleia-Geral a apontar harmonia; fora desta, algumas acusações a manterem-se Após as informações que davam conta da situação deficitária do CAC Pontinha e algumas dúvidas sobre a sua realização devido a falta de condições permitidas pelas Leis Gerais e Estatutos, decorreu a Assembleia-Geral Extraordinária no clube que contou com a presença dos corpos gerentes do clube, os atletas que o compõem e uma fatia dos seus associados assim como os Presidentes da Junta de Freguesia de Pontinha/Famões e Carnide, Corália Rodrigues e Fábio Sousa respectivamente.

A magna reunião teve o intuito de esclarecer todos os sócios, atletas e respectivos familiares relativamente ao esforço colectivo que tem sido realizado entre todas as partes envolvidas e aprofundou o trabalho entre as Câmaras Municipais de Lisboa e Odivelas e as Juntas de Freguesia de Pontinha/Famões e Carnide na tentativa de estabelecer uma solução que permita a sustentabilidade futura do CAC.

Uma ambição também manifestada no período inicial da Assembleia pelo Vice-Presidente da CM Odivelas, Paulo César Teixeira, que visou, segundo o próprio, “esclarecer todo o processo que tem sido desenvolvido em parceria com as autarquias e com a Direcção do CAC para a construção do futuro complexo desportivo que irá ser uma realidade em 2017” após a venda dos terrenos do anterior Campo para a construção da nova Feira Popular cujas demolições tiveram arranque no passado dia 3 e que obriga o CAC a buscar por outro campo para competir.

“Até lá, apresentámos todas as certezas e compromissos que ficaram acertados entre Lisboa e Odivelas e as soluções transitórias até a nova construção do Complexo, concluiu o dirigente municipal que é também responsável pelo pelouro do Desporto nesse Concelho antes de ser também destacado o papel do Vereador ligado ao Desporto da CM Lisboa, Jorge Máximo, seguindo-se assim o esclarecimento sobre o contrato-programa que liga o CAC e a Câmara Municipal de Lisboa e a confirmação de que a CML possui legitimidade para tomar decisões implicativas para o CAC.

Isto devido ao facto de o clube da Pontinha não ter cumprido algumas obrigações com a edilidade que terá já aceite um plano de pagamento para a restituição da verba em atraso. Passada essa questão, o responsável pela CM Odivelas anunciou ainda o acordo entre as Câmaras de Odivelas e Lisboa e a Direcção Regional de Educação de Lisboa para a construção de um campo de treinos na Escola Agrícola da Paiã que será utilizado pelos alunos que frequentam esse estabelecimento e pelas equipas de formação do CAC Pontinha.

Por seu turno, o Presidente da Junta de Freguesia de Carnide, Fábio Sousa, anunciou o projecto relativo à construção do novo campo do CAC Pontinha numa zona frontal ao Cemitério da localidade, aprovado pela CM Lisboa e pela FPF. No seguimento da Assembleia-Geral, o Presidente da Direcção do clube, António Roque, congratulou-se pela “grande assembleia deste grande clube. Grande assembleia num grande ambiente clubístico“.

Em plano contrário mantinham-se algumas vozes discordantes com especial enfoque no responsável pelo diário ‘Odivelas.com’, António Tavares, que considerou através de uma publicação a Assembleia-Geral “possivelmente a última” da História do CAC.

O mesmo texto revela que esta 4ª feira decorrerá nova sessão no Tribunal de Loures na qual poderá ser sentenciada a extinção do clube, um outro processo movido por um pai de um atleta no Tribunal de Sintra e as audições do Ministério Público em relação a uma queixa movida por associados da colectividade procurando investigar dirigentes que representaram o emblema da Pontinha desde 2008 e aponta ainda que o CAC Pontinha terá recebido um total de 35 mil euros.

Este montante terá sido encaixado através de verbas divididas entre Sporting (um protocolo assente em direitos sobre atletas da formação do CAC) e Belenenses (eventual contrapartida pela saída de atletas da equipa sénior feminina), o que fez o mesmo interveniente manifestar a sua estranheza quanto a uma residual dívida de 90 euros para com uma empresa da localidade, deixando ainda dúvidas sobre o posicionamento do Presidente da Junta de Carnide neste processo e a convicção de que a Assembleia consistiu numa “festa comício com aproveitamentos políticos de efeitos duvidosos.”

Alguns dias passados, parece ter sido encontrada a sustentabilidade para o clube, pelo menos para já, com a Direcção do CAC a revelar na página oficial do clube no Facebook que chegou a acordo com o credor, Terracell, para o pagamento da verba em dívida, fazendo uso da acta publicada pela Comarca que julgou o caso e há pouco mais de uma semana o emblema da Pontinha organizou mesmo uma Sessão Solene dando conta da sanidade financeira do clube e ligação frutuosa entre os seus componentes. Espera-se, portanto, que os 'fantasmas' relativos a uma possível extinção do clube estejam afastados em definitivo.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Clube Atlético e Cultural / Página Oficial

terça-feira, 29 de novembro de 2016






Pôde perceber-se a intenção de cada conjunto pelo posicionamento de ambos no terreno - Fafe mais recuado, com duas linhas de quatro muito juntas, perante um Benfica B sempre mais afoito que durante a primeira metade criou perigo num total de 6 ocasiões, entre as quais se destacam um livre directo de Pepê travado pelo poste esquerdo aos 37.

A segunda parte parecia indicar toada semelhante, com Dálcio Gomes a testar a atenção de Ricardo Fernandes aos 56, mas o Fafe ripostaria com total acerto, fazendo uso do 'ouro' que tinha no banco, primeiramente por Pedro Pereira logo após a sua entrada, antecedendo o golo dos visitantes cerca de 10 minutos depois.

Apesar dos esforços infrutíferos dos encarnados para chegar ao empate (João Félix esteve perto de consegui-lo), os fafenses conseguiriam mesmo segurar a preciosa vantagem que garantiu três pontos importantes na luta pela fuga aos lugares de despromoção.

Caixa Futebol Campus - Seixal
>
> BENFICA B
> 72- Ivan Zlobin
> 71- Alan Benítez
> 66- Rúben Dias (c)
> 97- Francisco Ferreira
> 60- Pedro Amaral
(94- Aurélio Buta, 81)
> 88- Pepê Rodrigues
> 80- Dálcio Gomes
> 90- João Carvalho
> 91- Heriberto Tavares
(54- Romário Baldé, 75)
> 26- Ivan Saponjic
(79- João Félix, 75)
> 84- Diogo Gonçalves
Suplentes não Utilizados: 86- André Ferreira, 61- Florentino Luís, 65- Rodrigo Escoval e 67- Reinildo Mandava
> T: Helder Cristóvão
> 4x3x3
>
> FAFE
12- Ricardo Fernandes
4- Vasco Cruz
21- Xavi Carvalho (c)
3- Dmytro Lytvyn
16- Jota Araújo
(29- Leandro Borges, 78)
22- Marco André
(10- João Nogueira, 87)
6- Ricardo André
77- João Carneiro
8- Silvestre
47- Evandro de Carvalho
(17- Pedro Pereira, 68)
19- Alan Jr.
Suplentes não Utilizados: 24- Marçal, 13- Marquinhos, 30- Carvalho e 98- Mesquita
T: Joaquim Agostinho Bento
4x4x2


Arbitragem: Carlos André Macedo (árbitro principal), João Ricardo Silva e Paulo Miranda (árbitros auxiliares) - Braga
Disciplina: cartão amarelo para Vasco Cruz (65) e Francisco Ferreira (90)
Marcador: Leandro Borges (80)


Figura - Leandro Borges (Fafe)
Naquela que foi talvez a única intervenção de registo no desafio, logrou ter apontado um golo, a valer 3 pontos.



O Oriental conseguiu agitar as redes do Sacavenense num golo anulado a Márcio Matchona por fora-de-jogo mas não conseguiria evitar que a equipa visitante lograsse deixar o Campo Eng. Carlos Salema com um ponto conquistado.

Campo Eng. Carlos Salema - Lisboa

ORIENTAL
12- Mota
5- Abel Pereira
(11- Victor Veloso, 79)
44- Hugo Grilo
20- Daniel Almeida (c)
13- João Varudo
7- Tiago Mota
6- Diogo Pires
16- André Faísca
30- Henrique Gomes
(50- Márcio Matchona, int.)
23- Alvaro Jaló
10- João Santos
(77- Sebas Nogueira, 58)
Suplentes não Utilizados: 22- Rafael Marques, 7- Dong Wang, 17- Xiao Yufeng e 19- Tiago Rente
T: António Pereira

SACAVENENSE
30- Hugo Cardoso
13- Bebé
5- Yannick
25- Diogo Duque (c)
29- Dina
37- Nuno Borges
19- Carlos Saavedra
8- Arcanjo
(16- Léo, 63)
23- Tiago Santos
(9- Janu Silva, 74)
15- Herlander
7- Horta
(4- Diogo Oliveira, 90+1)
Suplentes não Utilizados: 12-Pedro Garcia, 6- Pedro Ribeiro, 14- Park e 21- António Gonçalves
T: Tuck

Arbitragem: Vasco Almeida - Ponta Delgada
Disciplina: cartão amarelo para Diogo Pires (29), Tiago Mota (55), Abel Pereira (76) e Janu Silva (90+1)
Marcadores: -.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016




Foi através da cobrança de uma bola parada que o Real conseguiu uma diferença no terreno do Loures, aproveitando para se distanciar novamente na liderança.


Campo José da Silva Faria - Loures

LOURES
André Marques
Paulinho
Serifo Djaló
Ivo Dias
André Frias
João Job (c)
(André Pires, 69)
Gonçalo Salvador
(Jacinto Monteiro, int.)
Joel Neves
Pedro Augusto
Sérgio Nogueira
Batalha
(Rocha, 28)
T: Luís Silva

REAL
Filipe Mendes
Jorge Bernardo
André Almeida
Nuno Tomás
Matheus Leal
Thabo Cele
Rúben Marques (c)
Brash
Érico Castro
(Nelson Mendes, 87)
Manuel Palacios
(Sabry, 77)
Luís Mota
(Guti Almada, 67)
T: Filipe Martins

Arbitragem: João Malheiro Pinto - Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para Brash (64 e 78), João Job (65), Rúben Marques (67), Rocha (81), Filipe Mendes (83) e Nuno Tomás (90+6); cartão vermelho para Brash (78, por acumulação)
Marcador: Jorge Bernardo (44)