quarta-feira, 7 de dezembro de 2016




13 de azar? Não, de derby

Liderança em jogo no derby entre um Benfica possivelmente agitado pela primeira derrota e um Sporting que ainda procura obter golos para além de Bas Dost, praticamente o único concretizador por excelência no plantel.

Dizem os supersticiosos que o número 13 é motivo e provocador de azar. Tendo em conta o calendário da Liga NOS nessa mesma jornada...não parece. Com a jornada 13, chega o sempre tão apetecível derby da 2ª Circular, um Benfica vs Sporting, acompanhado pelo bónus adicional de valer a liderança da prova - quem vencer, liderará a classificação (o Benfica com uma vantagem de 5 pontos, o Sporting com um tangencial, mas igualmente saboroso, ponto de avanço).

Derby de responsabilidades repartidas, mas com maior obrigatoriedade de vitória para os leões, orientados por Jorge Jesus, um técnico pouco habituado a perder, pelo menos em Portugal, que saberão da dificuldade que se encerra em recuperar 5 pontos ao grande rival… especialmente depois de ser eventualmente derrotado pelo mesmo num confronto directo.

Jogar no Sporting, como é sabido, implica uma enorme responsabilidade. No entanto, a pressão no próximo Domingo será acrescida, tendo em conta que permitirá ou a ultrapassagem ao grande rival… ou permitir que o mesmo dispare rumo ao que poderá ser um inédito quarto título nacional consecutivo.

Holandês Bas Dost será a principal (e única?) esperança de concretização para os leões

No entanto, para ambicionar uma vitória na Luz, os leões terão de reeditar a capacidade ofensiva demonstrada na época passada, na qual a grande quantidade de golos não só de Islam Slimani, mas também dos colombianos Fredy Montero e Téo Gutierrez, era praticamente garantia de sucesso. Esta temporada, o clube de Alvalade parece refém da capacidade concretizadora de Bas Dost, não tendo até ao momento contado com outra alternativa para chegar ao golo para além do holandês.

A ausência - pelo menos para já - de uma ‘fonte de rendimento’ no que toca a golos tem feito com que o Sporting tenha falhado em algumas das ocasiões nas quais merecia igualmente triunfar em função das oportunidades de perigo que teve, em especial na Liga dos Campeões, prova da qual já se encontra afastado. No fim-de-semana, o grau de dificuldade do desafio e a valia do vizinho e rival Benfica não se compadecerá com qualquer deslize e por isso urgirá aos verde-e-brancos encontrar outro goleador para além de Bas…

Perder com o Sporting na Luz representaria para os encarnados uma frustrante satisfação para Bruno de Carvalho

Para além da falta de alternativas goleadoras, o Sporting convive também com a cada vez maior noção de que praticamente todas as suas contratações terão sido ‘tiros ao lado’ com especial enfoque no praticamente por utilizar Marcelo Meli, médio argentino que há duas temporadas terá estado próximo do… Benfica num derby particular no qual os leões terão tomado a dianteira mas sem disso retirarem grande proveito…

O objectivo sportinguista é claro: vencer o Benfica e resgatar na sua casa a liderança representaria não só uma vitória desportiva, moral e até individual para o presidente leonino, Bruno de Carvalho, um homem que, como é sabido, normalmente envereda pelos caminhos mais complicados e até polémicos - basta recordar as insinuações trazidas a público pelo próprio presidente do Sporting relativamente ao afamado ’Caso dos Vouchers’ que se dirigiam precisamente ao rival da 2ª Circular.

A menos de uma semana do desafio, espera-se que a ‘fogueira’ seja produzida apenas pela qualidade de jogo de ambos os intervenientes, antevendo-se um Benfica de orgulho ferido após ter encaixado a primeira derrota em competições domésticas e logo em seguida um desaire caseiro ante o Napoli.

Novo desaire, e logo perante o arqui-rival, poderia acarretar catastróficas consequências para o foco dos tricampeões nacionais. Isto quando por seu turno o leão também não vem de resultado melhor, tendo vivido um ’vexame’ europeu ao ser afastado das competições europeias pelo tecnicamente inferior Legia de Varsóvia. No fim de contas, pormenores que ajudam a um Clássico capaz de parar um País.