quarta-feira, 16 de agosto de 2017



Foram várias as saídas no Loures com o principal destaque a remeter-se para Ivo Miranda, que saiu no final da última época mesmo com o estatuto de um dos jogadores mais experientes do plantel e um dos capitães de equipa no início da mesma temporada, uma missão dividida pelos quatro jogadores de maior antiguidade no plantel. Tal como os restantes três companheiros, Nuno Hidalgo, João Job e Pedro Augusto, Ivo Miranda abandonou o clube.

No seguimento de boas temporadas em Loures o médio criativo de 31 anos aguardou pelo final da temporada para confirmar a sua saída para assinar por outro emblema geograficamente colocado na zona de Lisboa e a disputar também o Campeonato de Portugal e ainda a mesma Série, a D, o vizinho e rival Sacavenense que já havia também representado.

Apesar do estatuto que lhe era reconhecido pelo próprio grupo, Ivo Miranda pretendia jogar com maior frequência após uma temporada que tendo sido positiva para a equipa - esteve envolvida na disputa pela subida durante a 1a Fase e sagrou-se campeã de série na Fase de Manutenção - foi pouco animadora para o médio que se conotou como alternativa aos habituais titulares e em Sacavém poderá encontrar um panorama mais de acordo com o que pretende no momento actual do seu percurso.

terça-feira, 15 de agosto de 2017


Potencial de Deividson à prova em Outubro

No momento em que se esperava ter surgido um talento de futuro no Brasil, um outro surgiu em simultâneo - enquanto o médio centro Ronaldo chegava ao modesto Gonçalense para um período de testes, na mesma altura acompanhava-o um lateral direito descoberto pelo prospector brasileiro Diego Silva e que com apenas 18 anos de imediato impressionou na sua chegada especialmente junto do treinador do clube de São Gonçalo que o mirou com muito interesse e com a perspectiva de ter passado a conhecer um talento a ter realmente em conta.

Em poucas semanas, ficou evidente o potencial de uma promessa que as imagens que ilustram o seu futebol prenunciam que apesar de ainda um desconhecido, Deividson parece ter tudo para se encaixar facilmente no mercado português.

Acaba por ser curioso o facto de o lateral direito ter sido encarado com desconfiança pelo aspecto ainda mais jovem do que a sua idade já patenteia, o que não impediu Deividson de convencer o seu treinador relativamente ao seu valor no período de testes que num ápice o tornou num justificado reforço ainda em condições de alinhar pela equipa sub20, motivo pela qual a sua idade foi questionada com muita insistência. No fim de contas, está a desenvolver-se um lateral direito que já suscita sorrisos em quem o vê jogar.

Tenra idade do jovem atleta deixa bem clara a margem de progressão de que dispõe


Dizer que este jogador contabiliza apenas 18 anos quase torna desnecessária a realização de qualquer período de testes como o que protagonizou ainda há poucos meses, uma semana experimental na qual sem surpresa foi aprovado apenas um mês antes de ter sido chamado a federar-se de forma a participar como parte do plantel sub20 do Gonçalense na disputa das próximas jornadas do Campeonato Carioca desse escalão etário.

Com o que tem vindo a demonstrar este jogador, o staff do Goncalense começa a não ter palavras para descrever o diamante em bruto maluco que recebeu sem quaisquer custos mas que todavia não conseguiu inscrever oficialmente pela diferença de um dia devido a um atraso relacionado com o certificado de alistamento, documentação obrigatória no Brasil no momento em que se completa 18 anos e que Deividson não detinha em momento oportuno, tendo recebido esse mesmo certificado já após o encerramento do período de inscrições.

Deividson tem trabalhado a excelente nível, o que o trará a Portugal para mostrar-se

O lateral fica assim impedido de disputar a segunda fase da Copa Corcovado, uma má notícia em termos desportivos para os seus treinadores que o têm vindo a observar de forma a perceber quais as outras posições nas quais poderá ser utilizado em competição por via da sua velocidade, capacidade de drible, qualidade de passe, bom cruzamento e uma impressionante visão de jogo.

Defesa lateral direito de origem, este jogador tem sido colocado para cumprir a missão de médio de transição, médio ofensivo e lateral esquerdo, o que vem surpreendendo mesmo quem melhor o conhece e que acompanha o clube pelo facto de os comentários dos técnicos com quem tem trabalhado apontarem para a categoria com que cumpriu todas as posições especialmente pelo facto de exigirem as características que mais se salientam no seu jogo como a agilidade, a assertividade na marcação, a facilidade no drible e na colocação do passe.

Tudo somado, Deividson reúne a capacidade de fazer o jogo fluir e a sua equipa progredir com jogadas de realce potenciadas com passes colocados na direcção dos atacantes em posições de finalização, o que facilitou a decisão de que será o chamariz da abertura demonstrada por todas as entidades que aconselham e gerem a sua carreira para que possa dar o próximo passo que será dado em Portugal, para onde viajará em meados de Outubro de forma a mostrar-se num período experimental em emblemas ainda por confirmar.

domingo, 13 de agosto de 2017



A excelente ponta final realizada pelo Loures na Série G de Manutenção do CPP, competição na qual acabaria por sagrar-se campeão de série apesar de um plantel curto, com várias lesões e que deu lugar à estreia de vários Juniores que foram utilizados amiúde na equipa principal, satisfez os responsáveis pelo clube que assim promoveram espaço no plantel para 2017/2018 a vários dos valores proeminentes do plantel júnior como acabou por não ser o caso de Gonçalo Vieira, jovem médio defensivo que curiosamente não foi um dos vários juniores contemplados com a estreia no CPP.

Ainda assim, o jovem de 18 anos assumiu-se como uma das grandes surpresas dos Juniores do Loures ao ter-se imposto como titular após ter reforçado o clube no início da época proveniente do 1º Dezembro, tornando-se uma das figuras da equipa e um indiscutível na participação da equipa do Nacional de Juniores, o que deixou excelentes referências junto do técnico Luís Silva que contudo optou por não promover Vieira ao plantel principal naquela que será a sua primeira temporada enquanto futebolista sénior mesmo quando poderia ter posto cobro a algumas saídas que se registaram no sector intermédio da equipa. 

Desta forma, com os responsáveis do emblema preto e amarelo a terem-se decidido por avançar para a contratação de outros atletas, o jovem médio poderá estar em vias de juntar-se a um clube de maior dimensão e igualmente inserido nas proximidades da capital como será o Estoril Praia, ainda que assinando pela equipa B dos 'canarinhos' que disputará esta época a I Divisão da AF Lisboa.

A confirmar-se este novo passo, Vieira deverá fazer-se acompanhar por outro ex-júnior do Loures como o defesa central Miguel Rosado. Em ambos os casos deverá realizar-se um período experimental que poderá resultar num duplo reforço para a segunda equipa do Estoril, criada na época transacta para rodar futebolistas em idade sub-23.



O conforto classificativo e as várias lesões no plantel principal do Loures levaram ao aparecimento de vários jovens promissores da equipa de Juniores, tendo um dos 'contemplados' sido Serginho. A recepção ao último classificado, o já despromovido Sp. Viana, possibilitou a estreia no futebol sénior de Sérgio Santos, de 18 anos, na Série G de Manutenção do CPP.

Serginho, extremo, partiu do banco e foi chamado a jogo por Luís Silva para disputar o último quarto de hora do desafio que o Loures venceria por 3-1. No entanto, terminado o percurso na formação, o jovem jogador acabou por não encontrar espaço para permanecer no clube, buscando ainda clube para dar continuidade à carreira e assim dar entrada no futebol sénior.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017



Após a confirmação de que não disputaria a Série de Subida do CPP, no Loures foram vários os futebolistas a deixar o clube, especialmente aqueles que não vinham dispondo de minutos de competição. Um deles foi o extremo Jessy Neves como auge de uma temporada abaixo das expectativas na qual nunca se assumiu como opção para a equipa titular mesmo após ter chegado ao Campo José de Silva Faria com um interessante estatuto granjeado no Casa Pia, clube pelo qual se assumia como unidade influente normalmente lançada a partir do banco de suplentes.

Ao contrário de Pina Manique, onde se assumia como uma espécie de ’12º jogador’ capaz de contribuir para algumas das vitórias dos gansos, o extremo de 25 anos não vingou em Loures, onde chegou a acordo para a desvinculação, tendo-se encontrado em busca de um novo clube para dar continuidade ao seu percurso até ao passado mês e por esse motivo o seu processo foi ainda permanecendo na Federação Portuguesa de Futebol, surgindo ainda inscrito pelo Loures muito embora já não fizesse parte do plantel às ordens de Luís Silva, até então.

Após alguns meses sem clube, Jessy irá competir fora das competições nacionais ao passar a jogar na I Divisão da AF Setúbal ao serviço do Amora, onde esperará reabilitar a sua forma física e acima de tudo desportiva de forma a regressar a escalões de maior qualidade e atenção mediática. 

quinta-feira, 10 de agosto de 2017




Oriental - Bura reforça meio-campo e já alinha

No seguimento de uma pré-temporada na qual realizou jogos-treino como preparação (derrotas frente a Real SC e Vilafranquense, mas também vitórias ante Estrela de Vendas Novas e Loures), o Oriental vai integrando reforços como Bura que terá dado por fechado o sector intermediário da equipa lisboeta que foi praticamente remodelado para a nova época.

Natural da Guiné-Bissau, onde chegou a impressionar responsáveis do Benfica que o levaram a prestar provas no Seixal antes de regressar novamente a África, Bura, de 21 anos, terá no Oriental a primeira oportunidade de alinhar nas competições nacionais em Portugal após ter representado Os Vilanovenses, modesto emblema que disputou a I Divisão da AF Guarda, e esperará contribuir para resultados mais favoráveis do que o desaire encaixado esta 4ª feira no terreno do Casa Pia.

terça-feira, 8 de agosto de 2017




Elite SuperLiga Final Nacional (Futebol de 5) - sete destaques

Decorreu no passado dia 22 na Figueira da Foz a Final Nacional Elite no que respeita ás SuperLiga de Futebol de Cinco em MiniFootball num só dia de competição e a prova a desenrolar-se durante todo o dia de Sábado na Praia do Relógio num total de nove equipas e todas elas compostas por interessantes jogadores entre os quais sobressaiu um lote que abaixo se apresenta:

Pedro Costa ‘Pedrinho’ (Manga Tropical) - Por algum motivo foi galardoado com os prémios de Melhor Jogador e Melhor Marcador da competição. Distinguiu-se a uma considerável distância e foi dessa forma o principal dínamo do Manga Tropical na sua caminhada rumo ao título nacional apresentando qualidade técnica apurada que se multiplicou nos mais requintados ‘malabarismos’ em movimentos de 1x1, uma desconcertante finta a curta distância e inteligência na desmarcação perante os adversários que lhe permitiu ganhar ascendente e finalizar com impressionante regularidade.

Carlos (Cardosas)- Em termos de ordem de importância, terá sido o segundo melhor jogador da competição: alguns furos abaixo de Pedrinho e acima dos demais, tendo colocado em prática a velocidade, resistência física e rapidez de processos que lhe permite fazer também carreira ao nível do Futebol de Onze e em posições que exigem grande disponibilidade física como a de lateral. Habilitado a jogar com os dois pés e também eficiente a finalizar com recurso a constantes movimentações e overlappings com os companheiros que muito beneficiaram a equipa lisboeta.

Fábio Rodrigues ‘Kareca’ (Manga Tropical) - Pode dizer-se com clareza que o Manga Tropical se sagrou campeão nacional pelo facto de ter contado na sua equipa com os dois maiores valores individuais da competição e em dois postos bem distintos e determinantes para o sucesso de qualquer conjunto: Pedrinho na frente a definir e Kareca na baliza, praticamente intransponível perante os adversários que se lhe colocaram com grande presença de baliza e elasticidade a fechar todos os ângulos recorrendo a extensões de pernas de forma a defender com os pés, se necessário.

Daniel Barreto ‘Danny’ (Cruyffzinhos) - Foi o último… a chegar - os Cruyffzinhos abriram a competição defrontando Manga Tropical, com os conimbricences a verem-se obrigados a iniciar o desafio com um guarda-redes improvisado - mas depressa passou a ser o único a ter chegado a rivalizar com Kareca como guarda-redes mais valioso da competição, principalmente quando com duas meritórias defesas no desempate por grandes penalidades encaminhou a sua equipa para as meias-finais. De resto, o seu raide de influência para o desempenho da turma de Coimbra foi para além desse desafio.

António Batista ‘Alex’ (Sarrabecos FC) - Um excelente pivot… mas bem mais do que isso, sendo capaz de jogar a todo o campo para assim intensificar as dificuldades dos seus marcadores directos, sempre obrigados a desposicionar-se para procurar segurar os seus ímpetos; tarefa, diga-se, complicada, uma vez que suporta muito bem o choque e se torna muito perigoso quando embala, o que lhe permitia obter condições de remate a partir dos mais diversos ângulos, como de resto se pôde verificar pelos diferenciados golos que apontou aos Minho Giants no final da fase de grupos.

José Sousa (Sarrabecos FC) - A verdadeira alma da equipa de Sacavém, formando com o seu irmão, também ele parte activa da equipa, uma dupla muito consistente nesse aspecto. Raçudo e muito interventivo, faz valer a sua experiência nos momentos de maior complicação, não apenas devido à sua mentalidade como à visão inteligente que revela sobre o jogo que lhe permite encontrar as melhores soluções de passe para assistir os seus companheiros, o que se tornou especialmente útil na fase a eliminar, valendo a presença na final.

Luís Fernando ‘Nandinho’ (Lokomotiv Gondar) - A grande figura da turma minhota, tendo revelado uma excelente relação e apetência pelo golo ao ter na fase de grupos sido capaz de destacar-se nesse particular, tendo conseguido contribuir com golos e normalmente com execuções de monta, tendo mesmo impressionando com um bonito golo através de um remate colocado de pé direito ainda na fase preliminar. Combinou na maior parte das ocasiões com eficiência com os seus companheiros e merecia mais do que quedar-se nos quartos-de-final.


segunda-feira, 7 de agosto de 2017



Real - Ivan Dias emprestado ao Oriental

Um dos jogadores que cumpriu o percurso do Real desde os escalões secundários, Ivan Dias cumpriu toda a temprada até ao momento no clube, acabando por não encontrar espaço suficiente para competir. Com efeito, o defesa de 22 anos enfrentaria a concorrência de Vasco Coelho, Dmytro Lytvyn, Serginho e João Basso para a posição de defesa central, levando ao empréstimo ao Oriental, onde competirá com regularidade.

Ao invés de permanecer em Monte Abraão como quinta opção para o eixo defensivo, Ivan Dias junta-se a Nuno Sá como o segundo atleta colocado por empréstimo em Marvila, tendo-se estreado num jogo-treino frente ao Caldas.

Em partida realizada numa tarde de Sábado (derrota por 4-1) o defensor colocou de imediato a sua polivalência em prática ao constituir opção como lateral direito, posição que bem conhece e que o Oriental tem como deficitária.



Loures - Miguel Soares (ex-Casa Pia) para discutir baliza

Caminha também a ritmo favorável a pré-temporada do Loures, que disputará a Série D do Campeonato de Portugal e tem disputado jogos-treino - nos últimos dias, venceu de forma expressiva o Marinhense (Série C do CPP) e foi derrotado pelo Oriental, partidas nas quais voltou a oferecer minutos aos três guarda-redes que disputarão o posto, mais concretamente 30 minutos a cada um, o experiente André Marques, um dos poucos nomes que transitaram do anterior plantel, o ex-júnior Diogo Martins e o contratado Miguel Soares.

Este último guarda-redes chega ao clube após um longo período ao serviço do Casa Pia onde na pretérita temporada passou a opção secundária relativamente a André Paulo, numa primeira fase, e Nélson Pinhão, algumas semanas depois. Devido a esse facto, o futebolista de 26 anos optou por uma nova etapa na carreira na qual esperará ultrapassar André Marques, que terminou a época transacta como titular, numa disputa que será das mais interessantes na equipa preto e amarela até ao início da competição oficial.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017




Belenenses - João Louro emprestado ao Oriental

Vai organizando a sua casa o Belenenses, que por via das entradas que vem promovendo no seu plantel possui também alguns elementos excedentários a colocar para que possam rodar e tornar-se mais-valias para o futuro como poderá vir a ser o caso de João Louro, um dos ex-juniores garantidos com contrato profissional antes de realizarem a pré-temporada com o plantel principal. Apesar dos 19 golos apontados na temporada transacta no Nacional de Juniores que os azuis do Restelo concluíram na segunda posição, o atacante acabou por não conseguir o espaço desejado.

Assim, face ao potencial reconhecido pelos responsáveis do clube da Cruz de Cristo, João Louro, de 19 anos, foi emprestado por uma temporada ao vizinho Oriental, emblema que disputará a Série E do CPP e poderá oferecer oportunidades de competição ao jovem avançado que esperará fixar-se como opção efectiva no Belenenses numa perspectiva de médio prazo.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017


MiniFootball - Manga Tropical e Florgrade campeões nacionais

Decorreu nos passados dias 22 e 23 a Elite Final Nacional das SuperLigas de MiniFootball na Figueira da Foz, competição que contou com a presença de 28 equipas divididas por duas variantes, de Futebol de Cinco e de Sete.

No que respeita à variante de Cinco, o título de campeão nacional foi conquistado pelo Manga Tropical, oriundo do Porto, ao passo que o novo detentor do título nacional em Sete passou a ser a Lusitânia Lourosa/Florgrade, de Santa Maria da Feira, Aveiro.

No que respeita a este último, o título foi conquistado após uma final que contou com apenas um golo mas um constante domínio da equipa aveirense que poderia mesmo ter chegado ao intervalo já em vantagem frente ao surpreendente ARCOV depois de aos 18 minutos Samuel Silva, conhecido no meio como Samu, ter apostado na imprevisibilidade e atirado de primeira e de forma cruzada em direcção ao poste. A Florgrade terminou a primeira metade e iniciou a segunda na mesma toada - por cima do desafio e ainda nos minutos iniciais dessa etapa através de uma jogada apoiada novamente desenvolvida por Samu.

O ala, que se assumiu como uma das figuras maiores do desafio, fez a diferença ao irromper pela esquerda no interior da área adversária e ainda servir o goleador Ibrahim Koné, que não se fez rogado e atirou a contar, tendo já sobre o apito final estado perto de bisar e ganhar ainda maior destaque como figura de realce da final, não tivesse novamente sido o poste a refrear o seu ímpeto. Ainda assim, sem evitar os justificados festejos pela vitória e consequente conquista do título nacional.



Oriental - Josemar reforça ataque

Decorre sem sobressaltos o regresso oficial do Oriental ao trabalho no Eng. Carlos Salema, tendo entretanto o plantel lisboeta recebido mais incorporações para a frente de ataque especialmente com o jovem Josemar Agostinho, de 19 anos, que na época transacta, a primeira enquanto futebolista sénior, havia representado o Tourizense após ter-se revelado nos arredores da capital ao serviço do At. Povoense e concluído a sua formação representando os Juniores do Tondela.

Para a segunda época pós-formação, o ponta-de-lança regressou à realidade que mais conheceu, a cidade de Lisboa, para continuar a competir no Campeonato de Portugal e poder destacar-se pela eficácia a finalizar.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Clube Oriental de Lisboa/Página Oficial

quarta-feira, 2 de agosto de 2017



Estoril - Diogo Marques tomou-lhe o gosto

No decurso da preparação para a nova época, ao mesmo tempo os valores da formação não vêm passando despercebidos a Pedro Emanuel, que para além do jovem Duarte Valente, que vem sendo uma das sensações da pré-temporada do clube da Linha, no treino vespertino da 5ª feira passada chamou aos trabalhos o defesa central Diogo Marques, um típico caso de chegar, ver e vencer uma vez que se trata também ele de uma novidade no plantel de Juniores do clube visto representar uma incorporação para a nova temporada.

A novidade acabou por não deslumbrar Diogo Marques, de 18 anos, que chegou à Amoreira após na temporada passada ter representado os sub-19 do Loures pelos quais disputou a I Divisão Nacional de Juniores e ganhou maturidade competitiva para se constituir um dos elementos mais interessantes da equipa júnior do Estoril à qual o técnico principal, também ele um notabilizado defesa central, recorre amiúde, quando encontra necessidade de preencher as sessões de treino.

Assim, sem ainda se ter estreado oficialmente pela equipa júnior estorilista, o central já teve a oportunidade de mostrar-se aos ‘principais’... por três ocasiões, o que deixa evidente que as suas características agradaram à equipa técnica principal que deverá continuar a monitorizar a sua evolução no Campeonato Nacional de Juniores na época que está prestes a ter início.



Oriental - David Crespo oferece soluções

Pouco a pouco vai-se fechando o plantel do Oriental que se tem reforçado para vários sectores e agora garante um reforço multifunções como David Crespo, lateral esquerdo de origem que desempenha também funções de ala.

No entanto, a constituição do plantel deixa bem claro que a composição física do jovem atleta que na época transacta representou o Mafra torná-lo-á opção preferencial para a posição de médio defensivo, que o atleta também experimentou. A polivalência valoriza Crespo, de 23 anos, num percurso que torna o clube de Marvila no oitavo clube das proximidades de Lisboa que representa desde a formação que inclui os 'grandes' Sporting e Benfica.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Clube Oriental de Lisboa/Página Oficial