quarta-feira, 6 de dezembro de 2017



O Benfica poderia ter-se despedido da UEFA Youth League com uma vitória. No entanto, contrariamente aos festejos benfiquistas a equipa de arbitragem liderada por Marco Guida não validou o tento de João Félix, alegando erradamente que a bola não terá entrado na sua totalidade, mantendo assim o 0-0
Arjan Peço - treinador do Basileia

O Benfica jogou muito bem hoje. O nosso apuramento em primeiro lugar não é uma surpresa para mim, pois vencemos todos os adversários, batemos inclusivamente o Manchester United e batemos todos eles com exceção do Benfica, com quem empatámos por duas vezes. Estivemos muito bem em todos jogos até este último no qual não estivemos bem e ao nosso nível.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017






Real ciclo negativo para reverter


Após um dia de folga, o plantel do Real regressou ao trabalho na manhã de 3ª feira, tendo Filipe Martins contado com todos os habituais convocados à sua disposição como possíveis opções para a jornada do próximo Domingo na qual a turma de Queluz/Massamá se deslocará ao terreno do Varzim.

Em equipa que não sofre… não se mexe e após ter posto cobro a uma série de três derrotas de forma consecutiva e um ainda mais longo período de jogos a sofrer golos de forma consecutiva ao empatar a zero em casa do Sp. Covilhã, o Real procurava agora voltar a vencer.

Para tal, Filipe Martins apostou novamente num onze que lhe deu garantias lançando o mesmo alinhamento inicial que na Serra da Estrela lhe deixou interessantes sinais competitivos. De olho numa vitória que não apenas o retiraria do actual penúltimo lugar como até mesmo da zona de despromoção, este Domingo na visita ao Varzim a aposta integral no onze que deixou bons sinais em casa do Sp. Covilhã e alcançou um empate a zero acabou por não surtir efeito ao ter sofrido uma derrota pela margem mínima.

sábado, 2 de dezembro de 2017




Sacavenense vs Benfica (Juniores) - Foi de bola parada que os encarnados chegariam ao segundo golo em Sacavém, desta feita a partir de um livre directo em zona frontal que puniu falta sobre o ponta-de-lança Luís Lopes, que ainda estaria reservado para tomar parte em mais dois golos benfiquistas:

Primeiro no desvio aos 53 através de cruzamento tirado pelo lateral Nuno Tavares pela esquerda e por fim aos 64 através de combinação entre os três avançados. Com a defesa sacavenense em contrapé, o extremo esquerdo Kevin Csoboth dispôs de todo o tempo e espaço para servir o extremo oposto, Úmaro Embaló, que atirou forte em zona frontal para o 0-4 final.

Benfica B vs Arouca: momento em que resultou em pleno o móvel ataque das águias que contou com o avançado Zé Gomes e os dois homens que deambulavam entre as alas e terrenos centrais, João Félix, que se posicionava mais próximo de Zé Gomes, e Heriberto Tavares, que partia desde a esquerda. Ambos combinaram na perfeição.

sexta-feira, 1 de dezembro de 2017



Mais um nome para uma férrea batalha por um lugar na posição de extremo no Loures: o facto de se encontrar rodado revelou-se uma vantagem para Ivo Braz, que teve a oportunidade de trabalhar durante uma semana antes de ver confirmada a sua inscrição e consequente autorização para competir, tendo desta forma entrado directamente para a titularidade.

Com efeito, a chegada de Braz aumentou ainda mais a concorrência para um lugar de extremo que conta com mais seis possíveis opções: Rodrigo Martins, Bruno Ramirez, João Costa, Lionnel Yakam, Diogo Pacheco e Gonçalo Brás (os últimos três podem igualmente jogar no eixo do ataque).

quarta-feira, 29 de novembro de 2017




Para colocar cobro à série negativa de resultados que se encontra num total de três derrotas consecutivas, o Real apostar em manter praticamente intacto o onze inicial que foi derrotado na jornada anterior pelo líder Ac. Viseu.

Nesse encontro, apesar da derrota a equipa revelou um interessante comportamento defensivo apenas manchado pelo único golo do desafio, o que levou Filipe Martins a manter-se fiel à ideia de jogo apresentada e para além de pôr fim a uma série de três derrotas consecutivas o Real teve este Domingo na visita ao Sp. Covilhã o desafio acrescido de fazer com que pela primeira vez em quatro desafios o guarda-redes Tom tivesse a baliza inviolada.

Manter a baliza a salvo tem sido um problema para o Real que em toda a temporada até agora apenas havia terminado duas partidas sem golos sofridos: na eliminatória da Taça CTT ante o Belenenses, que a equipa da Linha de Sintra venceu no campo mas da qual seria desclassificada na secretaria, e no terreno do Nacional, onde goleou por 0-4. Várias tentativas e jornadas volvidas, o Real segurou um nulo na Serra da Estrela e juntou mais um desafio a esse ainda restrito lote de jogos em branco.

terça-feira, 28 de novembro de 2017


Na tarde desta 3ª feira, Portugal terá no Estoril um verdadeiro desafio pela sua ambição de estar presente pela primeira vez num Campeonato do Mundo de Futebol Feminino - pela frente, a Selecção Nacional AA Feminina terá pela frente a poderosa e favorita Itália, selecção melhor ’rankeada’ no agrupamento e com três pontos de avanço em função de ter vencido todos os encontros que disputou até esta deslocação até ao nosso País. Logo após ter igualado a maior goleada da sua história ao ter imposto 8-0 á Moldávia, a ambição é visível.

A primeira a transmitir a sua expectativa sobre o desafio foi a veloz ala Ana Borges, que antes do desafio será homenageada por ter ante a Moldávia cumprido a sua 100ª internacionalização por Portugal e estará ciente da gritante diferença entre os dois desafios em termos de dificuldade, tendo indicado que “sabíamos que à priori a Moldávia seria o jogo mais acessível do grupo. Sem dúvida que a Itália será um adversário bem diferente e nos colocará outro tipo de dificuldades e exigência”, uma ideia partilhada pela ponta-de-lança Carolina Mendes.

Após goleada sobre a Moldávia, as craques nacionais ambicionam surpreender a Itália

“Apenas conseguimos alargar a diferença sobre a Moldávia na 2ª parte devido à abordagem defensiva que elas apresentaram, que nos criou dificuldades. É um facto que todos os pontos são importantes e momentos como o golo que marquei à Escócia ficam para sempre - sonho marcar o primeiro golo de Portugal num Mundial,” revelou a atacante que compete ao nível de clubes em… Itália ao serviço da Atalanta e mira a um objectivo partilhado pela médio centro Vanessa Marques que bisou frente à Moldávia.

Sobre esse facto, a centrocampista do Sp. Braga reiterou “ter de agradecer às minhas colegas pelo excelente jogo colectivo que fizeram e que me permitiu marcar.” Por fim, a defesa Raquel Infante sublinhou a “vitória que traz uma confiança extra e estaremos preparadas. Para mim, o ponto forte da Itália é a componente táctica e iremos fazer a sua preparação” para um desafio que se realizará pelas 17 horas e poderá ser decisivo para as aspirações das conquistadoras lusas.

domingo, 26 de novembro de 2017


Chineses que muito treinam e pouco jogam

Nestas últimas cinco temporadas nos campeonatos semiprofissionais portugueses tornou-se habitual a presença de jogadores de nacionalidade chinesa nos vários plantéis do Campeonato de Portugal, normalmente colocados por investidores na procura de um eventual lançamento de um talento capaz de gerar massas no país e grandes encaixes financeiros ou em alternativa de fortalecer-se como jogador de forma a regressar à grande nação oriental pela porta grande, mormente a SuperLiga chinesa.

No entanto, a larga maioria destes futebolistas não parecem justificar desportivamente todo o esforço, treinando muito, desenvolvendo imensamente as suas capacidades relativamente ao cenário com que se deparavam no seu país, mas muitas vezes penalizando jogadores nacionais que perdem o acesso a lugares e até a oportunidades de jogar com regularidade perante companheiros muitas vezes com potencial bastante inferior. Passemos então a um caso ilustrativo desta situação, o lateral direito Dong Wang que cumpre a sua terceira temporada no terceiro escalão do futebol português.

Lateral Dong Wang pode ser tomado como exemplo, não sendo utilizado há quase dois meses

Tendo já representado Mafra B, Loures, Eléctrico, Oriental, Tourizense e a partir do início desta temporada a ARC Oleiros, no total em três anos, descontando a equipa B do Mafra sobre a qual não existe certeza quanto à quantidade de jogos oficiais que terá realizado, Dong competiu apenas por 24 ocasiões, menos do que grande parte dos futebolistas do CPP realizam numa só temporada e apresentando um nível sofrível, especialmente em termos defensivos, nos momentos em que foi utilizado e não compete há praticamente dois meses.

Nessa altura, Dong Wang disputou o último quarto de hora na derrota caseira ante a U. Leiria. Haveria até exemplos ainda mais claros de qualidade dúbia nos atletas oriundos da China em Portugal - valeu a pena a ’invasão chinesa’ no CPP? 

sábado, 25 de novembro de 2017



Apenas na 2a parte Portugal conferiu números de goleada a uma partida de sentido único num período que praticamente começa com o 3-0 obtido por Carole Costa na recarga a defesa da guardiã visitante que aos 63 não evitaria que o cruzamento da recém-entrada Joana Marchão fosse desviado de forma certeira por Diana Silva.

Silva foi também o apelido comum à grande penalidade que valeria o 5-0 - sofrida por Jéssica e convertida por Dolores e a goleada ganhou ainda maior expressão com Vanessa Marques e Carole, ambas apontando dois tentos cada.

Uma Selecção Nacional incomparavelmente superior a uma Moldávia que se limitou a tentar evitar (sem sucesso...) ser goleada. Expressivos 8-0 e primeiros três pontos na fase de apuramento para o Mundial 2019 que se realizará em França.

Ana Capeta - Portugal

Esta estreia foi óptima. Sendo titular ou partindo do banco de suplentes, darei sempre o máximo para ser opção para o Prof. Francisco Neto e ser utilizada novamente.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017



Sinais muito positivos deixados na série de jogos-treino que os brasileiros do Grêmio de Porto Alegre realizaram numa digressão levada a cabo em Portugal com o seu plantel de sub-19 com alguns sub-20, sub-18 e outros pertencentes ao plantel de reservas, tendo o emblema cuja equipa principal se encontra a disputar - e em vantagem - a final da Copa Libertadores visitado o Complexo Desportivo do Real que a equipa brasileira teve algumas dificuldades em encontrar e que conduziu a um início de jogo com 45 minutos de atraso.

Na manhã de 5ª feira o Grêmio tinha vencido por 3-0 em Alcochete o Sporting B (golos de Tetê, Darlan Mendes e Da Silva), empatando na manhã desta 6ª feira a uma bola em Monte Abraão com os golos a terem sido obtidos nos primeiros minutos da 2ª parte: a equipa brasileira a adiantar-se no marcador e a equipa de Massamá/Queluz a estabelecer logo depois a igualdade por Abdoulaye Dialló que havia entrado ao intervalo.

Terminou no Estoril a digressão do Grêmio uma semana em que disputou seis jogos-treino em Portugal sem ter sofrido qualquer derrota, tendo depois de bater o Sporting B e empatar com o Real somado por vitórias todos os encontros ao defrontar Benfica B, FC Porto B e um misto entre os Juniores e o Sp. Braga B.

Apenas o Real conseguiu impor uma igualdade a uma bola à turma brasileira que se fez representar pela sua equipa sub19 e na tarde desta 4a feira se deslocou à Amoreira para derrotar os Juniores do Estoril por 4-1 - André Velez marcou para os canarinhos.

terça-feira, 21 de novembro de 2017



Real - Até à Covilhã sem folgas

Arrancou esta 2a feira a preparação do Real para o regresso à competição na Ledman LigaPro após um hiato de duas semanas após uma dupla folga concedida ao plantel no Sábado e no Domingo. Depois do descanso...uma intensa semana de treinos que contemplará quatro sessões normais entre 2a e 5a feira. Os dias de 6a feira e Sábado reservarão sessões mais ligeiras destinadas a aspectos entre os quais a bola parada antes da entrada em estágio a iniciar com a partida para a Covilhã no Sábado ao início da tarde.

domingo, 19 de novembro de 2017






Até lá, Elite!

Em 2017, a organização das Elites Finais Nacionais terão sido o grande impulso sobre o crescimento da Associação Portuguesa de MiniFootball dentro do espaço nacional para além da participação da Selecção Nacional também organizada pela Associação e que levou Portugal pela primeira vez a dois certames internacionais com a relevância de um Europeu e um Mundial espaçados por apenas quatro meses. Numa fase em que se disputam as várias SuperLigas pelos mais diversos pontos do Pais, interessará recordar as equipas favoritas.

São às dezenas as equipas que ambicionam, no que respeita à variante mais popular no MiniFootball português, o Futebol de 7, suceder à Lusitânia de Lourosa/Florgrade no estatuto de campeão nacional e para tal a fazer parte de nova Final Nacional cujas data e local de realização ainda estão por revelar publicamente, recordando assim quatro delas e as expectativas que apresentavam ainda em Julho último quando disputaram na Figueira da Foz a última Elite Final Nacional de 2017: 

Central Mensageiro (Lisboa, quartos-de-final Julho 2017 e campeã nacional em Fevereiro de 2017) - “A Elite SuperLiga está cada vez mais forte, sabemos que para chegar ao título será ainda mais difícil pela qualidade dos nossos adversários e cá estaremos para tentar.”

M-Team (Coimbra, oitavos-de-final Julho 2017) - “Tal como foi na Copa Ibérica, o nível aqui é muito alto e apenas teremos de dar o nosso melhor e ver até onde poderemos chegar.”


Hugo Rebocho Century 21 (Évora, oitavos-de-final Julho 2017) - “Vantagem não temos nenhuma, temos poucas equipas neste momento na nossa SuperLiga e ainda na última que disputámos só tínhamos cinco adversários e por isso não podemos competir com muita gente e o nível é diferente daquele que existe em Lisboa e no Porto. É a quarta vez que cá estamos e o nosso melhor resultado foi quartos-de-final, veremos se conseguimos chegar à meia-final.”

Juventus BH Foz (Porto, meia-final Julho 2017) - “Estamos cá para ganhar e para o fazer jogo a jogo. Competimos na SuperLiga do Porto que é um Campeonato extremamente competitivo e chegámos aos quartos-de-final na edição anterior, pelo que esperamos pelo menos igualar esse objectivo e quem sabe chegarmos à final e levarmos o título.” 

sábado, 18 de novembro de 2017



Continua a decorrer a preparação do Real que com o regresso às competições oficiais agendado para o próximo dia 26 continua a realizar treinos de grande exigência competitiva de forma a apurar os índices de preparação. Para esse efeito, realizou esta 3ª feira um derby da região de Sintra muito embora num jogo realizado em momento de treino, não oficial e que dispensou mesmo a presença de árbitro, tendo conseguido patentear a sua superioridade e golear o vizinho Sintrense por 6-1, resultado antagónico ao da sua equipa júnior.

Dois dias depois, a equipa sub-19 do Real visitou o Caixa Futebol Campus para defrontar o Benfica em jornada antecipada do Campeonato Nacional de Juniores devido ao facto de a equipa encarnada disputar na próxima 4ª feira em Moscovo mais uma ronda da UEFA Youth League, o que levou ao agendamento da partida para o final da tarde de 5ª feira, momento que permitiu também estrear o novo treinador principal, João Machado, tendo saído goleada por 5-0. Tal como a equipa principal na Ledman LigaPro, também o conjunto júnior ambiciona assegurar a manutenção no seu Campeonato.

Poucas horas volvidas, na manhã de 6ª feira a primeira equipa do Real teve o privilégio de receber o emblema cuja equipa principal se encontra apurada para a final da Taça Libertadores, o Grêmio de Porto Alegre, uma visita a um Complexo Desportivo do Real que a equipa brasileira teve algumas dificuldades em encontrar e que conduziu a um início de jogo com 45 minutos de atraso.em Monte Abraão com os golos a terem sido obtidos nos primeiros minutos da 2ª parte: a equipa brasileira a adiantar-se no marcador e os da casa a estabelecerem logo depois a igualdade por Abdoulaye Dialló que havia entrado ao intervalo.

Este acabou por ser um jogo-treino no qual o técnico do Real, Filipe Martins, apresentou um misto entre jogadores habitualmente titulares, como Carlos Vinícius, Marcelo Lopes, Brash, Gustavo Cazonatti ou Fabrice Fokobo e atletas menos utilizados como o marcador do golo Abdoulaye, Adílio Varela, Rúben Marques ou Tiago Morgado.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017



Casa Pia - Varão reforça meio-campo

Bem colocado na série E da CPP ao ocupar a vice-liderança que poderá garantir um lugar na Série de Subida, o Casa Pia obteve um reforço pouco esperado para o seu meio-campo. Já depois de ter garantido sobre o limite de inscrições de contratos profissionais o extremo Fali Candé, emprestado pelo Benfica B, o facto de a qualquer momento poder ser registada uma transferência nacional, desde que com ligação amadora, levou a turma lisboeta a aproveitar a saída de Vasco Varão, que se estreou desde logo na jornada deste Domingo ao disputar cerca de 20 minutos como suplente utilizado na deslocação a Moura.

Aos 36 anos, o experiente médio ofensivo chega a Pina Manique para garantir concorrência a André Faísca pela posição 10 ao ter acertado a saída do plantel do Sintrense. A mudança, apurou o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, dever-se-á a um conflito inultrapassável no balneário que se terá solucionado com a saída de Varão do emblema que disputa a Série D do CPP para encontrar no Casa Pia uma solução imediata para a carreira.

quinta-feira, 16 de novembro de 2017



Olímpico do Montijo - Bem desportivamente e sem receber salários

Tempos conturbados vive o Olímpico do Montijo, que se desportivamente vem cumprindo os objectivos no restante a situação está longe de ser… olímpica, com o plantel a apenas ter disponíveis 16 dos 23 jogadores que formam o grupo e sem avançados disponíveis pois todos fazem parte do lote de quatro lesionados, limitando as escolhas para o técnico David Martins que na jornada deste Domingo (derrota caseira por 1-0 frente ao Oriental) apenas contou com juniores como opções alternativas, tendo o onze titular cumprido os 90 minutos.

No entanto, mais grave do que as limitações no plantel será a questão financeira visto que todo o plantel e equipa técnica apresenta pelo menos dois meses de salários em atraso sendo que os elementos, jogadores e treinadores, que transitam da época transacta ainda aguardam o pagamento referente ao último mês de 2016/2017 - em suma, a equipa técnica liderada por David Martins encontra-se sem receber vencimentos desde há três meses e meio com excepção do treinador adjunto Pedro Russiano, que apenas se juntou ao clube esta época.

Dentro de campo, o Olímpico do Montijo continua a comportar-se como se nada se passasse, com o plantel a trabalhar com normalidade apesar do constante sobressalto inerente à ausência de pagamentos, realizando uma Série muito interessante e de encontro com as expectativas mesmo com a normal instabilidade emocional. Para esta situação complicada contribuiu a cisão entre um grupo de investidores estrangeiros que procuravam assumir o controlo do clube e dessa forma constituir uma SAD, fazendo-se acompanhar de quatro futebolistas de nacionalidade colombiana.

Com o rompimento da ligação entre clube e empresa por motivos que não foram revelados, não apenas esses jogadores deixaram o Olímpico como o clube se deparou com uma componente financeira incomportável pois não tinha expectativa de suportar os custos relacionados com o futebol uma vez que no início da temporada havia sido acordado com os investidores que seria essa mesma empresa a comportar todos os gastos que repentinamente passaram a ficar a cargo do emblema do Montijo, sem que este consiga suportar tamanho encargo.

Entre os naturais constrangimentos no Olímpico destacam-se as dificuldades vividas pelos dois estrangeiros que resistem no clube, os brasileiros Leonardo Ferreira e Jean Victor, que subsistem em condições dificultadas pois não possuem quaisquer apoios e dependem exclusivamente do seu salário tal como a maioria dos seus companheiros de nacionalidade portuguesa que continuam a competir num cenário de grande incerteza quanto ao futuro. Instado pelo NOVA ACADEMIA DE TALENTOS a comentar este período conturbado, David Martins confirmou o sucedido.

O treinador montijense destacou o “grande compromisso e entrega ao treino, a dedicação ao clube num Campeonato semiprofissional contra equipas com um orçamento muito superior. Apesar das dificuldades temos tido uma conduta profissional e valorizamos as ambições do clube mesmo não estando com os pagamentos em dia. Esta é também a valorização pessoal que estes jogadores e equipa técnica têm. Gostaria sinceramente de estar noutra situação mais favorável pois o plantel tem muita qualidade e potencial suficientes para atingir o objectivo do clube que é a manutenção.”



As 6 perguntas-base de um jogador em formação
 
O que faz mover um atleta?

Numa sociedade em que o dinheiro e o sucesso pessoal parecem cada vez mais importantes, prefiro ser romântico e pensar que a vertente ligada ao brio profissional e aspirações desportivas continua a estar presente na forma de pensar e agir de cada atleta.

Por conseguinte, para um atleta na verdadeira acepção da palavra a verdadeira motivação deve ser fácil de descortinar, passando por melhorar a cada dia, respeitando sempre a aprendizagem e evolução no seio de uma equipa e respondendo aos conselhos do seu líder, que terá sempre de ser o seu treinador.

Como motivá-lo?

Mantendo a linha de pensamento da primeira questão, acima dos interesses financeiros que existem em qualquer área e profissão, um atleta deve ser motivado sob as premissas de vir a ter sucesso com a sua produção, tendo presente no seu pensamento que caso renda o máximo de si se colocará também mais próximo de obter aquilo que deseja.

A meta de um futebolista ambicioso passará por vencer e superiorizar-se aos seus adversários, rivais e concorrentes, mas acima de tudo a um estado de auto-satisfação por ter sido capaz de superar os limites que propôs a si mesmo.

É possível conhecer o perfil motivacional de um jogador?

Acredito que sim, e que técnicos capacitados e preparados para assumir a sua profissão são capazes de identificar com facilidade o perfil da personalidade de cada jogador, o que consequentemente torna também uma formalidade perceber qual o seu grau de motivação para o imediato para o futuro.

Para facilitar esta tarefa, sou da opinião que todo este processo deve iniciar-se na formação, momento da vida de cada futebolista no qual deve ser incentivado a acreditar no trabalho desenvolvido no treino e nos benefícios que pode/deve recolher da evolução que conhecerá caso trabalhe com afinco.

É possível conhecer a estrutura motivacional de uma equipa?

Seguindo um processo colectivo, um líder, como se pede quando nos referimos a um treinador, tem precisamente como função inerente ser o responsável pela interligação entre os perfis motivacionais de cada um dos seus jogadores, aglomerando-os numa estrutura global na qual transmite a ideia de que o pensamento de uma equipa consiste num só.

É determinante ter em linha de conta que o sucesso individual é apenas conseguido caso os resultados colectivos funcionem em pleno. Por conseguinte, creio que a curto prazo é facilmente perceptível a força da estrutura motivacional de uma equipa de futebol.

Quais são os botões que precisa de regular nos atletas e nos treinadores para que seja alcançada a performance desejada?

Em meu entender, os ‘botões’ a regular passam estritamente pela personalidade e carácter de cada treinador e jogador. Caso a ambição passe por obter os melhores resultados à custa do esforço colectivo e da metodologia de um trabalho sustentado no qual cada um possui consciência do seu papel a desempenhar, de imediato está criado um impulso para que a performance possa ser aquela que se pretende.

Sabe que motivações individuais específicas moldam e determinam os comportamentos dos treinadores e dos atletas?

No meio futebolístico, como na vida, é necessário alimentar de forma saudável que o objectivo passa por se ser o melhor na área em que nos encontramos. Este caso não é diferente - conquistar títulos individuais, colectivos, somar vitórias, ter uma carreira longa da qual se possa recordar e ser recordado pelos adeptos do(s) clube(s) que representou, por exemplo.

Para bem do desporto e do romantismo a ele inerente, qualquer admirador da modalidade acredita e quer acreditar que a paixão pelo jogo e o sucesso obtido pelo rendimento desportivo será o que acima de tudo motiva um atleta profissional ou amador de futebol, na mesma medida em que tem de ser essa a motivação diária de um treinador.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017




É mais o que os une do que aquilo que os separa…

Seja-se adepto do Sporting, FC Porto ou Benfica, dificilmente a esta altura haverá orgulho pelo comportamento revelado pelas mais altas entidades. Começando pelo Sporting: a situação do clube é neste momento preocupante. Liderado por um presidente de opinião unidimensional, está a fazer um 'all in' pagando fortunas a um treinador antes de reforçar devidamente o plantel, deixando o clube financeiramente dependente de resultados para manter tão elevadas ambições no futuro.

Ao mesmo tempo, o Sporting pretendia construir um pavilhão de raiz e conseguiu-o, pagar uma indemnização a um treinador que despediu sem razão e conseguiu-o; neste momento, a ideia deixada latente é a de que o anterior Presidente, Godinho Lopes, e a equipa directiva que o acompanhava, penalizou o Sporting, e os números comprovam que é de facto verdade. Onde estará o SCP daqui por um ano com Bruno de Carvalho? Não seria essa a maior preocupação do Presidente dos leões ao invés de entrar em discussão com os clubes e dirigentes rivais?

Passando ao FC Porto, clube dotado de responsáveis cuja ligação ao futebol dura há um tempo que é mais do que suficiente para o conhecimento de que para que uma equipa possa vencer, deva ter uma arbitragem isenta, favorável ou desfavorável...e um conjunto de jogadores capazes de vencer o desafio dentro das quatro linhas. Ao invés, optaram por um caminho mais fácil de justificar insucessos como acusações de corrupção ou má-fé de quem apita...

Acossado pela abordagem incorrecta de Bruno de Carvalho e as graves acusações provenientes do FC Porto, o Benfica poderia ter optado por uma reacção assente em correcção e deixar o relvado e, no máximo, a Justiça responder. Optou pelo despique verbal - e mal. Para quando a pacificação no futebol português?   Por este andar, ainda falta bastante.

terça-feira, 14 de novembro de 2017




Real - Pleno de vitórias em par de jogos-treino

Com o intuito de não perder a condição física devido a no decurso do fim-de-semana não realizar qualquer desafio oficial, o Real deslocou-se no início da noite de 6ª feira ao terreno do Lourinhanense para efectuar um jogo-treino frente a esse emblema que disputa a Pró-Nacional da AF Lisboa tendo alcançado uma vitória folgada por 6-0 com destaque para o bis do extremo Marcos Barbeiro que adiantou a equipa de Queluz/Massamá ainda na primeira metade do desafio, seguido pelos restantes tentos da autoria de João Oliveira, Zé Pedro, Carlos Vinícius, este na transformação de uma grande penalidade, e Fabrice Fokobo.

Prosseguiu a preparação do Real que devido à coincidência da pausa para compromisso de Selecções Nacionais e a eliminatória da Taça de Portugal logo no fim-de-semana seguinte cumprirá mais de 20 dias sem competição oficial e para evitar a perda de ritmo competitivo tem vindo a realizar jogos-treino, tendo o mais recente decorrido na manhã desta 2ª feira ante a a selecção da Guiné-Bissau que vem realizando um estágio em Portugal igualmente face à ausência de compromissos oficiais.

Em virtude de não ter conseguido realizar o jogo particular frente a Cabo Verde por constrangimentos financeiros, a equipa nacional da Guiné conseguiu assim obter uma solução competitiva interessante ao ter acordado um particular com o Real que a equipa portuguesa logrou vencer por 2-1 graças a golos do extremo Marcos Barbeiro e o goleador-mor da equipa, Carlos Vinícius, o segundo na transformação de uma grande penalidade. Igualmente a partir de um castigo máximo, a selecção africana reduziu a desvantagem por intermédio de Aldair Baldé. 

domingo, 12 de novembro de 2017



A excelente ponta final de temporada realizada por Fernando Morgado na temporada transacta garantiu ao treinador uma muito interessante valorização junto de diversos clubes que seguiram de forma atenta o trabalho que realizou ao serviço do recentemente extinto Atlético SAD, que encontrou já na segunda fase do Campeonato de Portugal com apenas 2 pontos somados em toda a competição até esse momento e no qual conseguiu operar um verdadeiro milagre que apenas não ganhou outros contornos porque os lisboetas… morreram na praia.

Com Fernando Morgado ao comando o Atlético SAD estabeleceu uma série de vitórias consecutivas que lhe permitiu subir lugares na tabela classificativa e ainda garantir uma presença no play-off de Manutenção no CPP no qual não evitaria a despromoção ao Pró-Nacional da AF Lisboa, deixando assim o técnico livre de compromissos mas com a sua imagem altamente respeitada entre os seus pares.

Desta forma, em pouco tempo esse bom trabalho realizado deverá conduzi-lo ao regresso ao activo visto ter sido contactado por um empresário detentor de uma oferta de um clube a disputar a II Liga de Chipre, actualmente a hipótese mais forte para Morgado em função de ter ainda sido contactado por um clube a disputar a Série C do CPP que no entanto segurou o seu técnico em face de este ter conseguido reverter a crise de resultados em que se encontrava e assim ter segurado o seu lugar.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017




Europa receberá talento burilado por português

Adversário do FC Porto na Liga dos Campeões e a contar com o português Bruma nas suas fileiras, em pouco tempo o RB Leipzig poderá voltar a conviver com uma influência portuguesa, isto porque estará envolvido na disputa pela contratação de um dos mais recentes jovens talentos do futebol internacional como é o caso do guarda-redes Dheeraj Moirangthem, que impressionou os principais observadores da formação internacional ao assumir-se como o mais interessante guardião do recentemente disputado Mundial de sub-17.

Apesar da fragilidade demonstrada pela sua selecção, a Índia, última classificada entre as 24 presentes, Dheeraj, de apenas 17 anos, desde logo cativou o interesse do RB Leipzig e do Borussia Monchengladbach que batalham pelos préstimos do jovem guarda-redes que teria nos seus escalões de reservas o primeiro contacto com o futebol europeu como ambientação para uma integração na Bundesliga ao mais alto nível num futuro a breve trecho que se prevê brilhante e que para tal contou com o trabalho de um jovem treinador de guarda-redes português.

Vários meses antes do Mundial sub-17 e ainda com um muito redutor conhecimento de treino, o guarda-redes prodígio da Índia na actualidade teve as suas capacidades desenvolvidas por Sandro Pinto que sobre o seu até há bem pouco tempo pupilo revela que “foi em Portugal que comecei a treinar o Dheeraj, um jovem ambicioso, dotado de qualidade e com um potencial de evolução forte. Nele vi que existia potencial de evolução e a partir daí comecei a desenvolver uma metodologia de treino para a seleção.“

“Através da observação dos jogos e depois de ver as necessidades dos guarda redes, treino a treino, juntava-me com os guarda-redes e desenvolvia uma palestra sobre alguns temas técnicos para aperfeiçoar, pois no meu ver para além da técnica é necessário saber alguns elementos teóricos. Acho que esses pequenos passos metodológicos fizeram com que o meu trabalho viesse a dar resultados mais tarde e assim poder desenvolver o potencial dos guarda redes. E a prova disso está na excelente performance do Dheeraj no Mundial,” acrescentou o técnico da especialidade.

Satisfeito com o trabalho realizado, Sandro Pinto concluiu dizendo que “estou muito orgulhoso dele e sei que ele irá chegar longe”, podendo estar umbilicalmente ligado à sua chegada à Europa para concluir a sua formação como guarda-redes num ambiente de profissionalismo ao serviço sendo que a intenção do RB Leipzig passaria por integrá-lo na sua segunda equipa e adiantar-se à concorrência igualmente proveniente da Alemanha.

As capacidades do jovem prodígio da Índia chegaram também à Holanda, onde o campeão em título Feyenoord se candidata, sabe o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, a receber o jogador nas suas fileiras, todos eles para fechar a sua contratação já na reabertura do mercado.


Portugal é um pátio para as leoas

O passado Sábado foi uma vez mais claro quanto à superioridade patenteada pelo Sporting relativamente às restantes concorrentes no Campeonato Allianz de Futebol Feminino e tal como os restantes adversários a União Ferreirense para travar uma parada de estrelas composta por internacionais portuguesas como a médio criativa Tatiana Pinto, que inaugurou o marcador e a encerrou-o através de duas grandes penalidades convertidas aos 2 minutos e à passagem da meia hora. Pelo meio, os tentos da defesa central Carole Costa, correspondendo na área a um pontapé de canto, Ana Leite finalizando uma jogada de envolvimento colectivo, e Ana Borges.

Com a vitória garantida ainda no primeiro tempo, as leoas fizeram por aumentar o placard, o que sucedeu aos 53 através da versátil centrocampista Fátima Pinto e pouco depois por Ana Borges que aproveitou defesa incompleta para também bisar seguida de uma representante do futuro das leoas, Neuza Besugo, que menos de um minuto após a sua entrada em campo tocou pela primeira vez na bola para a receber e ao segundo toque fechou as contas do resultado no 8-0 ainda com cerca de meia hora por disputar até final.

terça-feira, 7 de novembro de 2017




Estoril - José Peseiro pode ser alvo, embora difícil

Continua por definir a escolha para o novo treinador do Estoril, vaga que já levou a que vários nomes se perfilassem para assumir o lugar, desde Filipe Coelho (Vilafranquense) a Daúto Faquirá (livre), nomes que agradarão à SAD dos canarinhos mas não estarão neste momento vistos como prioritários. Isto porque a primeira escolha poderá ser outra, podendo, segundo soube o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, passar por José Peseiro, que desde há duas semanas foi demitido do Al Sharjah, dos Emirados Árabes Unidos, país no qual ainda se encontra, e preenche um dos principais requisitos para o clube da Linha.

Com um currículo respeitável, José Peseiro é detentor de experiência de primeiro escalão. Esse será um dos critérios definidos como primordiais para a escolha por parte do Estoril que no entanto enfrentará dificuldades caso opte por avançar por este treinador de 57 anos visto que apesar de encarar o regresso a Portugal com bons olhos Peseiro já recebeu sondagens de emblemas sul-americanos, nórdicos, asiáticos e desde a Rússia, tornando assim cerrada a concorrência pela sua contratação.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017



1o Dezembro - Beto apresentado esta 3a feira

Poucos dias após a demissão de Nuno Presume rapidamente o 1o Dezembro escolheu o seu substituto, tendo a opção passado por Beto Severo, antigo defesa central do Sporting e da Selecção Nacional. O anúncio oficial da chegada de Beto ao comando técnico do clube de Sintra foi comunicado no decorrer desta 3a feira, não tendo sido realizado na véspera essencialmente devido à componente desportiva.

Devido ao facto de o 1o Dezembro ter regressado já na 2a feira de uma deslocação aos Açores, onde empatou sem golos com o Lusitânia pela Série D do Campeonato de Portugal, apenas na tarde de 3ª feira houve luz verde para Beto.

quarta-feira, 1 de novembro de 2017



Frente ao candidato à subida Leixões entrou melhor o Sporting B que logo aos 11 minutos se adiantou através de boa iniciativa individual de Jovane Cabral que ganhou a linha pela ala direita para descobrir Paulinho, suficientemente solto para atirar para o primeiro golo da tarde que acabou apenas por valer um empate em função do penalty que seria depois cometido por Ary Papel.

terça-feira, 31 de outubro de 2017



Em Monte Abraão a reviravolta do Sp. Braga B teve início aos 25 minutos através de notável abertura de Mamadou Loum a desmarcar Luther Singh para o empate, confirmando-se aos 35 numa grande penalidade cometida sobre Francisco Trincão e convertida por Ogana.

Seria mesmo este ponta-de-lança o autor do golo da tranquilidade ao isolar-se da defesa contrária correspondendo a um último passe de Singh aos 66, tornando ínfima a tentativa de reação do Real que se viu alcançado pelos bracarenses. Com o triunfo alcançado o Braga B largou o fundo da tabela para à condição se colocar logo acima da zona de descida.

segunda-feira, 30 de outubro de 2017



Estoril - Daúto ganha força

Enquanto Filipe Pedro prepara enquanto treinador interino os desafios das próximas jornadas como ainda na véspera frente ao Paços de Ferreira, a SAD do Estoril prossegue em contactos pelo novo treinador principal a apresentar no decorrer da semana.

Vários têm sido os nomes apontados ao lugar nos últimos dias, incluindo Filipe Coelho, treinador do Vilafranquense que agrada mas que, apurou o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, se encontra fora de hipótese devido à sua inexperiência no escalão máximo.

Ao que tudo indica, será essa a principal prerrogativa para o Estoril, razão essa pela qual tudo aponta para que o escolhido seja Daúto Faquirá que em seu benefício possuí o facto de se encontrar livre e já ter orientado o clube.

Com efeito, Daúto treinou o Estoril, então na II Liga, na temporada 2005/2006, registando um 9o lugar, podendo regressar cerca de 11 anos volvidos desta feita com o intuito de manter os canarinhos no escalão máximo.

sábado, 28 de outubro de 2017




Gondomar - Ivan Santos em jogo especial

Na jornada deste Domingo do Campeonato de Portugal facilmente se encontra o jogo de cartaz com o Gondomar a receber o histórico Sp. Espinho num confronto que será de lotação esgotada. Um duelo de vizinhos que será vivido de forma especial pelo extremo Ivan Santos, actualmente a representar o Gondomar e a defrontar o clube no qual se formou e do qual é adepto e presença habitual nas bancadas.

Apto para o desafio e provável titular, o jogador que no passado representou Boavista e Benfica reconhece ao NOVA ACADEMIA DE TALENTOS a importância do duelo "pela envolvência especial que tem para mim e graças a Deus estou a ter um bom início. Todos sabem o quanto o Espinho significa para mim e na minha carreira mas neste momento defendo as cores do Gondomar e como profissional que sou só tenho em mente ajudar a minha equipa a conquistar os 3 pontos e continuar a subir na classificação, como merecemos."

Ivan Santos tem sido uma das figuras do Gondomar após ter deixado o Freamunde, onde atravessou "um ano difícil. É muito bom também voltar a aparecer, voltar a sentir o prazer que o futebol sempre me deu e sentir-me valorizado por todos, como me sinto aqui em Gondomar", confessou, horas antes de defrontar pela primeira vez o clube do coração.


1º Dezembro - Nuno Presume abandonou comando técnico

Apesar da boa época até ao momento registada na Série D do Campeonato de Portugal, o 1º Dezembro terá uma alteração no seu comando técnico em função da rescisão já consumada com o técnico Nuno Presume.

O treinador avançou com a demissão por falta de condições apresentadas pela Administração que vem trabalhando em parceria com o clube e que havia procedido à sua contratação, para que pudesse continuar. Esta Administração, que apresentou intenção de constituir SAD no clube, entrou em cisão com a actual Direção, tendo há mais de um mês deixado de comunicar as suas intenções junto do técnico.

Confrontado com esta situação, Nuno Presume confirmou o sucedido, agradecendo "à Direção o esforço que fez para que continuasse e gostaria de salvaguardar todo o trabalho que tem realizado, assim como aos jogadores que sempre cumpriram todas as ideias por mim propostas."

Terá sido mesmo a qualidade e o esforço dedicado pelo plantel que apresenta 6 atletas ex-juniores (Pedro Amador, Duarte, Alex, Gonçalo Agrelos, Scara e Romario Morris) e foi construído pelo próprio técnico a fazer com que fosse adiando a sua decisão de abandonar que se revelaria irreversível.

sexta-feira, 27 de outubro de 2017


Estoril - Filipe Coelho na shortlist

Estará encontrada uma primeira escolha do Estoril para proceder à ocupação da vaga deixada em aberto por Pedro Emanuel como técnico dos ‘canarinhos’, podendo a escolha, sabe o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, passar por Filipe Coelho, técnico de 37 anos que orienta actualmente o Vilafranquense, que disputa a Série D do Campeonato de Portugal e que pontifica como um dos últimos ‘resistentes’ do terceiro escalão na 4ª eliminatória da Taça de Portugal, boa carreira até ao momento registada em Vila Franca de Xira que a juntar ao facto de ser um profissional conhecedor da realidade do clube o tornam o mais desejado.

Filipe Coelho é adepto confesso do Estoril, clube que já representou no passado e no qual deu mesmo início à carreira de treinador ao ter orientado as Escolas do clube entre 2004 e 2006, à data com apenas 26 anos, detalhes que reforçam a sua condição de grande favorito da SAD a ocupar com este treinador o lugar que vem sido desempenhado de forma interina por Filipe Pedro.

Contudo, o facto de se encontrar sob contrato no Vilafranquense obriga o clube da Linha a chegar a um entendimento com o emblema que milita no CPP, muito embora o excelente relacionamento entre as duas instituições possa contribuir para uma fácil resolução que poderá definir-se muito em breve e conduzir um acordo entre todas as partes já nos próximos dias, momento em que se perceberá se o jovem técnico passará a deixar a 'shortlist'  para se tornar na escolha confirmada da SAD estorilista.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017


Espinha nacional desenvolve guarda-redes da Noruega

Ainda distante de outros tempos em que alcançava a qualificação para fases finais de Mundiais e Europeus, a Noruega tem vindo a reestruturar o seu futebol e com isso à imagem de outras nações espalhadas pelo globo recorreu à capacidade de um treinador português, neste caso para melhorar a capacidade futura dos seus guarda-redes ao apostar nos serviços de Pedro Espinha, que se encontra no país desde Janeiro de 2014 e antes se encontrava a trabalhar na Escola Geração Benfica do Estádio da Luz até finalmente partir rumo à Escandinávia.

Espinha não representa Portugal em solitário na nação nórdica – partiu para a Noruega a convite de um amigo e colega, Hugo Vicente, mais um treinador português a trabalhar no país e mais precisamente como coordenador técnico no Viking, actual último classificado da Eliteserien, a divisão máxima do país, que nessa altura necessitava de alguém que viesse acrescentar qualidade e critério ao que era feito nas etapas de iniciação no clube que na altura reforçou, o Bergsøy IL.



O trabalho realizado pelo português atingiu tamanha valorização que lhe permitiu passar a ser o responsável por recrutar os guarda-redes para os escalões de formação da Selecção Nacional da Noruega, com a qual espera continuar a trabalhar numa perspectiva de longo prazo, assumindo junto do NOVA ACADEMIA DE TALENTOS que “o futuro a nível pessoal, neste momento, passa por continuar a minha formação por aqui (tirei aqui a licença UEFA B e agora terminei também a A de Treinador de Guarda Redes) e fazer mais algumas visitas a clubes desta realidade e também de fora.”

Feliz por fazer parte de um projecto ambicioso como o de reerguer uma selecção nacional que há alguns anos se encontra abaixo de vizinhas como a Suécia e a Dinamarca, Pedro Espinha acrescenta que a sua ambição imediata passa por “conversar, discutir e aprender mais a cada dia, para a minha valorização pessoal. Em termos de ofertas de clubes daqui e outros projectos, tem havido, mas acredito que, quer as coisas corram de uma forma calma ou menos calma, necessitamos de estabilidade para desenvolvermos o nosso trabalho sobretudo quando trabalhamos com guarda-redes e com um espectro tão amplo de idades sob a nossa alçada.”

O prestígio do treinador de guarda-redes luso no país impressiona ainda mais pelo facto de nem sequer trabalhar diariamente num clube de I Liga, representando o Lyn, emblema que se encontra a quatro jogos de atingir a promoção para a Segunda Divisão do país com o objectivo, sublinha Pedro Espinha, de “voltar da forma mais sustentada possível á realidade de onde veio. Para além do mais trabalho com um treinador principal que foi uma lenda viva das balizas Norueguesas, Thomas André Ødegaard, o que me facilita e motiva imenso, já que me dá liberdade total para trabalhar como quero."

Sobre o trabalho desenvolvido com aquele que é por muitos tido como o melhor guarda-redes da História do país, o português revela que “discutimos muito o que se faz e tenho a sorte de ele ser um bom apreciador daquilo que faço,” assim como cada vez mais figuras de proa do futebol norueguês que esperam também num português a resposta para a sua recuperação desportiva.

quarta-feira, 25 de outubro de 2017



Mali - o único candidato ainda puro

Como se pode perspectivar o Mundial sub-17, que se vai disputando na Índia e no qual se podem encontrar várias selecções já dotadas de valores que não deixam quaisquer dúvidas quanto ao seu potencial de progressão nas mais altas esferas do panorama internacional?

Simples: antes, a qualidade não era tanta assim e era normalmente o fulgor físico das equipas africanas a ditar a diferença e nesta edição de 2017 não constituiu esse o caso a não ser a partir do Mali, selecção que deu boa conta de si no torneio com o destaque de todos os seus jogadores ainda competirem nos Campeonatos Nacionais do país, situação nem sempre visível nas restantes nações do escalão que cedo vêem partir os seus jovens valores para o futebol europeu.

Esta 4ª feira, o Mali ‘caiu de pé’ precisamente devido a essa razão - dos quatro conjuntos que assomaram à meia-final, apenas este seleccionado africano apresentou um futebol de maior pureza e sem imperativos tácticos atribuídos a um país com superiores condições de trabalho e para a prática do futebol como as finalistas Inglaterra e Espanha (estes os ‘carrascos’ do Mali) e ainda o Brasil, equipa com a qual disputará a terceira posição final, um posto que, assinale-se, seria merecido para um punhado de jogadores que em pouco tempo deverão concluir a sua formação noutras paragens.

A Europa deverá mesmo ser o destino próximo para vários talentos malianos entre os quais devem distinguir-se dois deles: primeiramente o seu principal goleador, Lassana Ndiaye, de 17 anos, que registou a sempre notável média de um golo por jogo - 6 golos em 6 encontros realizados - e conseguiu a proeza de marcar em todos os encontros que disputou com excepção do desafio frente ao Gana, chamando ainda mais a atenção pelo facto de ainda representar o Guidars do seu país da mesma forma que o capitão de equipa Mohamed Camara.

Também ainda a alinhar no seu pais natal representando o Real Bamako, este centrocampista também de 17 anos revelou-se uma força da natureza capaz de transportar jogo em progressão e queimando linhas mesmo apresentando um estilo ainda ‘cru’, com a cabeça pouco levantada e até uma forma de locomoção pouco eficaz que ainda pode e deve ser corrigida. O meio-campo ofensivo maliano acabou por sentir a perda registada pela ausência do seu capitão que na eliminatória anterior, os quartos-de-final disputados com o Gana, foi admoestado com um impeditivo amarelo.

Esse cartão afastou Camara da partida seguinte, acabando por fazer a sua equipa descer de produção e logo perante o campeão europeu em título que aproveitou algumas fragilidades do conjunto africano que não deixou de dar luta e deixar claro que o terceiro lugar da prova está mesmo ao seu alcance apesar da valia que deve ser atribuída ao Brasil. Aconteça o que acontecer, o futuro desta nação parece assegurado.


Também se forma bom e barato na periferia

Para alguns tido como uma paixão, para outros visto como secundário, o futebol de formação torna-se indispensável por reservar o futuro do futebol mundial, não apenas nos grandes centros internacionais mas também nos mais periféricos.

Pelo Mundo fora existem muitos e bons exemplos de formações profícuas - a mais produtiva da Europa continua a ser a academia do Ajax, da Holanda, que é seguida cada vez mais de perto pelo mais interessante caso da actualidade, o Dinamo de Zagreb, da Croácia, que possui já 67 jogadores a alinhar nas diversas Primeiras Ligas europeias, tendo ultrapassado o vizinho Partizan de Belgrado, da Sérvia, que actualmente coloca 61 jogadores nas Ligas internacionais, e o todo-poderoso Real Madrid, que formou 58 atletas na mesma condição.

Uma classificação que apresenta como destaque o facto de o Real apresentar mais atletas da sua formação em Ligas principais do que o seu arqui-rival, o Barcelona, que vinha apresentando uma maior fama de clube formador e não foi além dos 50 futebolistas colocados nas divisões principais da Europa, ocupando a 11ª posição dessa tabela, bem distante do caso de estudo que será o Dínamo, emblema que coloca pelo menos um jogador em qualquer grande clube internacional e terá em Luka Modric, do Real Madrid (à esquerda na imagem), o seu expoente máximo neste momento.

Para além do Dínamo, começa a ganhar uma interessante expressão um clube formador em…Israel, que chama já a atenção de emblemas de topo como o Liverpool ou a Juventus, ambas interessadas na contratação daquele que é aos dias de hoje o produto de maior potencial no país, o jovem de 18 anos Manor Solomon, médio de elevada cotação em Israel (à direita na imagem) e que representa o Maccabi Petah- Tikva suscitando um enorme interesse em Itália, onde a imprensa local vem avançando que este promissor atleta poderia chegar a um acordo a troco de 5 milhões de euros.

terça-feira, 24 de outubro de 2017



Gauld - rentabilização em risco?

Num momento em que o Sporting se vem começando a aproximar da capacidade de concretizar as vendas que o Benfica e o FC Porto têm por hábito fazer, existe um caso que provocará alguma preocupação aos leões como Ryan Gauld, um jogador ao qual continuam a afigurar-se esperanças de se realizar um futuro grande encaixe. Para que tal aconteça, terão de ser-lhe concedidas oportunidades na equipa principal, o que para já não parece que esteja acontecer (para o demonstrar, o Sporting não teria trazido jogadores de difícil valorização financeira para esses lugares.

Jogadores como Bruno César, que chegou em Janeiro de 2016 e também ele não passa por ora de uma opção secundária, representam o tipo de jogador que reduz a pó as possibilidades para um jogador como Gauld, pelo que em alternativa o Sporting optou por emprestá-lo a um bom clube da Liga ao invés de o fazer rodar num emblema internacional como foi feito, sem resultados, com  Wallyson Mallmann que foi emprestado ao Nice de forma a ser vendido a um grande clube - chegou a falar-se de Itália para o médio brasileiro.

Poderá vir a acontecer o mesmo com Gauld… se jogar. E tal encontra-se distante de ser dado como líquido devido ao facto de a entrada de Lito Vidigal ter para já significado a sua saída da equipa, o que certamente valorizado na Vila das Aves para que no final da época possa ocupar uma vaga no plantel eventualmente criada pela transferência de um dos médios que compõem o actual grupo. Até lá, será mesmo Vidigal a ter essa última palavra.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017





Thiago campeão regional e a ‘piscar o olho’ à Europa

No Rio de Janeiro tem vindo a brilhar um jovem jogador de 18 anos que alinha como atacante e que já vinha sendo monitorizado por empresários influentes do país, tendo conquistado a admiração dos restantes atletas do seu escalão e que com ele contactam nas quatro linhas, convivendo com os muitos detalhes e atributos que podem desde já encontrar-se no seu futebol.

Como atleta nascido em 1999, mais precisamente a 25 de Julho desse ano, Thiago Lima encontra-se federado num clube que vive um bom momento, representando o Bela Vista de Niterói, do Rio de Janeiro, onde os seus 1,80 metros e a excelência revelada na finalização como ambidestro o tornam evidente destaque dado o apetite e instinto goleadores que revela e o mantêm no decurso de uma temporada de testes no poderoso Vasco da Gama após ter atravessado com sucesso as anteriores fases de observação.

O extraordinário momento de forma poderá conduzir em breve este jovem atacante à Europa, para onde tem previsto viajar em Janeiro para Portugal com o intuito de se mostrar, trazendo consigo como ‘cartão-de-visita’ o sucesso deste Domingo no qual se sagrou campeão de uma Taça regional com estatuto de melhor jogador da competição.


sábado, 21 de outubro de 2017





Raúl em perda

Persiste a dúvida sobre quem o Benfica poderá apresentar em campo para um jogo de cariz importante para a sua carreira na Liga NOS, sendo que Raúl Jiménez não tem convencido nas últimas partidas de forma a ocupar um lugar como titular ao lado de Jonas, que deve com naturalidade regressar à titularidade e ainda procura o parceiro ideal depois de nas últimas duas épocas o ter feito com Kostas Mitroglou, transferido neste defeso para o Olympique de Marseille, esperando-se pela primeira escolha deste clube grande do nosso futebol.

Com um estatuto a defender, o Benfica já terá nesta altura percebido que com o plantel de qualidade que possui, a contratar novos jogadores apenas o deveria fazer quando vêm mesmo para acrescentar. No caso do Benfica, esperava-se que a chegar um novo avançado não se corra o risco de contratar por contratar.

Desconfiava-se do acerto na contratação de Raúl Jiménez por pouco ter mostrado na Europa e a inexperiência até chegar à Luz. Em particular, o grande risco esteve mesmo no elevado valor investido (9 milhões por apenas 50% do seu passe… que disparou para um total de 22 milhões de euros). No entanto, o investimento é compreensível apesar de existir a concordância sobre tratar-se de um risco enorme e tudo tem que ver com as características especiais de Jiménez, que pode jogar fixo ou em dupla num estilo que no seu México natal era tido como semelhante ao de Ibrahimovic.

Com as devidas diferenças, como é óbvio, Raúl fez por impressionar e está directamente ligado a vários dos grandes momentos do Benfica nas últimas épocas. No entanto, a sua utilização frente ao Manchester United revelou um goleador em perda que sem grande surpresa deverá ser rendido - pelo menos - pelo experiente e inevitável Jonas na busca por golos frente ao Desp. Aves.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017


Lateral esquerdo - esta é outra posição que carece, nesta altura e sempre, de alternativas e acima de tudo de jogadores de tarimba internacional. Com Fábio Coentrão, existem duas possibilidades num só jogador: ou ganhar um lateral titularíssimo ou repetir a fórmula que chegou a ser utilizada na Selecção Nacional com uma asa em cooperação com outro lateral, como chegou a suceder com Eliseu. No entanto, o sonho Coentrão é difícil de concretizar devido à sua condição física, que será uma incógnita no desafio de hoje ante a Juventus.

A Juve poderá constituir um sério problema para um jogador com historial de problemas musculares e que há muito não compete, visto não ter estado entre os convocados de Portugal e ter sido poupado à eliminatória pela Taça de Portugal ante o Oleiros, na qual foi um dos visados de Jorge Jesus que por várias ocasiões se referiu à impossibilidade de utilizar elementos do plantel que possuam um historial de lesões… como Coentrão, sobre quem reside boa parte das esperanças do leão para o duelo de campeões desta 4ª feira.

terça-feira, 17 de outubro de 2017



A saída de Maxi Pereira do Benfica conduziu a uma nada descabida remodelação no posto de sub-capitão dos encarnados numa mudança que envolveu vários jogadores e nessa altura um feito Maxi conseguiu: ser o centro das atenções dos adeptos do futebol nacional pela sua situação de 'noiva' disputada por vários pretendentes.

Até com algum exagero, diga-se: se em termos imediatos a sua qualidade é indiscutível, os valores de salário e possível prémio de assinatura acabaram por tornar-se ridículos. Para ficar no Benfica, a expectativa seria a de que tivesse um aumento salarial, acima do que aufere Luisão (esse sim, indispensável ao clube nesse e no presente momento), acabando a demora na sua resposta à proposta de renovação por ser vista como uma atitude de 'prima dona' para os encarnados que encontraram a sua substituição no seu banco de suplentes e até mesmo na equipa B e dessa forma outros companheiros tiveram o seu espaço.

Trabalharam desde o primeiro dia em 2015/2016 jogadores como  André Almeida, premiado pelo seu esforço e titular durante a maior parte da época em função de Nélson Semedo que surpreendeu o panorama futebolístico internacional e actualmente representa o Barcelona. Já Maxi assinou pelo FC Porto no que se revelou um excelente negócio para Maxi em virtude de ter-lhe valido um chorudo prémio de assinatura mas um ruinoso negócio no aspecto financeiro do FC Porto ao representar um investimento de 20 milhões de euros em 4 anos num jogador que seria visivelmente inferior no espaço de duas épocas.

Ganhasse quem ganhasse esta novela, ninguém se ficaria a rir... Sobre Maxi Pereira ruma opinião muito prática na qual deve compreender-se que na vida, por muito que gostemos do que fazemos, na verdade o dinheiro é também realmente importante e como tal em nada chocou que o uruguaio tivesse assinado pelo FC Porto.

Numa perspectiva de paixão futebolística, Maxi tinha dois caminhos para escolher: tornar-se um símbolo do Benfica ao jurar eterno amor a um clube no qual já se encontrava há oito anos ou ser igual a tantos outros e assim optar pelo dinheiro e outras motivações como repetir uma estada de sucesso, desta feita no Dragão. No fim, escolheu a segunda via e há que respeitar, encontrando-se aos dias de hoje numa posição dificultada ao estar remetido ao banco de suplentes e partir para já atrás de Ricardo Pereira e Miguel Layún pelo lugar de lateral direito.

A manter-se esta situação, arrisca-se ao terceiro ano de decepção individual mesmo que o dragão alcance o regresso às conquistas, dada a sua presente falta de influência na manobra do actual FC Porto. Conquistar a Liga NOS pelo FC Porto seria um importante marco para Maxi, mas muito menos relevante caso suceda numa situação (como para já acontece) de segunda escolha ou de papel secundário.

segunda-feira, 16 de outubro de 2017



Real – Desclassificação sem reacção oficial nem recurso ao TAS

Vencido, mas não convencido. Poderia ser esta a caracterização ideal para o Real SC no que respeita à decisão do Conselho de Justiça da FPF em afastar em definitivo o clube sintrense da Taça CTT, o que terá mesmo dado por terminado o caso muito embora o sentimento dos seus responsáveis seja o de injustiça, não sendo ainda conhecida uma reacção oficial do clube à decisão conhecida na última 3ª feira uma vez que o Presidente do Real, Adelino Ramos, não respondeu à tentativa de contacto telefónico procurado pelo NOVA ACADEMIA DE TALENTOS.

De qualquer forma, o Real terá mesmo desistido do processo visto que após o recurso ter sido negado pelo Conselho de Justiça da FPF apenas se colocava como única possibilidade de novamente recorrer um avanço para o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS), o que não será tido como solução pela delonga que todo o processo teria até uma resolução, sem esquecer que ao não ter qualquer efeito suspensivo a competição poderia ter continuidade, o que não permitiria ao Real voltar a competir na corrente edição da Taça CTT em tempo útil como era desejado no momento do recurso.

De resto, em termos desportivos, o momento é de extrema confiança após no Sábado passado o conjunto de Massamá/Queluz ter goleado o Nacional na Choupana, seguindo-se dois testes em dois dias consecutivos sem consentir qualquer derrota – vitória sobre o SL Cartaxo na 3ª feira e empate a dois golos no Estoril no dia seguinte, sendo que esta 5ª e 6ª feira o Real regressou à normalidade com a realização de um habitual apronto no seu Complexo Desportivo, seguindo-se este Sábado novo teste ao ter também no seu Estádio, em Monte Abraão, empatado com o Sacavenense a zero.

sábado, 14 de outubro de 2017



Faltava à Selecção Nacional outro tipo de soluções, como uma unidade ‘híbrida’ capaz de alinhar em posições criativas como o centro do terreno em aproximação ao avançado e sobre qualquer uma das alas e até ao para sempre recordado Euro 2016, o maior momento desportivo de Portugal numa competição de selecções,  a equipa apenas detinha, num registo diferente, André Gomes para desempenhar essa função. Até que surgiu, e com esplendor Bernardo, e que jeito daria agora, por exemplo, a várias das selecções históricas que ou falharam ou correm o risco de falhar o Mundial 2018...

No espaço de um ano, Bernardo Silva tornou-se indispensável não apenas à equipa nacional como também ao milionário Manchester City, de onde partiu o desejo inquestionável de um dos grandes treinadores da actualidade e, porque não dizê-lo, da História da modalidade como Pep Guardiola. 2018 será certamente um grande ano para este talento e o público português certamente agradece.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017



Talisca - um jackpot ou um caso bicudo?

Ao poder valer para o Benfica um encaixe extraordinário - não faz sequer parte do actual plantel das águias - Anderson Talisca pode revelar-se um verdadeiro 'jackpot' para os encarnados, a confirmar-se a transferência para algum dos clubes interessados no seu concurso como o Besiktas, emblema ao qual se encontra emprestado, ou o Atlético de Madrid que surge apontado à sua contratação. No entanto, num cenário totalmente negativo, o brasileiro poderia tornar-se num caso difícil de resolver como alguns que surgiram nas últimas temporadas como excepção aos muitos casos de sucesso desportivo.

Esperará o Benfica até ao final da época rentabilizar o passe de Talisca, sob pena de ao invés de lucrar acabar por financeiramente entrar em prejuízo. Recordem-se assim os casos de Adel Taarabt, ainda ligado ao clube e também cedido, mas ao Génova, Filip Djuricic, que acabou por deixar a Luz como 'moeda de troca' no acordo que permitiu assegurar a aquisição de Pedro Pereira, também ele 'encostado' no Benfica B até encontrar solução em Janeiro, para além dos avançados Jonathan Rodríguez e Nélson Oliveira (ambos cedidos e sempre com poucas possibilidades de regresso até se desvincularem em definitivo).

Se para o lugar de ponta-de-lança existe matéria-prima mais do que suficiente para atacar a presente época e até a próxima - aliás, muito provavelmente nem todos ficarão em 2018/2019, futebolisticamente Talisca até poderia significar uma mudança de paradigma para ocupar um lugar de destaque na equipa como segundo avançado depois de ter saído devido às poucas oportunidades que vinha tendo. No entanto, a divergência de posição que criou com a SAD terá tornado esse cenário bastante improvável e a sua transacção quase obrigatória



MiniFootball - Portugal ainda sonhou com apuramento no Mundial

Teria mesmo de ter lugar esta 4a feira a primeira vitória de Portugal na sua história de participação no Mundial de MiniFootball visto ser esse o único resultado que poderia garantir apuramento para a fase seguinte da prova.

Isto porque apesar de ter melhorado a performance registada na jornada inaugural, na qual havia sido derrotado pela Tunísia, Portugal não foi além de um empate a zero com a Líbia, o que ainda assim a mantém na discussão.

O facto de outras equipas se posicionarem, tal como Portugal, na terceira posição do respectivo grupo com um ponto conquistado, tornava necessário à equipa nacional levar de vencida o Líbano. Vencer os libaneses poderia inclusivamente garantir o segundo posto para Portugal, dependendo de uma conjunção entre o goal average conseguido e de uma eventual vitória da Tunísia sobre a Líbia no restante encontro que restava disputar no Grupo F.

MiniFootball - Portugal cai na fase de grupos

Todavia, está concluída a primeira participação de Portugal num Mundial de MiniFootball, com a equipa portuguesa a não ter conseguido ultrapassar a fase de grupos. Para o fazer, a equipa portuguesa necessitava de um triunfo que não haveria de acontecer.

A necessária vitória não sucedeu pois Portugal não conseguiu evitar um empate a um golo com o Líbano na terceira jornada do Grupo F, tendo estado na frente do marcador graças a um pontapé de Nuno Capela de fora da área, assistido por um livre de Eduardo Barão direccionado da esquerda para um terreno frontal.

Para lamento de Portugal, o Líbano restabeleceu a igualdade segundos depois e também a partir de um pontapé de meia distância a seguir-se a um livre, com o disparo certeiro a ter pertencido a Ahmed Daher, impondo assim o 1-1 final que afastou ambas as seleções de prova sem que tivessem conquistado qualquer vitória. Portugal concluiu o Grupo F com 2 pontos somados em duas igualdades ante o adversário desta 4a feira, o Líbano, e na véspera ante a Líbia. Antes, Portugal havia sido derrotado pela Tunísia no jogo de abertura e de nada valeu a terceira posição obtida no agrupamento.