terça-feira, 15 de dezembro de 2015




Num jogo de aflitos que colocava o penúltimo perante o último classificado da Série G, nenhuma das equipas conseguiu levar a melhor, continuando Sacavenense e Eléctrico em série negativa que se vai prolongando no tempo no seguimento de um encontro no qual a equipa visitante cedo se colocou em vantagem através de um auto-golo de Cláudio que seria depois anulado pelo tento da igualdade obtido por Leo. 

No entanto, as horas seguintes terão provado que a jornada foi mesmo mais profícua para a equipa da casa que a este ponto conquistado viu juntar-se-lhe mais três em função da vitória atribuída na secretaria relativamente ao derby concelhio ante o Loures na jornada anterior. Desta forma, o conjunto de Sacavém vê mais próximos os lugares de desafogo, ao contrário do conjunto de Ponte de Sôr que se vai afundando na tabela classificativa.

Campo do SG Sacavenense – Sacavém
SACAVENENSE
Nuno Rafael
Carlos Bebé
Daniel Ildefonso
Diogo Oliveira ©
Diogo Duque
Lamine Djassi
Joel Neves
(Paulo Matias, int.)
Fábio Arcanjo
Nuno Borges
(Gwangyun Park, 75)
Léo Mofreita
Cláudio Sanches
(Brett Mbalanda, int.)
Treinador: Luís Morais
ELÉCTRICO
Gilson Lima
Tomás Menezes
Pedras
Pedro Paiva
Pedro Batista
Marco Grilo
Rui Pereira
Gonçalo Santos
(Fábio Vilas Boas, 53)
Jacinto Monteiro
(Ruizinho, 90+3)
Billy ©
(Rui Costa, 81)
João Gomes
Treinador: Marco Tábuas

Arbitragem: João Marques – Setúbal
Disciplina: cartão amarelo para Carlos Bebé (67), Fábio Vilas Boas (80) e Marco Grilo (80) 
Marcadores: Leo Mofreita (48); Cláudio Sanches (5, auto-golo)
Perante um adversário de valia como o Real, o Casa Pia realizou uma prestação digna de um candidato ao apuramento para a Fase de Subida goleando o seu adversário de forma categórica com quatro golos e uma forte performance ofensiva que conduziu os gansos a uma vantagem de 3-0 ao intervalo que ainda seria ampliada já sobre o final da partida.

Este resultado permitiu ascender assim à liderança da classificação antes de uma deslocação a Loures que será mais um teste ao poderio e condição de mais forte concorrente a vencedor da Série G a este Casa Pia que parece vender saúde.

Campo Pina Manique – Lisboa

CASA PIA
Miguel Soares
Fabio Pala
(Rafael Floro, 67)
Bruno Lourenço
João Freitas
Zinho Fonseca ©
Pedro Ganhão
(Ruizinho, 82)
João Coito
Ernesto Faísca
Guti Almada
Gonçalo Gregório
Sabry
(José Semedo, 54)
Treinador: Filipe Coelho

REAL
Patrick Costinha
Paulinho ©
Alpalhão
Rúben Casimiro
José Pedro
Ruben Marques
Morgado
Altair Junior
(Hugo Meira, 27)
Mota
(Alvaro Jaló, int.)
Nuno Almeida
(Marcelo Lopes, 64)
Angola
Treinador: Jorge Prazeres

Arbitragem: Rui Rodrigues – Lisboa
Disciplina: cartão amarelo para José Pedro (39), Ruben Marques (41), Sabry (48), Fábio Pala (51), Pedro Ganhão (56), Hugo Meira (60), Rúben Casimiro (75), Ernesto Faísca (85), Angola (87) e Gonçalo Gregório (89)
Marcadores: Gonçalo Gregório (2), Sabry (15), João Coito (40, gp) e Ernesto Faísca (90+1)