sexta-feira, 16 de setembro de 2016




Porque não seguir o exemplo do Futsal?

Será nada menos do que um mistério o facto de não mais se ter repetido uma competição que parecia tudo ter para vir a tornar-se um importante torneio de pré-temporada como é o caso da Taça de Honra, organizada pela AF Lisboa. À primeira vista, e segundo se chegou à escutar, o facto de os clubes de maior dimensão encararem a prova como uma competição secundária terá levado à sua suspensão, aparentemente sem regresso planeado. Reside aqui a grande discórdia:

Por acaso esperariam que no Benfica os ‘Jonas e afins’, assim como os campeões europeus do Sporting se 'esmifrariam’, ou seja, ofereceriam todo o seu máximo rendimento, para ganhar a Taça de Honra? Não seria importante também lançar novos jogadores?

Equipas lisboetas que disputam o CPP poderiam oferecer qualidade à Taça de Honra

Apenas clubes como o SLB ou o SCP poderia dar essa possibilidade, o de lançar novos talentos numa prova com visibilidade...Isto sem falar que os clubes de Primeira Liga sempre sentiram dificuldades em jogar nos campos das várias equipas também sediadas em Lisboa e por isso também associadas da AF Lisboa e que alinham em provas competitivas como o Campeonato de Portugal, como o Casa Pia ou o Oriental (perguntem a V. Setúbal e Estoril, que nas últimas duas épocas foram derrotados em Marvila), entre outros.

Mal por mal, caso águias e leões não manifestassem sequer qualquer interesse em fazer parte da prova, antes seria preferível substituir o Benfica e o Sporting por qualquer outra dessas equipas também lisboetas - aponto como exemplos o Oriental e o Casa Pia, assim como qualquer outro dos integrantes da Série G, como o actual líder Loures.

Porém, parece evidente o que pretende a AFL - contar com os ‘chamarizes’ Sporting e Benfica, como o faz com sucesso absoluto na variante de Futsal, competição que se vem desenrolando neste final de semana e demonstra a capacidade deste tipo de organizações.