sábado, 24 de outubro de 2015




Irmãos Celestino denunciam insuficiências – Nogueirense

Infelizmente, tudo indica que as situações de profundo amadorismo continuam a suceder no Campeonato Nacional de Seniores, desta feita na AD Nogueirense, a partir de onde os brasileiros Haygnner, que já representou o Paços de Ferreira e a União de Leiria, e Guilherme Celestino, que cumpriu parte da sua formação no Sporting, irmãos que representam o clube, expuseram ao NOVA ACADEMIA DE TALENTOS as deficitárias condições nas quais afirmam ter vivido.

O mais velho dos dois irmãos, Haygnner, reconhece tratar-se de “uma situação complicada, não é fácil. Talvez isto faça com que todos parem e talvez vejam a situação em que estamos em termos de competições semiprofissionais. No meu caso sou profissional, mas por força das circunstâncias acabei por jogar num clube do CNS e a experiência não está a ser nada boa e necessitámos de ajuda. Para que vejam que no futebol nem tudo é como se pensa…”

“Infelizmente este é o nosso futebol. O Nogueirense não oferece a mínima ajuda para a alimentação dos seus jogadores, treinar sem pequeno-almoço, não ter almoço suficiente para a quantidade de jogadores que hospeda e ainda ter de treinar à noite (não foram nem uma nem duas vezes), foram várias as vezes em que saí do treino e chegava no refeitório e não encontrava nada para comer porque a comida não era suficiente para todos,” denuncia o médio brasileiro.

Haygnner acrescenta ainda que “houve vezes em que levantei e não tive sequer forças para treinar, tive de dizer ao treinador que não estava capaz de me treinar por fraqueza… prometeram coisas na hora que depois não cumpriram.”

“Um Presidente que interfere com as convocatórias antes dos jogos, é ele que escolhe os jogadores pois já o ouvi na sala dos treinadores a dar ordens! Um clube em que o Presidente fala mal do treinador, o director fala mal do Presidente e do treinador, o treinador fala mal do Presidente e assim vai… Um clube em que a falsidade corre no ar, um clube em que cada um quer derrubar o outro, no qual os empresários para eles são deuses,” assim caracteriza o atleta.

Por todos estes motivos, Haygnner e Guilherme não viram outra resolução que não tenha sido abandonar de imediato a AD Nogueirense, o que apenas não sucedeu mais cedo, conta o primeiro, devido ao facto de “se acharem no direito de não querer dar a carta, infelizmente só há uma saída para isto, o Sindicato de Jogadores, que são os que me puderam ajudar. As pessoas precisam de saber o que se passa na casa dos jogadores,”concluiu ainda antes de ver confirmada a sua saída, encontrando-se agora os dois irmãos no Brasil natal em busca de novo clube.