terça-feira, 18 de outubro de 2016





Real – Apuramento era sonho, baliza a zeros objectivo; tudo cumprido

Se havia momento indicado para procurar surpreender o País futebolístico com estatuto de tomba-gigantes, era mesmo este para o Real. Líder isolado na hipercompetitiva Série G do CPP com 4 pontos de avanço sobre o segundo classificado Sacavenense, o clube que agrega as localidades de Massamá, Queluz e Monte Abraão encontra-se em estado de graça e preparado para desafios superiores, chegando-lhe essa possibilidade com a recepção a um primodivisionário, e logo com estatuto europeu no início da temporada como é o caso do Arouca.

Um dos pontos fortes desta sensação sediada na região de Sintra encontra-se na defesa e dá pelo nome de Nuno Tomás, defesa central cedido pelo Belenenses até final da época e por esse motivo um dos elementos mais habilitados a desafios de alto nível apesar da sua juventude (tem apenas 21 anos) e que sublinhava três dias antes do jogo, na 5ª feira e em exclusivo para o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, que o foco da equipa não se alterou mesmo perante o nome do rival que se aproximava: Uma previsão que viria a revelar-se absolutamente acertada.


Nuno Tomás liderou um sector que contribuiu sobremaneira para a grande surpresa da Taça

“Para além de pouparmos um pouco o relvado, seja a treinar no sintético ou com jogos de treino como ainda tivemos, é uma semana normal,” até porque a série de triunfos consecutivos e a liderança no Campeonato serviriam de bálsamo para o Real.

Considera este o jovem central “o jogo certo para continuar a nossa boa fase de vitórias, sabendo que eles são os favoritos e têm a responsabilidade do jogo, nós só temos de jogar o nosso futebol e esperar fazer uma surpresa. Não temos nada a perder,” uma vantagem para toda a equipa e em especial para o sector defensivo no qual possui papel importante: No fim de contas... acertou em cheio, com o Real a ter-se tornado a grande surpresa da eliminatória ao vencer o seu rival visto como amplamente favorito e com a sua baliza a zeros. Cuidado com este Real!

“Tenho confiança em todos os meus colegas e em mim próprio. Tanto pelo trabalho que tem vindo a ser feito e que resulta nas vitórias e muitos jogos sem sofrer qualquer golo como pela vontade de cada um de nós passar mais uma fase desta taça. Vamos ter dificuldades diferentes do que estamos habituados no CPP, será uma aprendizagem para todos e espero que consigamos manter a baliza a zeros,” o que representaria meio caminho andado para que se vivesse um ‘momento de Taça’ para o Real.