segunda-feira, 31 de outubro de 2016



Trail Running - a tendência da superação pessoal

Teve este Domingo lugar em Santa Iria da Azóia a primeira edição da prova Loures Urban Obstacles em Trail Running, organizada pela ADCCA, clube sediado no Cabeço da Aguieira, Unhos, dedicado ao Atletismo, patrocinado pela Herbalife Nutrition, apoiado pela Câmara Municipal de Loures e pela União de Freguesias de Camarate, Unhos e Apelação, e com a OCR Cross Racing Lab como parceiro. Oportunidade, pois, para o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS dar a conhecer esta modalidade com a certeza de que a multiplicidade de desportos em Portugal deve mesmo ser o caminho.

A competição, que contou com duas provas distintas dedicadas às inscrições de praticantes não regulares da modalidade, a prova de Inscrição Normal, e a competição de Elites, foi assim vencida por José Mendes na variante masculina e por Sara Machado, atleta que pontificava também como madrinha da prova, na competição feminina e que cumpriu a sua missão de apresentar esta modalidade que ainda vem cumprindo os seus passos iniciais no nosso País ao considerar o Running uma modalidade desportiva em progressão.

Relativamente ao evento realizado, que compreendia uma corrida de 10km num percurso composto por 25 obstáculos, a atleta de Trail Running e instrutora de Fitness de profissão descreveu “a Urban Obstacles deixa-me contente pois quando chegámos a este Parque Urbano pensávamos que a prova seria mais tranquila. Não é que não o tenha sido mas tinha umas subidas de que não estávamos à espera e isso foi bom porque acabou por dificultar o percurso. Acho que foi uma primeira edição muito boa, há sempre pontos a melhorar mas isso faz parte.”

Sobre a divulgação do Running, em especial na componente Trail, Sara Machado reconheceu não estar tanto em voga quanto o Running numa acepção geral, considerando que “em termos de Trail Portugal está hoje bem mais desenvolvido. Obviamente que o Running, as Maratonas, principalmente as realizadas nas Pontes, acabam por gerar maior interesse e envolvência mediática mas o Trai está a dar os seus passos e agora estará a parte de juntar corrida aos obstáculos e nesse aspecto, o de juntar obstáculos, ainda há muito a fazer.”

“No meu caso específico em termos de treino o dia-a-dia acaba por ser no ginásio, com as minhas aulas e a treinar mas a modalidade já subiu muito e para mim o mais gratificante é que a cada sítio a que vás, vês pessoas a correr ou a andar de bicicleta cada vez mais e esse tipo de provas têm feito com o que as pessoas saíssem de casa para a rua para andar ou correr, mesmo pessoas com pouca experiência em termos de exercício físico e têm cada vez mais vontade de abraçar estes desafios, por vezes com algumas limitações mas dizendo já que é um desafio,” acrescentou a atleta.

Também Bruno Sousa, um dos sócios proprietários do ginásio OCR Cross Racing Lab e um dos mais conceituados atletas portugueses da modalidade, sendo habitual participante em provas de Trail na especialidade de Spartan, mais extensa em termos de quilometragem e de quantidade de obstáculos, marcou presença e sublinhou que “esta foi uma prova de 10 km e 25 obstáculos e por vezes o problema não está na qualidade dos obstáculos mas sim no percurso em si e nesta prova tivemos no final uma descida muito técnica.”

“Acho que o Running pode desenvolver-se ainda mais em Portugal e nesta parte de que falamos, o Trail, existe hoje na TV o programa ’American Ninja Warrior’, existe o Homem de Ferro, a Cross Racing… temos o nosso ginásio que é o único do género em Portugal, o OCR Cross Racing Lab, que todo este tipo de utensílios e obstáculos, por isso podemos utilizar o ginásio para treinar,” sugeriu o experiente atleta.

Bruno Sousa classifica o Trail como “uma tendência e de há dois/três anos para cá que compito neste tipo de provas no estrangeiro, mais até lá do que cá porque por aqui há poucas,” esperando que também na quantidade de provas organizadas em Portugal o Trail possa ter o ‘boom’ esperado, concluindo com a ideia de que “é extremamente importante que a modalidade se torne apelativa para apoios e patrocínios.

“No meu ponto de vista, as pessoas estão já um pouco fartas dos ginásios, das aulas de grupo, de correr em alcatrão, as Meias-Maratonas e Maratonas.”Tendo em conta os 400 participantes nesta prova em estreia, o repto parece mesmo estar lançado.