quinta-feira, 27 de outubro de 2016



Santa Iria: na Distrital, mas a jogar como profissional

Na época passada foi o Vilafranquense quem se sagrou campeão e garantiu a subida ao CPP, retirando ao Santa Iria a possibilidade de subir às competições nacionais. No entanto, esse é um objectivo do técnico do clube, Nuno Lopes, que vaticinou que uma das dificuldades caso esse feito se realize será “o terreno, que é o grande entrave, é demasiado curto,” casa da qual o Santa Iria teve mesmo de abdicar para a recepção ao histórico e primodivisionário Vitória de Guimarães devido a essa falta de condições logísticas que obrigaram a que o desafio se desenrolasse em Sacavém.

Essa situação, porém, foi vista pelo treinador como pouco problemática. “O mais complicado foi mesmo envolver deslocações e trazer tudo o que necessitávamos para aqui e ter de aqui realizar os treinos em vez de o fazermos em nossa casa”.

Apesar do poderio do adversário, um crónico candidato a participar nas competições europeias, a preparação, explicou Nuno Lopes, foi “a mesma e o Santa Iria esperou pela montra, tendo feito excelente figura ao ter sido apenas derrotado por 1-2 e ter mesmo apontado um golo nos últimos segundos, anulado por pretensa falta de um atacante da equipa de Santa Iria da Azóia sobre o guarda-redes João Miguel Silva.