quarta-feira, 13 de setembro de 2017


MiniFootball – Liga dos Campeões com dois representantes lusos

Iniciou-se na passada 5ª feira em Terme Catež. na Eslovénia, a Liga dos Campeões em MiniFootball, que se disputou na variante de Futebol de Seis e que se estendeu até ao próximo Domingo contando com a presença das melhores equipas europeias da modalidade, estando Portugal representado por dois conjuntos.

As cores nacionais foram desta forma representadas pela Lusitânia Lourosa/Florgrade, campeã nacional em título e proveniente de Aveiro, e ainda o Bonde Sem Freio, antigo campeão luso com sede em Lisboa, que partem para esta competição com a ambição de levar o mais longe possível a evolução do MiniFootball português entre as mais habilitadas equipas internacionais no decorrer dos quatro dias de competição.




Sortes diferentes para os lusos na Champions

Serão diferentes as reacções nas duas equipas portuguesas que participaram na EMF Champions League 2017, campeonato europeu de MiniFootball para clubes, que decorreu desde a última quinta-feira e se prolongou durante todo o fim-de-semana em Terme Catez, estância sediada na Eslovénia que recebeu as 76 equipas que disputaram em relva natural a competição que como as restantes provas internacionais foi jogada na variante de Futebol de Seis. No caso das duas representantes lusas, uma vitória na 1ª jornada da fase de grupos e uma derrota na 2ª.

No que respeita à campeã nacional em título, a Lusitânia Lourosa/Florgrade, que baqueou perante o campeão nacional polaco Dentim Clinic Katowice por claros 5-1 com o tento português a ser apontado por Hugo através de iniciativa individual já com o parcial em 5-0, um desaire que levou o conjunto de Aveiro a disputar a passagem à fase seguinte com o FC Laguna Pardobice, da República Checa, igualmente campeão em título no seu país, encontrando-se obrigado a vencer para garantir o apuramento directo ainda que o empate pudesse também ser suficiente para a qualificação.

Acabaria por não ser bafejada pela sorte a equipa proveniente de Santa Maria da Feira que sofreu um golo praticamente de entrada, restabeleceu a igualdade num período do jogo em que controlava por completo tal como faria até final, ainda que sem voltar a marcar ao ter desperdiçado várias ocasiões de perigo.




Dois pontos perdidos que significariam o afastamento da prova. Mais longe conseguiu chegar o Bonde Sem Freio, que se encontrava obrigado a pontuar na derradeira ronda da fase de grupos com o detentor do título, o Aramis SE Mad Dogs da Hungria.

Apesar da dificuldade que se antevia, o conjunto lisboeta venceu o seu mais cotado adversário e qualificou-se para a primeira ronda a eliminar, na qual teve pela frente o Polimark, da Sérvia, numa partida na qual o desgaste inerente ao facto de ter apenas 8 jogadores disponíveis, o Bonde entrou de forma pressionante e adiantou-se no marcador com livre directo superiormente cobrado por Wallace, tendo até estado perto de ampliar o placard. No entanto, seriam os sérvios a marcar, empatando o desafio contra a corrente do jogo.

O cansaço que afectava a equipa de Lisboa retirou clarividência à partida que no entanto cresceu em emoção, com o conjunto sérvio a operar a reviravolta, o representante português a alcançar nova igualdade e finalmente com o 3-2 favorável à equipa dos Balcãs precisamente na última jogada do desafio quando já se antevia um desempate através da marca de grande penalidade.