domingo, 16 de abril de 2017




Clássico de plenos bem distintos

Já começa a ser tradição, também pelo facto de este ser habitualmente fase de decisões sobre o título nacional de Iniciados, que em meados de Abril se discuta um Clássico ao nível sub-15, especialmente para o Benfica que na época passada goleava o Sporting em Alcochete e há dois anos empatava com o FC Porto no Seixal. Duelo que assim se reeditou entre águias e dragões, igualmente no Caixa Futebol Campus.

Acima de tudo por arrancar a 3ª jornada da Fase Final com duas derrotas em outras tantas partidas e a absoluta necessidade de não ver fugir o seu rival directo que ganharia assim um avanço pontual de 9 pontos com 7 jornadas por disputar, o FC Porto procurava pontuar perante o seu arqui-rival mas não conseguiria evitar o aumento de um fosso que seria mesmo criado com uma vitória incontestável do Benfica por 3-0.


Caixa Futebol Campus – campo nº1 – Seixal

BENFICA
1- Samuel Soares
2- Renato Matos ©
3- Rafael Brito
4- Tomás Araújo
5- Guilherme Montóia
6- Famana Quizera
(13- Gabriel Araújo, 54)
8- Ronaldo Camará
(16- Bruno Carregosa, 68)
10- Paulo Bernardo
11- Henrique Pereira
9- Fábio Silva
7- Gerson Sousa
(18- Diogo Cardoso, 30)
Suplentes não Utilizados: 12- Hélder Pereira, 14- Francisco Falcão, 15- Pedro Pereira e 17- Rui Santos
T: Luís Nascimento
4x3x3

FC PORTO
1- Ivan Cardoso
2- Tomás Esteves
3- Danilo Veiga
4- Tomás Rosete
5- Hugo Oliveira
6- Tiago Ribeiro ©
8-Sérgio Meireles
10- Bernardo Folha
9- João Pinto
(18- Veríssimo Amaro, 65)
7- Mauro Ribeiro
(17- Francisco Carneiro, 45)
11- Rui Bravo
(16- Diogo Carreira, int.)
Suplentes não Utilizados: 12- Igor Bastos, 13- Artur Carvalho, 14- Miguel Costa e 15- Lucas Sousa
T: José Conceição
4x3x3

Arbitragem: Rui Filipe Soares - Santarém
Disciplina: cartão amarelo para Famana Quizera (8) e Ronaldo Camará (28); Ivan Cardoso (15) e Danilo Veiga (50)
Marcadores: Famana Quizera (8, pen), Fábio Silva (44) e Ronaldo Camará (52)

Figura - Ronaldo Camará – Benfica

Habitualmente compete no escalão acima, nos Juvenis, e percebe-se porquê; muito evoluído física e tecnicamente, como demonstrou na cobrança do livre que fechou o resultado final.