sábado, 8 de abril de 2017





Oriental volta a demarcar-se do Jogo Duplo... Até em campo

Cerca de 10 meses após o surgimento a público do Processo Jogo Duplo, que afectou directamente o Oriental com a detenção de quatro jogadores ligados na altura ligados ao clube no momento que se sucedeu à última jornada da edição anterior da Ledman LigaPro - vitória no terreno do Atlético -, na altura com a detenção do guarda-redes Rafael Veloso e do defesa central André Almeida (nessa época cedidos pelo Belenenses), o lateral esquerdo João Pedro e o defesa central Diego Tavares. No seguimento do processo, o quarteto sofreu diferentes medidas de coacção:

Termo de identidade e residência com suspensão do desempenho da actividade em Portugal para os três primeiros: devido a esse facto, o esquerdino João Pedro, que assinou pelo At. Malveira (Campeonato de Portugal) não compete desde Dezembro ao passo que Rafael Veloso e André Almeida continuam em actividade mas fora do País, o primeiro no Valdres (III Divisão da Noruega, competição que se inicia apenas em Abril) enquanto o segundo se encontra na Lituânia ao serviço do Stumbras, inserido na Primeira Liga desse país do Báltico com três partidas já disputadas.

Quanto ao último, defesa central brasileiro, foi o único até ao momento a ser alvo de medidas mais duras, tendo-lhe sido imposta uma pena de prisão preventiva de cariz domiciliário com obrigação de pulseira electrónica sendo que, sabe o NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, Diego Tavares ainda aguardará os termos da sua acusação no domicílio em que se encontra retido, em Lisboa.

Tal como há 10 meses a Direcção do Oriental decidiu reagir aos acontecimentos e se na época passada enveredou por uma conferência de imprensa desta feita a tomada de posição passou por um comunicado novamente devido ao facto de o nome do clube ter esta quarta-feira voltado a ser envolvido no caso devido aos recentes desenvolvimentos que levaram à detenção de seis pessoas para interrogatório, duas delas futebolistas pertencentes ao actual plantel do clube de Marvila depois de alguns órgãos terem ainda avançado que seriam três os jogadores do clube lisboeta envolvidos.

Isto porque Pedro Mendes, actualmente ligado ao Pinhalnovense, também se encontra indiciado e fazia também parte do plantel na época passada tendo mesmo dado início à presente temporada ao serviço do clube para abandonar o plantel já no seu decurso. Nada alheio a tudo isto, pois a pressão evidentemente rodeou o clube e o clima de preocupação sob o plantel, o Oriental reagiu com a força de uma entidade competitiva derrotando o Mineiro Aljustrelense, sucesso ao qual procurará dar continuidade na visita ao Sporting de Viana do Alentejo.

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Diogo Taborda/Clube Oriental de Lisboa