terça-feira, 11 de julho de 2017



Selecção A Feminina - Desde as poderosas pioneiras às jovens irreverentes

Alfredina Silva e Adelaide Almeida. Conhece? Não? É natural - tratam-se possivelmente das duas maiores pioneiras do Futebol Feminino em Portugal, num tempo em que a sociedade lusa pouco acreditava que também as mulheres podiam praticar a modalidade e no qual os apoios eram inexistentes. Nesse tempo, a Selecção Nacional era constituída do zero e dava início a uma progressão que conheceu o seu ponto mais alto em 2017, quando dentro de uma semana Portugal se estrear na fase final de um Campeonato da Europa.

Nos anos 80, Alfredina (uma esquerdina que ainda hoje faria muita falta a Portugal…) e Maria Adelaide, uma centrocampista que serve de referência às gerações seguintes, conheceram adversidades que levaram a actual geração a levar o nome do Futebol Feminino mais longe num percurso que nunca perderia a ligação ao futebol - a primeira encontra-se em funções como treinadora principal do Boavista e a segunda como treinadora adjunta do Futebol Benfica.

Principais selecções europeias servirão de exame à actual capacidade portuguesa

Ambos os clubes disputam a principal Liga nacional, a Liga Allianz, que deu a conhecer ao grande público várias jogadoras que não eram tão conhecidas e que agora no Europeu poderão finalmente dar o passo em frente que tanto anseiam. Uma dessas jogadoras poderá ser Jéssica Silva, avançada ligada ao Sporting de Braga que faz de velocidade e técnica apurada as suas principais armas e terá nesta competição a oportunidade que tanto busca de poder desafiar-se perante as melhores defensoras no plano europeu.

Também desde Braga viaja Andreia Norton, jovem criativa que forma com Jéssica dois terços do poderoso tridente ofensivo das Guerreiras do Minho e que apesar da parca experiência de Selecção Nacional sénior (até ver…) será recordada como a menina que na sua internacionalização de estreia apontou o golo que qualificou Portugal para o Europeu, não mais tendo deixado o leque de escolhas de Francisco Neto que contará com esta jovem extremo como uma habilidosa forma de chegar ás redes adversárias - poderá vir a ser uma das surpresas deste Europeu. 

Portugal pode apresentar diversas surpresas para além das suas jogadores mais afamadas 

Menos conhecida do que algumas das suas companheiras mas muitíssimo experimentada neste tipo de andanças - é mesmo a jogadora que há mais tempo se encontra integrada no seio da Selecção Nacional - está Carolina Mendes, uma avançada que representará enorme utilidade pelo facto de poder alinhar sob diversas posições no terreno.

Carolina pode ser utilizada como unidade mais adiantada ou nas costas de outra companheira, mas acima de tudo será uma jogadora a ter em conta pela enorme experiência internacional que possui e que continuou a reforçar ao ter esta temporada competido no exigente campeonato da Islândia, física e ainda tacticamente bem acima da realidade nacional. Um resultado positivo deverá sempre contar com o seu contributo, juntamente com as companheiras de Selecção mais conhecidas do comum adepto…