terça-feira, 24 de novembro de 2015





AMBIENTE DE LIGA, DENTRO E FORA DO CAMPO
A condição de encontro disputado sob luz artificial justificou-se em pleno para um encontro que consistia numa cimeira de líderes, colocando em confronto o líder da II Divisão, o Sacavenense B, que somava por vitórias as cinco jornadas até então disputadas, e o Catujalense, a melhor equipa colocada na tabela classificativa com excepção das equipas B – Sacavenense e Atlético, os dois primeiros classificados.
Entrou melhor a equipa da casa, tirando também proveito de alguma intranquilidade da equipa do Catujal, para à passagem do minuto 10 abrir o marcador por intermédio de Hun Jun, ponta-de-lança que nesta e na anterior temporada vem tendo minutos de utilização na primeira equipa em Sacavém, numa recarga a uma primeira defesa incompleta do guarda-redes Ricardo.
Embalado pelo apoio do seu público – de realçar, pois acorreram ao Estádio do SG Sacavenense cerca de 150 adeptos da SR Catujalense que começaram ainda antes do minuto inicial e estenderam até ao momento em que os jogadores abandonaram o relvado no final um apoio verdadeiramente frenético, com cânticos, boa disposição e até mesmo música, uma verdadeira proeza tendo em conta que se trata de um emblema a disputar a última divisão da AF Lisboa…
De pequeno, o Catujal só tem mesmo a divisão que disputa. De resto, a sua massa associativa fez certamente inveja a muitos estádios de Primeira Liga no carinho e apoio transmitidos, e com isso a equipa saiu beneficiada, ganhando um bálsamo de apoio que lhe permitiu reagir e chegar mesmo ao empate ao minuto 17 através de uma boa jogada de envolvimento concluída com uma exemplar finalização do extremo Lopes.
O golo da Catujalense teve lugar poucos minutos antes de a equipa da casa voltar a colocar-se em vantagem através de uma grande penalidade que castigou uma falta de Tractor, que rasteirou Artur na grande área e permitiu a cobrança sem mácula por parte de Park, médio ofensivo já utilizado pela primeira equipa do Sacavenense num encontro válido pelo Campeonato de Portugal Prio, à passagem do minuto 25.
Com três golos no espaço de 20 minutos, a partida mantinha-se agitada, com a Catujalense a ter-se reaproximado do empate em duas ocasiões, a primeira através de um livre cobrado por Paixão que ainda embateu no travessão e numa jogada na qual os jogadores da equipa visitante reclamaram uma grande penalidade por mão de um defensor do Sacavenense B.
Na segunda parte, perante o esforço da equipa que viajou desde o Catujal em lograr a igualdade, a equipa B do Sacavenense reagiu de forma prática ao conquistar nova grande penalidade, sofrida e posteriormente convertida pelo lateral esquerdo Ivo Palma que teve de responder a adversidades diversas, não só pela pressão de criativos como Marcinho e Lopes como especialmente da falange afecta à Catujalense, que não lhe deu descanso e dificultou a sua missão na 1ª parte…
Com o terceiro tento sofrido, a missão da equipa visitante tornou-se praticamente impossível pese embora o esforço em pelo menos reduzir a diferença tenha sido visível até ao último instante perante um Sacavenense B que foi sabendo gerir as emoções e o ímpeto do seu adversário principalmente quando se viu reduzido a menos um jogador nos minutos finais em virtude da expulsão directa do atacante Rudi após uma altercação com o central catujalense Ventura.
Até final o resultado não viria a alterar-se, mantendo a segunda equipa do Sacavenense o pleno de vitórias depois de um final de tarde muito suado colocado pela Catujalense que trabalhou arduamente e justificou a sua condição de muito sério candidato à subida, merecendo cada aplauso dos muitos adeptos que acompanharam a equipa numa noite fria, mas muito reconfortante para todos aqueles que acompanharam este encontro pela forma como dignificaram este desporto, juntando as facções que apoiaram as duas equipas num ambiente salutar de competição, sim, mas sem qualquer incidente a registar. Como no futebol deveria sempre imperar.
SACAVENENSE B
1- Tomás da Fonseca
22- Diogo Viegas
4- Hugo
3- André
5- Ivo Palma
6- Rodrigo Meirinho ©
13- Wook
19- Gwangyun Park
21- Lee
23- Hun Jun
7- Artur
Suplentes Utilizados: 27- Rodrigo, 26- Bruno Vicente, 17- Rudi e 2- Bernardo
Treinador: Fábio Almeida
CATUJALENSE
1- Ricardo Pinto
5- Emanuel Tractor
(25- André Coelho, int.)
3- Carlos Santos
23- Nélson Ventura
21- Dalmácio
4- Carlos Gonçalves
(7- Márcio Maiato, 66)
50- Fábio Carlos
(10- Reis, 60)
8- Bruno Paixão
17- Lopes
9- Bebucho
26- Marcinho Santos
(11- Meir Dias, 66)
Treinador: Joel Pinto
Disciplina: cartão amarelo para Artur (39); Emanuel Tractor (25), Carlos Gonçalves (44) e Nélson Ventura (68); cartão vermelho directo para Rudi (83)
Marcadores: Hun Jun (10), Gwangyun Park (25, pen) e Ivo Palma (68, pen); Lopes (17)

Texto: Rafael Batista Reis
Imagem: Sociedade Recreativa Catujalense - Página Oficial