sexta-feira, 6 de novembro de 2015



Mudanças próximas, semelhantes… mas bem diferentes
O futebol tem mesmo destas coisas, pequenas curiosidades e coincidências como a que nestes últimos dias teve lugar na mesma região geográfica com meros quilómetros de distância e no mesmo escalão etário. Praticamente no mesmo dia, ficaram a conhecer-se as saídas das equipas técnicas dos plantéis de Juniores de SR Catujalense, no plano distrital, e SG Sacavenense no panorama do Campeonato Nacional.

Num ápice, duas equipas de idades semelhantes viram-se obrigadas a mudar em processos com epílogo semelhante mas por razões bem díspares - começando pelo Catujal, a precoce saída do técnico e conhecido cantor/escritor Fernando Girão e do seu treinador adjunto, Rui Simão, acaba por não ter directamente que ver com os resultados; já a demissão de Ricardo Ferreira em Sacavém não constitui surpresa em função do ambiente que já se colocava em seu redor.

Centrando atenções na mudança promovida no Catujalense, esta apenas sucede por imperativos profissionais por parte dos técnicos, uma vez que tanto Fernando Girão como Rui Simão frequentarão o curso de nível a realizar na AF Lisboa, o que entra em conflito com os horários dos treinos da equipa de Juniores catujalense.

Conclui-se este ciclo de Fernando Girão que necessitava de tempo para uma análise mais conclusiva

Tratando-se estes dos dois elementos que compõem a equipa técnica, tornava-se impossível a esta dupla ministrar ou pelo menos organizar os aprontos na sua ausência, o que se precipita um final de relação precoce que divide opiniões mas certamente desagradou a alguns elementos da equipa.

No que diz respeito à massa associativa, não existia ainda qualquer ponto de discórdia pelo facto de os resultados não serem ainda conclusivos em função de o Campeonato ter apenas cinco jornadas decorridas, vislumbrando-se como grande pecha nesta passagem de Girão pelo comando técnico do clube uma clara insuficiência da equipa sempre que jogou fora de sua casa como reflectem as duas derrotas e um empate sofridas nas três deslocações realizadas pelos Juniores da SR Catujalense.

Esse é, aliás, um ponto reconhecido pelo próprio Fernando Girão ao NOVA ACADEMIA DE TALENTOS, tendo o agora ex-treinador dos sub-19 da SR Catujalense afirmado que esses três desaires como visitante se atribuem a uma “diferença de envolvimento e atitude da equipa” quando joga fora.

Por outro lado, o mesmo estava confiante que com tempo essa “tendência” poderia ser totalmente revertida a favor das cores da equipa catujalense.
Como aspecto positivo, o técnico deixa o futebol ofensivo, dominador e até mesmo envolvente que, reconheça-se, há algum tempo não se conhecia no clube, levaram a boas vitórias caseiras ante Santa Iria e Alta de Lisboa.

Em Sacavém, Ricardo Ferreira optou por revolucionar o plantel sem que tivesse tido os melhores resultados
Já em Sacavém a saída de Ricardo Ferreira deve-se essencialmente aos maus resultados de um Sacavenense que nos últimos anos se tem habituado a assumir-se como referência no futebol de formação dentro da cidade de Lisboa.

Aos maus resultados conseguidos juntava-se o ambiente pesado relativo às escolhas promovidas pelo técnico que no início da temporada desenvolveu uma revolução dentro do plantel ao dispensar um lote de jogadores que há vários anos se encontrava no clube de forma a implementar várias entradas, um processo que desportivamente não tem vindo a resultar e que com o passar do tempo foi diminuindo as possibilidades de sucesso da equipa técnica.

A tarde deste Sábado será o início de uma nova era no escalão de Juniores dos dois vizinhos: no Catujal, a recepção ao Lisboa e Águias deverá ser feita com um técnico interino que pelo que foi possível apurar será o próprio Presidente do clube e atleta da equipa sénior Tiago Bicho para que na próxima semana o comando técnico seja entregue a Miguel Vilela, técnico da equipa de Juvenis na passada temporada.

No que concerne ao Sacavenense, esta mesma jornada deverá marcar a estreia de Tiago Farinha aos comandos no clube, um projecto ‘a solo’ após ter deixado o cargo de treinador-adjunto da equipa principal do Sintrense para aceitar este convite. Em ambos os casos, assim como para os técnicos que os antecederam, ver-se-á que destino ditam os resultados.