terça-feira, 21 de março de 2017




Odivelas - Reunião com Bruno de Carvalho… mas não para já

Há algumas épocas afastado devido a um processo de insolvência que quase o extinguiu, o Odivelas FC regressou à actividade com uma nova Direcção que elegeu como prioridade a resolução do caso protagonizado pelos terrenos que pertenciam ao clube no momento anterior à confirmação da sua insolvência e suspensão de actividade. Tal levou a que o presidente eleito, José Moreira, tenha procurado ainda antes da eleição de ambos (como é sabido, Bruno de Carvalho foi recentemente reempossado) reunir-se com o presidente do Sporting, Bruno de Carvalho.

O líder leonino ter-se-á nessa altura mostrado receptivo, segundo regista o líder do clube odivelense, a conversações apesar de este tema colocar divergências entre os dois clubes no que respeita a estes terrenos, tendo no decorrer do debate que o colocou frente a Pedro Madeira Rodrigues nomeado o responsável pelo diferendo - José Pedro Rodrigues, acusando-o de “um processo contra o Sporting no valor de 21 mil euros para - isto foi a expressão dele - dar uns empurrões.” No entanto, o processo não irá conhecer qualquer avanço, pelo menos nos tempos mais próximos.

“Não daremos qualquer passo para já; neste momento, a prioridade pela qual estamos firmemente empenhados passa por chegarmos a acordo com todos os credores para dar por terminado o processo de insolvência e só depois trataremos desse assunto. A resolução passará por reunir com Bruno de Carvalho, uma vez que é o Presidente em funções, embora sabendo que o senhor em questão era o responsável por esta ’trapalhada’ no período da presidência de Godinho Lopes. Neste momento a nossa atenção está depositada no processo de insolvência,” esclarece José Moreira.

O Presidente do Odivelas encontra-se assim optimista quanto ao resultado desse encontro entre ambos, ainda sem data definida: “espero que possamos reunir-nos com Bruno de Carvalho brevemente,  e estou certo de que irá ajudar-nos bastante”, assim dando por concluído também este processo que implicou, segundo aponta, “a destruição de património do Odivelas e a demolição do Estádio Arnaldo Dias” sem levantar qualquer processo jurídico individualizado a José Pedro Rodrigues.