quinta-feira, 22 de junho de 2017



Trabalho de Sandro chega à Índia.. e mais além

Está provado que a qualidade do profissional português extravasa a função de futebolista, transportando-se também a outras funções como a de técnico e até a especialidade do treino de guarda-redes e até mesmo essa função específica já merece atenção no mercado internacional e o jovem Sandro Pinto (terceiro na imagem a partir da esquerda) é disso exemplo.

Com apenas 21 anos, o jovem treinador vem deixando excelentes impressões ao serviço da Federação Indiana de Futebol, que o recrutou enquanto parte da equipa técnica liderada por Luís Norton de Matos e que juntou três adjuntos aos responsáveis técnicos já existentes num objectivo aliciante, passando por encaminhar o escalão sub-17 da Índia a uma participação condigna do país no próximo Mundial que por sinal se realiza em território indiano. Por esse motivo, a Federação do país não se tem negado a esforços e por esse motivo tem sido levado a cabo um estágio de cinco meses.

O mesmo concluir-se-á no final do mês e nele os juvenis indianos têm defrontado vários clubes e selecções do escalão. Parte do mesmo foi realizado na Cidade do Futebol, em Oeiras, e o Benfica foi um dos adversários colocados. Apesar da falta de experiência e de rodagem internacional, a selecção sub-17 da Índia tem reagido de forma extremamente positiva aos estímulos e desafios que lhes vão sendo colocados ao obterem resultados surpreendentemente positivos sendo que ainda na última semana os indianos conseguiram arrancar um 0-0 perante a bem mais apetrechada Sérvia.

Nessa partida de preparação realizada na Hungria a equipa indiana apresentou uma condição defensiva que colocou Sandro Pinto, responsável pela preparação dos guardiães, debaixo de um coro de elogios. Com efeito, o bom trabalho realizado pelo jovem especialista mantém-no valorizado perante outras ofertas que tem em carteira, nomeadamente a partir da Noruega, onde trabalha Pedro Espinha, chefe do departamento técnico de guarda-redes do Lyn e que gostaria de contar com os seus préstimos no seu leque de profissionais.

Também na Arábia Saudita o nome de Sandro e o trabalho de visível evolução que tem vindo a realizar com os guarda-redes que a Índia espera recolher desde os sub-17 para o seu futuro, Tamal Naskar, Sukhan Gill e Dheeraj Moirangthem, estará também bem referenciado e em Portugal o jovem técnico possui possibilidades em carteira, contando com o apreço de Emídio Júnior, actual treinador de guarda-redes do Nacional que estende a possibilidade de o jovem se juntar aos quadros da formação do clube madeirense.

Apesar do bom trabalho até ao momento realizado, é uma incógnita o futuro de Sandro Pinto que pode não ir a passar mesmo pela Índia ainda que pela frente possa vir a ter o Mundial sub-17, competição que lhe merece total atenção e o levou mesmo a ter realizado ainda em Portugal uma acção de formação junto dos seus guarda-redes ministrada por José Moreira, experiente guarda-redes do Estoril com quem mantém uma relação de proximidade e que é também confesso apreciador dos seus métodos de trabalho.

Após esse início de concentração ainda no nosso País, Sandro Miguel Pinto e restante comitiva liderada por Luís Norton de Matos partiu para o Leste europeu para disputar encontros de preparação e finalmente fixar-se em estágio nas instalações pertencentes à Real Federación Española de Fútbol, a Federação de Espanha.

Até ao final deste mês a equipa indiana treina-se e realiza alguns particulares entre eles um desafio já levado a cabo ante a Selecção Regional de Madrid em sub-17. Desta forma, a equipa técnica portuguesa espera ter reunido as bases necessárias para que a jovem equipa indiana possa competir de igual forma com os oponentes que terá pela frente no Mundial.